Version classiqueVersion mobile

Cartas do Brasil: Correspondência de Antropólogos e Folcloristas Brasileiros para Jorge Dias (1949-1972)

 | 
Ana Teles da Silva

Correspondentes e cartas

Rossini Tavares

Texte intégral

1Congresso Internacional de Folclore
São Paulo- Agosto de 1954
IV Centenário de São Paulo
Instituto Brasileiro de Educação, Ciência e Cultura (Comissão Brasileira da Unesco)
Sede: Palácio Itamaraty
Rio de Janeiro, DF
Brasil
25 de maio de 1954

2Meu caro Jorge:

3É sempre um prazer para mim receber suas cartas e seus ótimos trabalhos. Infelizmente, pra você, porém, este seu amigo é muito mal educado e, em geral, ou sempre, não acusa nem cartas e nem trabalhos. Enfim, como você já me conhece bem, eu espero que não me leve a mal. Na sua última carta, entretanto, você me pediu um favor. E como, talvez, eu tenha possibilidade de ajudá-lo, deixo a má educação de lado e escrevo. Preciso, com certa urgência, alguma coisa sobre a sua senhora: cursos que frequentou, lugares onde realizou concertos, trechos de críticas, enfim, tudo o que é necessário para a apresentação de um pianista. Conversarei, então, com o diretor do Departamento Artístico da Rádio Gazeta, com a colônia portuguesa, onde tenho bons amigos, etc. Não digo que S. Paulo, no momento, possa dar a sua senhora os dez mil de Curitiba, mas alguma coisa se arranja. É bom que você me envie, também, o nome dos músicos portugueses cujas obras ela executa. A colônia é rica e, segundo eu soube, vai hospedá-los no hotel mais grã-fino da cidade. Espero, também, ansioso um trabalho seu para o nosso Congresso. Recomendações a sua senhora e receba dois abrações:

4O de Jamile, minha mulher, e o deste amigo mal educado, Rossini

*

5Comissão Paulista de Folclore
25/07/55

6Caríssimo Jorge:

7Não precisa me xingar. Tenho consciência de que ando mancando com você. Aliás, eu já tenho dado provas a você de que sou o maior preguiçoso do mundo para escrever cartas. Mas, pode crer, não me esqueço dos bons amigos como você. Já há mais de um mês, recebi sua carta. Também, já tenho um bom número de trabalhos estrangeiros para o livro do Renato. Nacionais, que é bom, apenas o meu.

8Andamos com grandes saudades de você. É uma pena que não possamos estar sempre juntos. Quanto eu poderia aprender!

9Há dias, mandei-lhe o meu livrinho “Melodia e Ritmo no Folclore de S. Paulo”. Se ele não chegar avise-me que mandarei outro, pois o nosso correio anda trocando as pernas. Na Semana Santa, fizemos uma boa pesquisa de recomenda de almas. Gravamos e fotografamos. E foi isso a coisa mais importante que fizemos até agora, pois este ano comemora-se o décimo aniversário de Mário de Andrade (morte) e eu tenho feito tudo em prol de uma evocação à altura desse meu querido amigo e mestre. Ah, já ia me esquecendo, também no início do ano eu fui recebido na Academia Brasileira de Música, para me sentar na cadeira de que é patrono Luciano Gallet, pioneiro dos estudos de folclore musical, no Brasil. E o nosso companheiro Oracy Nogueira, lembra-se dele, ganhou o prêmio de 25 mil cruzeiros (Fábio Prado), com um ensaio de primeira qualidade sobre assuntos gerais de uma cidade paulista, inclusive folclore. E dentro de poucos dias, será publicado um excelente trabalho monográfico sobre “maracatu”, de Guerra Peixe. Como você vê, a nossa turma trabalha. Eu teria muita vontade de ir ao Congresso de setembro, mas não vejo como. De modo que espero notícias por seu intermédio, assim como tudo o que se publicar por lá.

10Agora, o meu abração saudoso e as recomendações da Jamile e de toda a turma paulista, que vê em você o amigão de sempre.

11Rossini Tavares

*

12Associação Brasileira de Folclore
Museu de Artes e Técnicas Populares (Folclore)
São Paulo, 27 de dezembro de 1971

13Caríssimo Jorge Dias

14A oportunidade é maravilhosa. Minha aluna, dona Maria Thereza Lemos de Arruda Camargo, vai à Portugal e me pediu para que eu o avisasse de que irá procurá-lo. Aproveitei, então, a oportunidade para lhe escrever e matar saudades. E especialmente, para reclamar notícias suas. Escreva-me dizendo como vai, o que tem feito e está fazendo. Espero continuar a receber suas publicações, sempre importantíssimas para os nossos estudos. E agora também para os alunos da Escola de Folclore, mantida pelo Museu.

15Meu caro Jorge, dona Maria Thereza vai conversar com você sobre o trabalho, que está fazendo, relativo à medicina popular. Ela tem grande interesse pela bibliografia portuguesa. Espero também enviar pela dona Maria Thereza um exemplar do meu “Romanceiro Folclórico do Brasil”, que está saindo do forno. No início de 72, publicarei um novo livro, “Folclore das Festas Cíclicas”, no qual divulgo toda a minha documentação, relativa a recomendações de almas, e onde me utilizo bastante do seu trabalho sobre o assunto.

16Esperando ainda algum dia encontrá-lo, envio-lhe o meu abração de amigo saudoso.

17Rossini

© Etnográfica Press, 2021

Licence OpenEdition Books

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search