Desktop versionMobile Version

A Missão

 | 
Jorge Freitas Branco
, 
Luísa Tiago de Oliveira

Parte 4. Anexos

Anexo 1 – Cultura Material

Volltext

1As recolhas dos brigadistas encontram-se hoje dispersas por várias instituições e organismos.

2O Museu do Trabalho, instalado na cidade de Setúbal e dependente do respectivo município, tem a colecção etnográfica, cuja constituição é analisada neste livro.

3O chamado “Documento 9” reporta-se à recolha de instrumentos de trabalho. Pretende dar-se uma ideia da informação de que as equipas dispunham no terreno. A tabela seguinte contém a listagem dos instrumentos de trabalho e outros objectos enumerados nas diversas alíneas do Documento 9. Mais uma vez, parece evidente uma inspiração na obra de J. Leite de Vasconcelos.

4Como se verificou no balanço da Missão (capítulo 8), a questão da disponibilidade financeira para aquisição de artefactos não foi importante, dada a alta percentagem de ofertas das pessoas aos estudantes. Os montantes referem-se em escudos. Numa nota, recorda-se aos brigadistas que, para gastos de quantias superiores a 1000$00, devia ser feita consulta prévia à sede em Lisboa. Poucas oportunidades houve de conferenciar sobre esta matéria com o estado-maior instalado na capital. Não foi adquirido nenhum barco saleiro, mas um carro de bois.

QUADRO 6. Documento 9: Alguns exemplos de ferramentas, instrumentos e máquinas usados pelo nosso povo na sua luta pela sobrevivência e bem-estar

GUIA

utensílio

OBSERVAÇÕES

I.1

bisarma

com cabo grande, para roçar silvas

I.1

foice roçadeira ou calagoça

para cortar a mata, as silvas, etc.

I.1

alvião

para arrancar a cepa do mato

I.1

sachão

para cortar a lenha

I.1

gancha

para apanhar a lenha

I.1

relho ou travinco

pequena peça de madeira, com dois orifícios, para apertar os molhos de erva ou de lenha

I.1

podoa ou pedoa, podadeira, podão

I.1

cabrita

estojo de pau para a podoa

I.1

arganel de podoa

aro de marmeleiro, que anda preso na cinta, para suspender a podoa

I.1

calhaboço

espécie de cutelo, para limpar as árvores

I.1

cambo

vara, com ângulo natural na extremidade, para se puxarem os ramos em que há frutos

I.1

cambito

mais pequeno

I.1

gancho

para aproximar os ramos

I.1

roca

arame vestido de junça, com que se afastam os ramos, para poder cortar a haste do fruto

I.1

ladra

vara de varejar nozes, azeitonas, etc.

I.1

maço de pau

para abrir os ouriços

I.2

enxada

de pá larga e grande, de dimensões variáveis, para a cava das terras frescas

I.2

enxadão

semelhante à enxada, mas mais grosso e comprido e menos largo

I.2

sachó

para cortar rente as ervas e levantar a terra para ficar fofa

I.2

sachola

semelhante à enxada, mas leve e pequena, para trabalhos mais ligeiros

I.2

guincha

enxada de duas pontas, usada em Trás-os-Montes, para certas cavas, como a vinha

I.2

alferce

de pá estreita e forte, usada no Alentejo

I.2

seitoiro e cambela

para riscar a leiva

I.2

arados

três tipos fundamentais: a) arado radial, usado na serra minhota, planalto transmontano, Madeira e Açores, é o mais simples de todos (o temão, mais ou menos direito, insere-se no ângulo formado pela rabiça e o dente), b) arado de garganta, usado no sul do País (o temão decompõe-se em duas peças - a garganta, muito encurvada e que se insere no dente, e o temão propriamente dito que liga a garganta ao gado), c) arado quadrangular, usado em quase todo o Minho e sul do Douro (o temão, também mais ou menos direito, insere-se na rabiça)

I.2

carreta

a que muitas vezes é atrelado o arado quadrangular

I.2

charrua

espécie de arado com sega e ferrão maiores

I.2

arrilheda ou arrílhada

espécie de pá de ferro, para cavar as enradas do arado (terra crua que fica para lavrar em virtude de qualquer obstáculo)

I.2

malho ou maço

de partir os torrões na ocasião da sementeira

I.2

rastro

instrumento dentado, com que se quebram os torrões e se abrem os regos na terra

I.2

trilho

madeiro grosso, com dentes de ferro, rojado por bois ou muares sobre o trigo, para a debulha das espigas

