Version classiqueVersion mobile

Construções primitivas em Portugal

 | 
Ernesto Veiga de Oliveira
, 
Fernando Galhano
, 
Benjamim Pereira

Índice dos desenhos

Texte intégral

Des. 1 - Abrigos de materiais vegetais fixos: a) S. Pedro da Cadeira, Torres Vedras. Canas recobertas por palha de fava. b) Santiago de Cacém. Esqueleto dum abrigo, c ) S. Pedro da Cadeira, Torres Vedras. Canas dispostas em duas águas: 33 Págs.

Des. 2 - Reguengo, Cartaxo. Planta esquemática duma barroca de cultivador de meloais: 37 Págs.

Des. 3 - Águas de Moura, Setúbal. Abrigo do guarda das pilhas de cortiça, feito de pranchas desse material: 38 Págs.

Des. 4 - Vila Boa, Belmonte. Aspecto geral dum abrigo móvel de pastor e esquema da sua estrutura. A esteira é quadrada, com 1,70 m de lado: 42 Págs.

Des. 5 - Caria, Belmonte. Neste exemplar a esteira foi alongada pelo comprimento da palha. Anteparos triangular e em absidíolo. Este último tem como esque leto uma forca de três galhos, com vergas grossas servindo de ripagem, amar radas com vergas delgadas. a) Pormenores do esqueleto do absidíolo, e dis posição dos feixes da palha, b) processo de enlaçamento dos feixes, com verga delgada. c) remate frontal do absidíolo: 43 Págs.

Des. 6 - Figueira de Castelo Rodrigo. Abrigo móvel de pastor. A esteira é muito encurvada, e a palha, espalhada, é apertada por varas que amarram para as ripas. Os anteparos triangulares, e a esteira que se encosta na frente, não têm qualquer caixilho; a palha é apenas apertada entre varas: 45 Págs.

Des. 7 - Sernancelhe. Três tipos de prisão da palha nas esteiras, observados em Penso e Vila da Ponte. O tipo c é uma combinação dos dois primeiros: 46 Págs.

Des. 8 - Serpa. a) Grade de esteira. b ) Esquema da prisão das manadas de palha, cosidas para as ripas: 46 Págs.

Des. 9 - Escalhão, Figueira de Castelo Rodrigo. Anteparo triangular dum abrigo móvel de pastor: 47 Págs.

Des. 10 - Avelai, Sátão. Choço de pastor, a) Aspecto geral. b ) Pião de madeira do vértice do cone, ao qual pregam as varas . c) Processo de amarração da palha às ripas: 48 Págs.

Des. 11 - Pinhanço, Gouveia. Cibana de pastor. a) Aspecto geral, b) Maneira de enlaçar as manadas de colmo, c) Esqueleto da cibana, podendo ver se, no alto, duas varas horizontais, que apoiam nos ombros da pessoa quando do seu transporte: 49 Págs.

Des. 12 - Reguengos de Monsaraz. Abrigo móvel: 51 Págs.

Des. 13 - Alpalhão, Nisa. Socho móvel de pastor na sua forma mais perfeita, a) Aspecto geral e corte pelo plano transversal mediano. b) Estrutura do tejadilho; a palha é estendida em dois sentidos e amarrada pelo processo normal, c) Estrutura do esqueleto dum absidíolo, na sua forma tipo. Na realidade vêem se geralmente varas suplementares (tracejadas) que se colocam quando conveniente: 52 Págs.

Des. 14 - Salvaterra do Extremo, Idanha a Nova. Planta e corte esquemático dum choço móvel de pastor: 53 Págs.

Des. 15 - Salvaterra do Extremo, Idanha a Nova. Pormenores dum choço. a) Esqueleto do choço semi cónico. b) Disposição das camadas de giesta e palha num choço semi cónico. c) Prisão da giesta e da palha nas esteiras, d) Porta lateral aberta numa das esteiras: 54 Págs.

Des. 16 - Vila Mendo de Tavares. Mangualde. Esqueleto dum abrigo sob um palheiro: 60 Págs.

Des. 17 - Prime, Viseu, a) Aspecto e corte da armação duma construção do género de cobertura parede, b) Solução geral da padieira da porta, c) Esquema da dis posição dos materiais da cobertura. d) Maneira de fazer as tranças de colmo. e) Paus que mantêm no seu lugar os vencilhos que cingem a cobertura: 107 Págs.

Des. 18 - Beirã, Marvão. Choço fixo, servindo de habitação do pastor duma cabrada. а) Aspecto geral. b ) Armação do choço. c) Planta – 1) poial ; 2) louça e vasilhas para cozinhar; 3) lugar do fogo; 4) tarimba; 5) caixa com roupa; 6) mesa; 7) caixa; 8) banco, d) Pormenor da tarimba: 110 Págs.

