Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

Images réciproques du Brésil et de la France

 | 
Solange Parvaux
, 
Jean Revel-Mouroz

I. L’image du Brésil au quotidien : l’impact des médias d’information (presse et télévision)/A imagém do Brasil no cotidiano: o impacto dos meios de comunicação de massa (imprensa e televisão)

A opinião pública na França tem uma imagem confusa do Brasil

Édouard Bailby

Texte intégral

1Afora «Libération» e «Le Monde», que la têm correspondentes, todos os outros diários da grande imprensa só dedicam artigos esporádicos a este grande país do continente americano. O rádio e a televisão, apesar dos esforços meritórios de alguns repórteres, limitam-se geralmente a tratar os temas da atualidade imediata: os garimpeiros da Serra Pelada, a miséria das favelas, a violência durante o Carnaval, a sobrevivência dos Índios na Amazônia, etc... É raro que se comunique algo do dinamismo da civilização brasileira, com seus fracassos e seus êxitos.

2É no «Le Monde Diplomatique» e nos diários periféricos, geralmente de esquerda, que se podem 1er artigos detalhados sobre a situação política, econômica e social no Brasil. Revistas de grande tiragem como «Géo», «Le Figaro Magazine» e «Paris-Match» publicam reportagens de caráter mais turístico ou cultural.

3No entanto, se o Brasil permanece ainda indefinido no espírito da opinião pública, a música popular e depois a literatura contemporânea abriram uma grande frente no decorrer dos últimos anos. A este respeito, o projeto França-Brasil já teve efeitos positivos, em particular entre a juventude e nos meios universitários.

4Parece hoje que, para ser melhor conhecido, o Brasil deveria tomar a iniciativa de criar uma agência de imprensa internacional pelo modelo de France Presse ou da Associated Press. Deste modo, poderia, no quadro de uma comunicação moderna e democrática, multiplicar as imagems oferecidas de sua realidade sociológica, cultural, artística e econômica. Este problema da informação é aliás comun a todos os países em desenvolvimento que devem defrontar com o peso das grandes agências ocidentais a respeito da difusão das notícias no mundo. A criação deste meio de comunicação seria tanto mais necessária que a língua portuguesa permanece, fora das fronteiras do Brasil, um obstáculo para o conhecimento da realidade deste país.

5Apesar de suas falhas, a imagem do Brasil na opinão pública francesa é mais precisa que aquela dos países da América Latina como o México, a Colômbia e a Argentina.

Auteur

Secretário geral da Associação dos jornalistas especialistas da América Latina e de Caribe (AJLAC)

© Éditions de l’IHEAL, 1991

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540