I.2

grade ou agrade

usado depois das sementeiras, nas zonas raianas das terras de Miranda do Douro

I.2

ancinho

de ferro, com três dentes, usado no carrego do estrume

I.2

bendo

espécie de engaço de ferro de seis dentes

I.2

gancho

de ferro com três dentes

I.2

gravanço

como o engaço ou ancinho, mas só com três dentes

I.3

foucinha

seitoira sem dentes, para ceifar o trigo, o centeio e as ervas

I.3

fouce ou foice

para ceifar o trigo, o centeio, a cevada, etc.

I.3

foução

menor, para ceifar o feno

I.3

gadanha

para cortar feno em grandes quantidades

I.3

braceira

cano de couro, posto no braço esquerdo, para se não romper o fato

I.3

peiteiro

pele suspensa ao pescoço com um cordão, por causa das saragas

I.3

dedeiras e canudos

para proteger os dedos

I.3

cabrita

que suspende a foice

I.4

malho, mangual, mongal ou mangoeira

instrumento com que se faz a debulha, malha ou malhada

I.4

trilho

estrado: a) com pedaços de pedra ou ferro cortantes na face inferior; b) com rolos de madeira munidos de lâminas de ferro em forma de faca

I.4

forquilha

para mexer a palha grossa na eira e separá-la do grão

I.4

ancinho ou engaço

para juntar na eira a moinha, ou seja, a palha moída, o trigo, etc.

I.4

desmoinhadeira

para tirar a moinha de cima do grão de trigo

I.4

balde

para baldear a palha na eira e a pôr em cima dos carros

I.4

arrocho

para atar com faixas os molhos de palha (na região de Moncorvo)

I.4

esfolhadeira, esfolhador, sovino ou bico de descamisar, etc.