Des. 19 - Vale Chaim, Odemira. Curveiro. Aspecto geral, planta e pormenores: 114 Págs.

Des. 20 - Soajo, Arcos de Valdevez. Caniço de varas. Pormenores da construção: 118 Págs.

Des. 21 - Portela do Vade, Ponte da Barca. Canastro de varas. A mesa e o corucho: 119 Págs.

Des. 22 - Teixoeiro, Cabeceiras de Basto. Canastro de vergueiro. Estrutura: 120 Págs.

Des. 23 - Aboim, Fafe. Caniço de vergueiro. Estrutura: a) pano ou linhagem; b) gabela de palha milha; c) camada de giesta; d) pontas de varas; e) pregos: 122 Págs.

Des. 24 - Pedraído, Fafe. Canastro de varas. Estrutura: 123

Des. 25 - Outeiro, Viana do Castelo. Canastro de varas. Estrutura. Notar o janelo de carga junto ao bordo superior: 124 Págs.

Des. 26 - S. Mamede, Arcos de Valdevez. Canastro de varas, de planta rectangular. Estrutura: 125 Págs.

Des. 27 - Barranco do Velho, Loulé. a) Palheiro. Aspecto geral. b ) Corte pelo plano da porta; c) remate da cobertura: 126 Págs.

Des. 28 - Cavalos, Loulé. Processo da prisão da palha, na cobertura, disposta em manchinhas: 127 Págs.

Des. 29 - Serra do Caldeirão, Algarve. Processo de prender as fiadas do colmo em valadio, nas coberturas cónicas dos palheiros: 128 Págs.

Des. 30 - S. Barnabé, Almodóvar. Palheiro. 4 m de diâmetro interior. Parede de pedra de 1,80 m de altura; cobertura cónica de materiais vegetais com portinhola para meter a palha; porta com soleira elevada, ao jeito de janela: 129 Págs.

Des. 31 - Cabeçudos, Marvão. Choça. Planta segundo Jorge Dias : a) prumo; b) lugar do fogo; c) camas; d) arca; e) mesa; f ) louceiro; g ) cadeiras: 132 Págs.

Des. 32 - Cabeçudos, Marvão. Choça. Aspecto geral, corte e pormenor duma cobertura cónica: 131 Págs.

Des. 33 - Prime, Viseu. Construção circular em terreno plano. Aspecto geral, corte e pormenor da portinhola de acesso ao piso superior: 137 Págs.

Des. 34 - Prime, Viseu. Processo de dispor o colmo na cobertura, em garfas seguidas: 138 Págs.

Des. 35 - a) Vila Cova de Tavares, Mangualde. Cibana de felga de dois pisos. b) Vale de Manjão, Fornos de Algodres. Cibana de planta quadrangular. Corte e aspecto geral, e disposição das varas da cobertura sobre a parede: 139 Págs.

Des. 36 - Cumeada, Castelo de Vide. Corte e planta de uma safurda em falsa cúpula: 158 Págs.

Des. 37 - Castelo de Vide, a) Corte da safurda do Monte da Lameira. b) Corte da safurda da Lameira, e pormenor do fecho da falsa cúpula: 159 Págs.

Des. 38 - Castelo de Vide. a) Corte da safurda de Pena Verde, e pormenor do fecho. b ) Corte de uma safurda da Póvoa: 160 Págs.

Des. 39 - Ribeira da Amieira, Marvão. Corte de um chafurdão: 161 Págs.

Des. 40 - Póvoa. Castelo de Vide. Chafurdão de planta rectangular, coberto por lajes de pedra e terra: 162 Págs.

Des. 41 - Arronches. a) Malhada de porcos constituída por duas construções em falsa cúpula, ambas meio arruinadas. O desenho mostra o corte da maior, e o por menor do alto da cúpula, já com algumas fiadas de pedra caídas. b) Corte de outra malhada arruinada. De A a B fica o lanço desmoronado: 163 Págs.

Des. 42 - Crato. Planta, corte transversal e corte longitudinal de uma safurda oblonga: 164 Págs.

Des. 43 - Barrancos. Corte de duas safurdas: 165 Págs.

Des. 44 - Salvaterra do Extremo, Idanha a Nova. Aspecto geral e corte de uma furda de dois pisos, que serve de pocilga em baixo e galinheiro em cima: 166 Págs.

Des. 45 - Perto de Monfortinho, Idanha a Nova. Corte e planta de uma tenda: 167 Págs.

