Version classiqueVersion mobile

Alfaia agrícola portuguesa

 | 
Ernesto Veiga de Oliveira
, 
Fernando Galhano
, 
Benjamim Pereira

Prólogo

Texte intégral

1Este trabalho insere-se na série de estudos que o Centro de Estudos de Etnologia tem vindo a publicar sobre os aspectos materiais mais importantes da vida rural do nosso País, como parte indispensável para qualquer síntese consistente sobre a cultura portuguesa. Ele representa a fusão, a revisão, a ampliação e unificação de vários trabalhos analíticos prévios realizados pelo mesmo Centro, que focavam capítulos específicos desse tema, dentro do programa fixado logo nos seus primórdios, em 1947, e que tem vindo a cumprir paulatinamente.

2A alfaia agrícola é a forma concreta do próprio trabalho do campo; e basta isso para medir a sua importância e o seu valor, a sua dignidade e a sua beleza. Mas a ela estão ligados conceitos vitais basilares, económicos, sociais, psicológicos e morais. E a sua mutação, que se opera hoje de modo radical e vertiginoso, significa mais uma vez, a instauração de uma nova era na história do Homem. O nosso estudo e a recolha que ao mesmo tempo procuramos levar a cabo desse património fabuloso na sua modéstia, e que, em muitos casos, nos vem, quase sem alterações, desde os mais remotos tempos da «revolução neolítica», foi feito no limiar das possibilidades, antes que a tecnologia invasora acarretasse o total e irreversível desaparecimento, e a extinção da própria memória, daquilo que, ao longo dos milénios, foi o obscuro mas essencial suporte da vida.

3O tema central deste trabalho é o estudo descritivo da alfaia agrícola tradicional portuguesa. Para melhor a situarmos, contudo, entendemos conveniente fazê-lo preceder de uma introdução geral em que procuramos enquadrá-la nos vários condicionalismos locais, geográficos, histórico-sociais e funcionais. Por outro lado, não abordamos o estudo de certas actividades também ligadas à vida agrícola – o vinho, o azeite, o leite, a cortiça, o figo e a amêndoa, etc. –, já porque, sendo de natureza especial, tencionamos tratá-los isoladamente, já porque, relativamente a algumas delas, prevalecem os aspectos técnicos da transformação.

4Em todo este livro está presente Jorge Dias. A sua obra sobre os Arados Portugueses – de que aqui damos a súmula – inaugurou não só os estudos da alfaia agrícola portuguesa, mas também, com a monografia de Vilarinho da Furna, a sua carreira de etnólogo; e ambas constituem os marcos fundamentais da renovação dos estudos etnológicos em Portugal.

© Etnográfica Press, 1995

Licence OpenEdition Books

Cette publication numérique est issue d’un traitement automatique par reconnaissance optique de caractères.

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search