para rasgar o folhelho do milho

I.5

buzino (funil de lata) e búzio

tocados para reunir os azeitoneiros

I.5

varejadoira

para varejar a azeitona

I.5

ripo

I.5

cesto ou peceiro

em vime ou verga para a apanha e transporte da azeitona

I.5

fanga

caixa de madeira para a medição da azeitona

I.5

tarefa

talha de barro, na qual se fabrica o azeite

I.5

concha

vasilha de barro ou lata

I.5

tiborneira

prato de lata

I.5

cocho

grande colher rectangular

I.5

panela

de cobre ou folha, para a medição do azeite

I.5

banho, talha, pote

para o depósito do azeite

I.5

guincha

enxada de duas pontas

I.5

cutelo

para a poda

I.5

tesoura

I.5

cesto

I.5

podinha

podoa pequena para a vindima

I.5

dorna

I.5

caneco

II.1

gravato

instrumento para agarrar as ovelhas enquanto os borregos mamam

II.1

capadeira

espécie de lanceta do capador

II.1

ferro ou mossa de marcar o gado

II.1

faca

matança do porco

II.1

aguilhada

vara com que se guiam as juntas de bois

II.2

manganilha

espécie de mangual que traz o vareiro

II.2

entortadeira

bengala do pastor

II.2

cajado, porrete, cachaporra

II.2

chicote

do porqueiro

II.2

funda

para o arremesso de pedras

II.2

tritão, concha ou buzina

os pastores conduzem às vezes as ovelhas ao som deste instrumento

II.2

chocalho e campainha

II.2

corna

adaptação de um chifre para o pastor transportar comida

II.2

azeiteiro

chavelho grande de bovino, onde se transporta azeite ou vinagre

II.2

barreleira ou francela

banco de madeira para o fabrico de queijo

II.2

picheiro

II.2

gral

II.2

banco, tripeço, tropeço

assentos rústicos

III.1

balde

Algarve

III.1

caldeirão

Alentejo

III.1

cegonha, picota, balança ou burra

III.1

nora ou roda

III.1

asado

Alentejo

III.1

barril, bilha, cabaça, caneco

Beira

III.1

cantarinha, cântaro, cocho, infusa, odre e pote

III.1

cangalho

armação de madeira sobre um burro para transporte de água

III.1

rodilha, molídia, ou sogra

para equilibrar a vasilha na cabeça

III.1

isqueiro

III.1

abanador, abano, abanico

para avivar o lume

III.1

candeia

de barro, ferro ou lata

III.1

velador

III.2

machada

III.2

escada e burra

III.2

viador

com cabo de ferro e maço de madeira, para fazer objectos de cortiça

III.2

bio

prego de pau de esteva, castanho

III.2

coto

lima de aço

III.2

cortiço

colmeia

III.2

peneiro

máscara de arame

III.3

barco saleiro

para o transporte de sal das marinhas

III.3

cesto

III.3

bombeiro

III.3

almanjarra

III.3

moeira

III.3

pajião

III.3

canageira

III.3

pá do laboreiro

III.3

aro

de lata ou madeira, para fazer queijos de sal

III.3

graveta ou gaiteiro

para apanhar algas

III.3

rastilha

com cabo medindo por vezes 20 metros, também para apanhar algas

III.3

ganchorra

semelhante à rastilha, mas usada de dentro das embarcações

III.3

rodafole ou ganha-pão

de rede entalhada

III.3

foucinhão

manejado de dentro das embarcações, para o corte das algas presas aos rochedos

III.4

pião

seixo rolado que serve de peso à rede

III.4

aparelhos de anzol ou fisga

farpa encoberta pela isca

III.4

aparelhos de rede

tarrafa (rede), chumbeiro e tosão (bolsas de rede presas a dois paus)

III.4

armadilhas de verga ou de metal

espécies de ratoeiras: pacheca, nassa ou gabrito (espécie de funil de verga)

III.4

armadilhas com engodo

aboiz, alçapão, costela, esparrela, fojo, mosqueiro, nassa, ratoeira, sangra-mocho

III.4

armadilhas sem engodo

armadilha de fogo, canudo, fio, ichó, laço, lapão, ratoeira de toupeira. Parpalhaça, parpalho ou reclamo (chamarizes). Taramela ou cravela (para espantar pássaros). Pisão ou batuto (para espantar javalis, coelhos, etc.)

III.5

barro ou ferro

alavanca

III.5

marreta

III.5

pico

III.5

guilho

III.5

ponteiro

III.5

cunha

III.5

broca

III.5

raiadeira

III.5

martelão

III.5

sacholo

para sachar argila

III.5

martelo

para bater a argila

III.5

joeira de arame

para peneirar o barro

III.5

III.5

roda

movida a pé

III.5

acha

ferramenta de madeira

III.5

rapadoura

III.5

cana

para raspar

III.5

sequeira

grade de madeira

III.6

malho

para fazer moças nas árvores a abater

III.6

machado(a)

