Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

Images réciproques du Brésil et de la France

 | 
Solange Parvaux
, 
Jean Revel-Mouroz

Alocução de abertura proferida

René Monory

Texte intégral

1Excelentíssimo Senhor Ministro, Excelentíssimos Senhores Embaixadores, meus Senhores, minhas Senhoras:

2Tenho o imenso prazer de abrir esta Mesa redonda sobre as «Imagens Recíprocas do Brasil e da França» e agradeço ao senhor Presidente Poher bem como ao Senador Habert por nos oferecerem o prestigioso cenário da sala Médicis para acolher esta manifestação científica.

3E com a maior satisfação que quero saudar aqui Sua Excelência o Ministro de Estado do Brasil Celso Furtado, ministro da Cultura, que nos deu a honra de patrocinar este colóquio e dele participar, assim como Suas Excelências Josué Montello, Embaixador do Brasil junto a UNESCO, e Antonio Carlos Coelho da Rocha, Ministro encarregado de Negócios do Brasil em Paris. Os meus agradecimentos dirigem-se também aos dois comissários brasileiro e francês, os senhores Henrique Vale e Robert Richard.

4O Projeto intergovernamental França-Brasil tem por objetivo fazer progredir de modo significativo as relações entre nossos dois países. Corresponde a dois projetos muito precisamente definidos:

  • favorecer um melhor conhecimento recíproco da França e do Brasil;
  • valorizar os resultados da cooperação entre nossos dois países.

5A Mesa redonda sobre as «Imagens recíprocas do Brasil e da França» inscreve-se totalmente em tal perspectiva. A todos os que contribuem para a elaboração e difusão das representações dos dois países, especialistas das mídias, professores e pesquisadores, escritores e artistas, e agentes da cooperação, ela deve proporcionar uma tomada de consciência de certas distorções entre as idéias preconcebidas, os estereótipos e as realidades efectivas dos dois países, aqui e agora.

6As relações entre a França e o Brasil, com efeito, sofrem dessas distorções que geram nas respectivas opiniões nacionais um conhecimento defeituoso do outro pais e sobretudo de suas evoluções mais recentes.

7Este Mesa redonda atingirá seu alvo se, graças à mobilização de participantes altamente qualificados, contribuir para uma melhor apreciação das realidades brasileiras e francesas, a serem levadas em consideração de maneira mais adequada.

8Este reconhecimento recíproco das nossas identidades e indispensável para o desenvolvimento duma cooperação franco-brasileira, equilibrada, beneficiando as duas partes.

9A manifestação de hoje é um dos momentos relevantes de uma dinâmica promovida pelos dois Ministérios da Educação Nacional. Gostaria de lembrar aqui algumas das acções fomentadas, que constituem igualmente etapas significativas de nossa cooperação:

10Citarei em primeiro lugar os intercâmbios de professores brasileiros de francês e professores franceses de português, auxiliados pelas Associações de professores dos dois países, que têm contribuido, e muito, para o esforço de conhecimento mútuo do Brasil e da França. Os representantes das referidas Associações encontram-se nesta sala, já que a presente Mesa redonda se inscreve de certa maneira na sequência lógica de sua acção.

11Evocarei em seguida o concurso sobre a percepçaõ cultural de Brasil entre as novas gerações, organizado nos estabelecimentos franceses de ensino médio.

12Foi com grande prazer que presidi no mês de Junho passado a entrega dos prêmios aos laureados desse concurso, que mobilizou várias centenas de alunos na França metropolitano e nos territórios ultramarinos.

13No intuito de tornar o Brasil mais bem conhecido nos meios de criação científica e de dinamizar as pesquisas sobre sua realidade contemporânea, achei oportuno criar, como alias eu tinha anunciado no mês de Abril passado, por ocasião de minha visita oficial a Brasília, uma cadeira de História do Brasil na Universidade de Paris-IV. Essa cadeira deverá de constituir um elemento importante para a cooperação universitária com o Brasil e, de um modo mais geral, para a estruturação da «Rede América Latina» em que o «Institut des Hautes Etudes de l’Amérique Latine» desempenha um papel fundamental. Da mesma forma, a «Maison des Sciences de l’Homme» de Paris contribui de maneira positiva, através de seu programa de intercâmbios franco-brasileiros, para ampliar e enriquecer nossas relações.

14Compete-me frisar também que o Comité Francês de Avaliação da Cooperação Universitária com o Brasil – o COFECUB-, organismo colocado sob a tutela conjunta de meu Departemento e do Ministério das Relações Exteriores, tem participação ativa nesta Mesa redonda, onde comprova essa cooperação eficiente, realizada há já quase dez anos com seu homólogo brasileiro – a CAPES (Coordinaçao de Aperfeiçoamento do Pessoal do Ensino Superior) – e com as Universidades brasileiras, no setor da formação de nível superior, integrada num pesquisa conjunta. Alegro-me com o número significativo de jovens brasileiros que realizam seus cursos de Pós-Graduação nas Universidades francesas. Assim, o Brasil, com mais de 1 100 estudantes, se coloca em primeiro lugar dentre os países sócios não francófonos.

15Esta manifestação reúne participantes que representam todos os níveis do sistema educacional. Ela foi organizada com o concurso das seguintes entidades: a Direcção dos Assuntos Gerais, Internacionais e de Cooperação, a Inspecção Geral da Educação Nacional, o Centro nacional de Documentação Pedagógica, e finalmente os dois estabelecimentos responsáveis pela organização do Colóquio, ou seja a Universidade de Paris-III «Sorbonne Nouvelle», com seu Instituto dos Altos Estudos da América Latina, e a Casa das Ciências do Homem. Grande número de professores universitários e do ensino do segundo grau participaram também da preparação da Mesa redonda, pessoalmente ou por intermédio de suas Associações, em especial a Associação pelo Desenvolvimento dos Estudos Portugueses, Brasileiros, Africa e da Asia Lusófonas (ADEPBA). Quero agradecer aqui a todos eles pelo auxílio prestado.

16Esta reunião testemunha também da natural abertura dos meios educacionais para a sociedade no seu conjunto. Quero agradecer particularmente, tanto pelo interesse demonstrado como por sua presença aos ilustres representantes dos mundos de cultura, das mídias, da pesquisa e da tecnologia.

17Faço votos para que uma manifestação semelhante venha a ser organizada no Brasil, no próximo ano, como sequência lógica da Mesa redonda de hoje, este mais particularmente orientado para as Ciências humanas. Um lugar de maior importância poderia então ser reservado às Ciências em geral, à Tecnologia e à Economia. Tal iniciativa permitiria ampliar os campos atuais de cooperação e aprofundar os intercâmbios, já iniciado por nossos dois países.

18Para finalizar, quero agradecer particular S.Ex. cia o senhor Ministro Celso Furtado, que fez questão de participar desta reunião, na sua dupla qualidade de Ministro de Estado da Cultura e de Professor Universitário, assim como ao senhor Eurico de Freitas, Conselheiro Cultural da Embaixada do Brasil em Paris, cujo auxílio eficiente tem sido precioso no preparo deste Encontro.

19Declaro aberta esta Mesa redonda e desejo que os três dias de trabalho que agora se iniciam contribuam para reforçar das relações já fecundas e confiantes entre o Brasil e a França.

Auteur

Ministro da Educação Nacional

© Éditions de l’IHEAL, 1991

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540