Des. 46 Escalhão, Figueira de Castelo Rodrigo. Corte de dois fornos ou palheiros: 169 Págs.

Des. 47 - Escalhão, Figueira de Castelo Rodrigo. Pormenor do interior dum forno: 170 Págs.

Des. 48 - Vila Mendo de Tavares, Mangualde. Corte de dois « fornos da Senhora »: 171 Págs.

Des. 49 - Serra da Peneda. Aspecto e cortes dum cortelho. Os cortes são pelo plano do eixo da porta e por outro perpendicular àquele: 181 Págs.

Des. 50 - Costa algarvia. Pormenores da construção de uma cabana. a) estrutura do esqueleto; b ) processo de amarração das canas aos prumos e aos caibros; c) disposição das manadas de junco ou estorno, e maneira de as prender às canas; d) remate do cume: 195 Págs.

Des. 51 - Quarteira. a) solução para o prolongamento dum prumo que sustenta a trave de cume; b ) remate do cume reforçado com a capa; c) corte da divisória de uma cabana ; d) corte de uma cancela ou paravento de porta: 196 Págs.

Des. 52 - Ilha da Armona, Fuzeta. Cabana e planta do conjunto: 210 Págs.

Des. 53 - Ilha da Armona, Fuzeta. Cabana com acrescento ocupando apenas metade da sua largura: 211 Págs.

Des. 54 - Torre de Ares, Tavira. Remate do cume, diferente do usual nestas cabanas: 213 Págs.

Des. 55 - Santo André, Santiago de Cacém. Planta de uma cabana: 216 Págs.

Des. 56 - Santo André, Santiago de Cacém. Vários sistemas de construção de paredes, vistos em corte: 218 Págs.

Des. 57 - Santo André, Santiago de Cacém. Interior de uma cabana, vendo se o local da antiga lareira com as paredes revestidas de barro: 219 Págs.

Des. 58 - Santo André, Santiago de Cacém. Outro aspecto do interior da cabana do des. 57: 220 Págs.

Des. 59 - Santo André, Santiago de Cacém. Pormenores da construção de uma cabana. a) processo de prender os feixinhos de mato às ripas, designado por coser a ponto; b) disposição do caniço na cobertura; c-d) sobre as fiadas de caniço cosidas a ponto, dispõem se outras em valadio, seguras por canas amarradas para a armação interior: 221 Págs.

Des. 60 - Casas Novas, Alcácer do Sal. Planta e pormenores de construção de uma cabana: 228 Págs.

Des. 61 - Casas Novas, Alcácer do Sal. Disposição do caniço nas paredes e cobertura de uma cabana, e aspecto da cobertura: 229 Págs.

Des. 62 - Algarvios e Casas Novas, Alcácer do Sal. Plantas de cabanas. a) Algarvios – ampliação de uma cabana com mais duas divisões; b) Casas Novas: 230 Págs.

Des. 63 - Algarvios, Alcácer do Sal. Lareira coberta por um tecto inclinado de tábuas, que protege o caniço da cobertura das faúlhas, e com paredes revestidas de barro: 231 Págs.

Des. 64 - Azervadinha, Coruche. Pormenores da construção de uma barroca, a) planta; b) esqueleto da empena frontal; c) remate do cume, segundo a maneira antiga, já pouco usada; d) aspecto exterior do cume, encimado pelo arrepio; e) corte da parede e da cobertura, mostrando as canas e a disposição das fiadas do colmo: 234 Págs.

Des. 65 - Diferentes fases da preparação dos veios de palha, usados no revestimento das coberturas: 235 Págs.

Des. 66 - Palma, Setúbal. Planta e aspecto exterior de uma barroca: 236 Págs.

Des. 67 - Grândola. Agulha de cana, usada para fixar o revestimento da cobertura: 372 Págs.

Des. 68 - Sonega, Cercal. Pormenores de uma cobertura de colmo. a-b) esteira de feixinhos de colmo; c) remate do cume: 238 Págs.

Des. 69 - Montargil, Ponte de Sor. Planta e interior de uma empena. O revestimento é de carqueja: 238 Págs.

Des. 70 - Mora. Grande construção com uma das faces compridas completamente aberta, e topos arredondados: 239 Págs.

Des. 71 - Zambujeira, Odemira. Construção de materiais vegetais com moirões de xisto: 240 Págs.

Des. 72 - Prime, Viseu. Choupana. Fugindo à regra, a porta do piso superior abre se na vertente da cobertura: 254 Págs.

Des. 73 - Pindo, Castendo. Cabana: 255 Págs.

Des. 74 - Prime, Viseu. Choupana actualmente de planta rectangular, que substituiu a antiga, circular, aí existente. No térreo, a corte ocupa ainda o espaço redondo, escavado no saibro: 256 Págs.