III.6

serrote ou serrão

do serrador

III.6

serra

III.6

escopro

do carpinteiro

III.6

burro

triângulo de pau onde se segura a madeira curta para a serrar

III.6

travadeira

ferro que serve para torcer os dentes da serra

III.6

fole

III.6

cavalete

III.6

safra ou sáfara

III.6

bigorna

III.6

banho

barrica com água

III.6

chavante*

de cabo de madeira e gume de aço

III.6

martelo de mão

malho para malhar o ferro em brasa

III.6

marreta

martelo grosso e curto

III.6

talhadeira

lâmina ou folha de aço metida num pau

III.6

tenaz

para pegar ferro em brasa

III.6

gancho de ferro

em forma de S

III.6

torno

III.6

flauta

para alisar

III.7

ripo, ripanço, ripa, ripadouro ou ripador

para ripar o linho

III.7

criva

crivo de arame ou de pêlo para peneirar a linhaça

III.7

maça ou maço

de madeira, para maçar o linho sobre uma pedra

III.7

grama ou gramadeira

aparelho de madeira com alavanca e charneira

III.7

espadela

III.7

cortiço

o linho é espadelado na borda do cortiço

III.7

espadeladouro, fitouro ou fiteira

na borda dos quais é espadelado o linho

III.7

roca

de fiar

III.7

fuso

III.7

sarilho ou argadilho

para se fazerem as meadas

III.7

dobadoura

semelhante ao sarilho

III.7

tear

III.7

lançadeira

III.7

cambo, cambito ou arrocho

III.7

peso de tear

III.7

tempereiro

espécie de espátula de alisar a teada

III.7

roda

de encher canelas

III.7

caixa de urdideira

III.8

roda

III.8

tábua dos ferros

III.8

tábua de mão

III.8

ferro

III.8

escravelinho

III.8

carrinho

III.8

tala

pau rachado onde se descasca a verga

III.8

tesoura de podar

III.8

pedoa

para cortar a verga

III.8

sovelão

para furar a verga

III.8

cestos de verga de castanho: mula ou burra

aparelho onde se limpa a madeira

III.8

sovelão

para furar a verga

III.8

cutelo

para lavrar a madeira

III.8

ferro

para bater a verga

III.8

faca

IV

a) utensílios domésticos

almofariz (de pedra, madeira ou bronze), colher (bordada), chavão ou pintadeira (para marcar bolos), batedor e marcador de manteiga, saleiro e tarreta (de cortiça entalhada), gato de lareira, ganhão, agulheiro e gancho de fazer malhas, forca de fazer cordão, caixa de costura (de cortiça entalhada)

IV

b) o transporte (tracção animal)

arco (coleira de madeira), molhelha (almofada de couro que protege a cabeça dos bois), canzil e chavelha, tabuleta de carro, jugo e canga (sob o ponto de vista da forma, os jugos apresentam dois tipos principais: jugos de trave (caso geral) e jugos de tábua (apenas no Noroeste do País).

* Provavelmente puxavante.

QUADRO 7. Documento Anexo 1: Lista exemplificativa de preços de compra aconselhados, para servir de guia na aquisição de ferramentas e instrumentos do trabalho, utensílios domésticos, objectos e peças relacionados com o transporte, instrumentos musicais populares

EXEMPLOS

BOM ESTADO DE CONSERVAÇÃO

DETERIORADO, MAS RECUPERÁVEL

Bisarma / foice roçadoura / sachão

100-150

50

Podoa / enxada / alferce / seitoiro

100-150

50

Arado / trilho

250 - 350

150 - 200

Charrua / grade

350 - 400

250 - 300

Dedeiras e canudos

50-75

Mangual / forquilha / ancinho / balde

100-150

50-75

Esfolhadeira (sovino) / buzino / arrocho

50

Tarefa / pilão

250 - 300

Banho / talha / pote

100-150

Cajado

50

Corna / azeiteiro

100-125

Banco / tripeço / tropeço

50 - 75 25

Balde / caldeirão / asado / barril / bilha / cântaro / odre

50-100

Picota / balança ou burra / nora / roda

300 - 500

200

Barco saleiro

3000 - 4000

1000-1500

Armadilhas de pesca e caça

50 - 200

Reclamo (chamariz)

50-100

Marreta / pico / ponteiro / guilho / cunha, etc.

50

Roda (de oleiro)

300-400

200 - 250

Fole (ferreiro)

350 - 400

200-250

Ferramentas de ferreiro / chavante / martelo de mão / marreta)

100-125

Ripo (ripanço) / grama / espadela / fuso / lançadeira

50-100

25-50

Espadeladouro (fitouro) / roca / dobadoura / sarilho

100-150

50-75

Tear

300 - 500

200-300

Mula ou burra (cesteiro)

150 - 200

100-150

Almofarizes — pedra e madeira

50-100

Almofarizes — bronze

150 - 250

Objectos de cortiça entalhada (saleiro, tarreta, caixa de costura)

150 - 200

Tabuleta de carro / arco (coleira) / molhelha

100-150

Jugos e cangas — não trabalhados

200 - 250

150 - 200

Jugos e cangas — trabalhados

300 - 600

200 - 400

Flauta / pífaro – cana

50 -75

25

Flauta / pífaro – madeira

50 – 100

Flauta / pífaro – madeira trabalhada

100 – 150

50 - 100

Gaita de foles – fole de borracha

300 – 400

150 - 300

Gaita de foles – fole de borracha e de madeira trabalhada

400 - 500

250 - 400

Gaita de foles – fole de pele

400 - 500

250 – 400

Gaita de foles – fole de pele e madeira trabalhada

500 – 700

400 – 600

Bombo

500 – 600

300 – 400

Tambor

250 – 350

150 – 200

Viola / guitarra / cavaquinho / violão

350 – 500

250 – 350

Violino

300 – 600

200 – 250

Acordeão

300 - 500

200 - 250

Ferrinhos / reque-reque / castanholas / zambura / berimbau

100 - 200

50 - 150

Pandeiro / adufe / caixa

100 - 200

50 - 100

© Etnográfica Press, 1993

Nutzungsbedingungen http://www.openedition.org/6540

Kaufen

Suche in OpenEdition Search

Sie werden weitergeleitet zur OpenEdition Search