Version classiqueVersion mobile

Cartas do Brasil: Correspondência de Antropólogos e Folcloristas Brasileiros para Jorge Dias (1949-1972)

 | 
Ana Teles da Silva

Nota prévia

Texte intégral

Nota prévia

1Nesta publicação disponibilizamos, para os pesquisadores e para o público mais amplo, as cartas “brasileiras” integradas ao acervo pessoal de Jorge Dias e Margot Dias que fazem parte do arquivo do Museu Nacional de Etnologia.

2Trata-se ao todo de 149 cartas de 26 missivistas, dos quais 18 eram brasileiros e 2 alemães que residiam no Brasil. Entre as 149 cartas duas são respostas de Jorge Dias.

3Essas cartas, resultado dos contatos realizados por Jorge Dias em suas sucessivas idas ao Brasil na década de 1950, abrangem as décadas de 1950, 1960 e 1970. Os autores eram intelectuais brasileiros ligados sobretudo às ciências sociais: havia antropólogos, sociólogos, estudiosos de folclore, mas também uma musicóloga, um político e um livreiro.

4O livro é prefaciado por Paulo Costa (Diretor do Museu Nacional de Etnologia) e Maria Laura Cavalcanti (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Seguem-se dois estudos que ajudam a enquadrar a correspondência brasileira de Jorge Dias. Ana Teles da Silva discute as cartas na perspectiva da visão panorâmica que estas oferecem do desenvolvimento das ciências sociais brasileiras nas décadas de 1950 e 1960. João Leal propõe uma análise, a partir das cartas, da trajetória intelectual de Dias passando por Portugal, Brasil e Moçambique e da sua consolidação como o mais importante antropólogo português da segunda metade do século XX.

5As missivas são publicadas por ordem alfabética do nome do autor e data, de forma a permitir ao leitor uma melhor compreensão das mesmas. Na maioria dos casos, embora as respostas de Jorge Dias não estejam presentes, o sequenciamento temporal das cartas permite uma compreensão do diálogo estabelecido entre os dois correspondentes no que se refere às temáticas tratadas.

6As cartas foram transcritas da sua forma original manuscrita ou datilografada; neste processo, atualizou-se a grafia de acordo com o padrão definido pelo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

7Fazem parte do acervo de correspondência de Jorge Dias missivas de Charles Wagley e Donald Pierson, antropólogo e sociólogo norte-americanos que lecionaram e realizaram pesquisas no Brasil nas décadas de 1930 e 1940. Optou-se, no entanto, por não publicar suas cartas neste livro, porque diversamente do conjunto de cartas publicadas, estas não fazem referência ao Brasil.

8Ilustram o livro algumas fotografias “tiradas” por Jorge Dias durantes uma das suas estadias no Brasil, que constam do arquivo do Arquivo do Centro de Estudos de Etnologia depositado no Museu Nacional de Etnologia.

9Esse projeto só se tornou possível com a colaboração inestimável de várias pessoas que estão aqui lembradas em agradecimento:

10- ao diretor do Museu Nacional de Etnologia, Paulo Ferreira da Costa, por toda sua concordância e apoio necessário ao projeto;

11- ao diretor aposentado do Museu Nacional de Etnologia, Professor Joaquim Pais de Brito, por ter me franqueado o acesso às cartas proporcionando o primeiro contato com as mesmas em 2014, período do meu doutoramento em antropologia;

12- à Dra. Alexandra Oliveira, responsável pela biblioteca do Museu Nacional de Etnologia;

13- à Dra. Ana Cristina Correia, pela digitalização das cartas;

14- ao Professor Fernando Claro, pelas traduções de frases em alemão de algumas cartas de Herbert Baldus;

15- ao Professor João Leal, pela insistência e incentivo para que eu pesquisasse o acervo “brasileiro” de Jorge Dias no período do meu doutoramento e posteriormente para que as cartas desse acervo fossem publicadas;

16- à Professora Maria Laura Viveiros de Castro Cavalcanti, por ter me ensinado a olhar para os estudos de folclore como parte da história das ciências sociais no Brasil;

17- à Constança Hertz, por seu olhar atento às diferentes leituras possíveis das cartas.

18Ana Teles da Silva

© Etnográfica Press, 2021

Licence OpenEdition Books

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search