Version classiqueVersion mobile

Cartas do Brasil: Correspondência de Antropólogos e Folcloristas Brasileiros para Jorge Dias (1949-1972)

 | 
Ana Teles da Silva

Correspondentes e cartas

Anita Nowinsky

Texte intégral

Rio Amazonas. Setembro-Outubro, 1951

Rio Amazonas. Setembro-Outubro, 1951

Autor: Jorge Dias. Arquivo Centro de Estudos de Etnologia Museu Nacional de Etnologia

1São Paulo, Março, 15, 1968

2Meu caro amigo

3Chegando ao Brasil, muito mais tarde do que havia planejado, encontrei o seu amável cartão, com o recorte do jornal. Muito, muito obrigada por ter se lembrado de mim.

4Pedi que “Comentário” lhe fosse enviado regularmente, porque julguei que a revista seria de seu interesse. Já recebeu o 4º trimestre de 1967? Contém diversas poesias de autores judeus, traduzidas por Cecilia Meireles. Que eu saiba, não era de origem judia essa artista, mas grande admiradora do povo judeu, de sua história e de Israel. De volta ao Brasil, após uma viagem a esse país, traduziu alguns dos seus mais famosos poetas. Diga-me se conhece o livro: “Poesias de Israel”? Caso não o tenha lido, envio-lhe o meu, e faço-o com imenso prazer, pelo motivo que a própria autora menciona em seu prefácio: “a poesia possui a virtude de tornar as criaturas compreensíveis umas às outras, na sua última verdade, que é a verdade do espírito.” Dessas poesias, a que preferia denomina-se “A Bandeja de Prata.” Contou-m’o sua [?], um dia, quando, encontrando-se Cecilia Meireles no hospital, pediu que ela fosse dizê-la em seu lugar. Transcrevo-a pois aqui, meu caro amigo, certa de que saberá senti-la e entendê-la, com a sua profunda sensibilidade.

5A Bandeja de Prata
“Não se oferece um Estado a um povo numa bandeja de prata”
Haim Neuzimam

6A terra está tranquila. O olho [?] do céu
Suavemente se apaga
[?] as fronteiras fumegantes

7De coração traspassado, mas ainda respirando,
Uma nação aguarda o milagre:
O incomparável, o único.

8Eis que para a solenidade ela se apronta:
Levantou-se ainda com lua, ergueu-se antes da aurora
Envolta em festa e assombro

9É então que surgem na sua frente
Uma jovem e um rapaz
Que lentamente vem ao seu encontro.

10Com a roupa dos dias de semana,
E petrechos de guerra
E pesado calçado,
Não subindo o caminho,
Silencioso.

11Não mudaram de roupa nem apagaram a água
Os traços de um dia de penosos trabalhos
E de uma noite na linha de fogo.

12Infinitamente exaustos, e abdicando de repouso,
Cintilantes do orvalho da mocidade hebreia,
Calados, os dois se aproximam,
E detém-se, completamente imóveis:
Não há nenhum sinal de estarem vivos os fuzilados.

13É quando a Nação, inundada em lágrimas, assombrada,
Pergunta: “Quem sois vós? “E os dois serenamente respondem: “Nós
somos a bandeja de prata em que te foi ofertado o Estado Judeu.”

14Assim dizem. E caem diante dela, envoltos em sombra.
E o resto será contado nos códices de Israel.

*

15Envio-lhe pelo próximo correio o “Commentary”, prometido, com o artigo sobre Belmonte [?] é um trabalho científico, apenas a impressão superficial de uma visita, escrito para um público amplo. Uma análise profunda necessitaria de um Mestre como o Senhor. Mando-lhe também o meu último trabalho, “Os Israelitas em São Paulo” publicado em “São Paulo – Espírito, Povo, Instituições”, obra no qual colaboraram diversos autores brasileiros que certamente conhece, como Gilberto Freyre, Florestan Fernandes e outros. Como os editores nos impuseram um número limitado de páginas, não pude estender-me como desejava. Pretendo porém retomar o assunto em breve, em trabalho mais completo.

16Só volto à Europa depois de apresentada minha tese, talvez em Setembro. Os seis meses que passei, no ano de 1967, fora do Brasil, retardaram muito a sua conclusão. Os planos são pois incertos, mas o mais provável é que vá para Jerusalém, onde pretendo aperfeiçoar os meus estudos. Mas quem sabe, antes disso, o teremos no Brasil [?] Com certeza tem aqui muitos amigos que gostariam de revê-lo. Afinal, tudo é tão efêmero na vida – porque, quando é possível, não matar as saudades, se a temos [?]

17Peço-lhe por favor, que me recomende a sua Senhora. E receba desta amiga um abraço sincero.

18Anita Novinsky

Table des illustrations

Titre Rio Amazonas. Setembro-Outubro, 1951
Crédits Autor: Jorge Dias. Arquivo Centro de Estudos de Etnologia Museu Nacional de Etnologia
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/7137/img-1.png
Fichier image/png, 53k

© Etnográfica Press, 2021

Licence OpenEdition Books

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search