Des. 75/76 - Prime, Viseu. Paredes e armação da cobertura de uma choupana
Prime, Viseu. Pormenores do revestimento da cobertura de uma choupana. a) esquema do revestimento; b ) trança de colmo; c, d, e, f) várias maneiras de rematar o cume: 257/258 Págs.

Des. 77 - Pindo, Castendo. Cabana: 259 Págs.

Des. 78 - Pindo, Castendo. Cabanão. Aspecto e pormenores da construção e do revesti mento: 260

Des. 79 - Pindo, Castendo. Esquema do revestimento e das várias modalidades do pavimento do piso superior: 261 Págs.

Des. 80 - Juromenha. Planta de uma malhada de cabras: 265 Págs.

Des. 81 - Juromenha. Malhada de cabras. Aspecto geral: 266 Págs.

Des. 82 - Juromenha. Malhada de cabras. Pormenores da construção da cabana habita ção. Esquema do revestimento das paredes e das empenas: 267 Págs.

Des. 83 - Juromenha. Malhada de cabras, o) pormenores da sebe do cercado; b ) entrada de um curveiro; c ) corte horizontal da entrada de um curveiro: 268 Págs.

Des. 84 - Juromenha. Malhada de cabras. Porta de um curveiro, com soleira e padieira: 269 Págs.

Des. 85 - Juromenha. Malhada de cabras. Pormenores da construção de um curveiro: 270 Págs.

Des. 86 - Juromenha. Malhada de cabras, a) chaminé onde cozinham ao ar livre; b ) pial ; c) Cocho onde lavam a louça: 271 Págs.

Des. 87 - Beirã, Marvão. Malhada de cabras. Aspecto geral e planta: 272 Págs.

Des. 88 - Santa Eulália, Elvas. Corte das pequenas pocilgas de uma malhada de porcos: 274 Págs.

Des. 89 - Santa Eulália, Elvas. Aspecto geral de uma malhada de porcos abandonada: 275 Págs.

Des. 90 - Salvaterra do Extremo, Idanha a Nova. Aspecto e planta de uma malhada de porcos. O núcleo inicial da malhada ia de A a B, tendo sido posterior mente aumentada: 276 Págs.

Des. 91 - Salvaterra do Extremo, Idanha a Nova. Aspecto das entradas para as pocil gas. Corte de uma delas pelo plano perpendicular à porta: 277 Págs.

Des. 92 - Mindelo, Vila do Conde. Barraca de sargaço: 278 Págs.

Des. 93 - Fão, Esposende. Barraca de sargaço. Aspecto geral, planta e armação do telhado: 280 Págs.

Des. 94 - a) A colmadura ultrapassa o beiral e as empenas; b) colmadura com cápeas e guarda ventos; c) a testeira da colmadura fica por baixo do ca peado das empenas; d) colmadeira do Barroso ; e) copadeira de Celorico de Basto; f ) espadela e estaca usadas na compostura das colmaduras em Celorico de Basto: 293 Págs.

Des. 95 - Figuração esquemática de vários processos de factura dos cumes: a) Freixo de Espada à Cinta ; b) Celorico de Basto; c) Montemuro, Gralheira ; d) Montemuro, Alhões; e) Lodeiro de Arque, Cabeceiras de Basto ; ) Perafita, Vieira do Minho: 297 Págs.

Des. 96 - Casos particulares do remate de cumes: a) Cavalos, Serra do Caldeirão; b ) Barretos, Marvão. O rolo de giestas que remata o cume é apertado por ramas do mesmo material espetadas na espessura da cobertura: 298 Págs.

Des. 97 - Vários processos de defender as colmaduras do vento: 299 Págs.

Des. 98 - Barroso. Abertura na cobertura de colmo para saída do fumo: 301 Págs.

Des. 99 - Processos de vedação dos cumes, em coberturas de xisto: 304 Págs.

Des. 100 - Arga de Cima, Caminha. Espigueiro de pedra: 305 Págs.

Des. 101 - Almodóvar. Pormenores do revestimento das serras de palha: 309 Págs.

Des. 102 - S. João dos Caldeireiros, Mértola. Pormenores do revestimento das serras: 310 Págs.

Des. 103 - Vale de Açor, Mértola e Póvoa, Moura. Pormenores do revestimento das serras de palha: 311 Págs.

Des. 104 - Terrugem. Elvas. Pormenores do revestimento das serras de palha: 312 Págs.

© Etnográfica Press, 1988

Licence OpenEdition Books

Cette publication numérique est issue d’un traitement automatique par reconnaissance optique de caractères.
Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search