Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

População, Família, Sociedade

 | 
Robert Rowland

Anexo

Texte intégral

Quadro A.1. Nupcialidade em Portugal continental na segunda metade do século XIX (1864-1899): análise longitudinal da carreira matrimonial da geração nascida em 1849

Quadro A.1. Nupcialidade em Portugal continental na segunda metade do século XIX (1864-1899): análise longitudinal da carreira matrimonial da geração nascida em 1849

Chave:
SMAM Idade média de acesso ao matrimónio;
IM Intensidade do matrimónio (% da geração ainda solteira aos 50 anos);
CD Celibato definitivo (% da geração ainda solteira aos 50 anos);
MIG50 Saldo migratório masculino (% da geração ausente aos 50 anos).
Notas:
* Valores corrigidos por referência a uma população estável, modelo ‘Sul’:
Distrito de Aveiro com e
o (F) = 32,5 e R = 0,59%
Distrito de Beja com e
o (F) = 22,5 e R = 0,34%
Distrito de Braga com e
o (F) = 37,5 e R = 0,23%
Distrito de Bragança com e
o (F) = 27,5 e R = 0,53%
Distrito de Castelo Branco com e
o (F) = 30,0 e R = 0,62 %
Distrito de Coimbra com e
o (F) = 32,5 e R = 0,67%
Distrito de Évora com e
o (F) = 27,5 e R = 0,53%
Distrito de Faro com e
o (F) = 25,0 e R = 1,0%
Distrito da Guarda com e
o (F) = 27,5 e R = 0,62%
Distrito de Leiria com e
o (F) = 32,5 e R = 0,81%
Distrito de Lisboa com e
o (F) = 42,5 e R = 0,88%
Distrito de Portalegre com e
o (F) = 27,5 e R = 0,47%
Distrito do Porto com e
o (F) = 37,5 e R = 0,76%
Distrito de Santarém com e
o (F) = 32,5 e R = 0,87%
Distrito de Viana do Castelo com e
o (F) = 42,5 e R = 0,25%
Distrito de Vila Real com e
o (F) = 27,5 e R = 0,44%
Distrito de Viseu com e
o (F) = 32,5 e R = 0,45%
** Concelhos cujos valores foram agregados com outros.

Quadro A2. Estrutura familiar por concelho, Portugal, 1960

Quadro A2. Estrutura familiar por concelho, Portugal, 1960

Nota: para a definição das variáveis ver capítulo 4, secção III.

Quadro A.3. Contexto socioeconómico do sistema familiar, por concelho, Portugal, 1960

Quadro A.3. Contexto socioeconómico do sistema familiar, por concelho, Portugal, 1960

Chave:
MIGTOT Repulsão populacional 1951-60: saldo migratório negativo (1951-60), como percentagem da população recenseada em 1950 (resultados inéditos de investigações do Eng.° Alberto Alarcão, do Centro de Estudos de Economia Agrária do Instituto Gulbenkian de Ciência, gentilmente cedidos pelo autor)
MIGCAS Emigração diferencial dos homens casados: diferença para 100 da relação de masculinidade dos casados nos concelhos em que essa relação é inferior a 100; corresponde à percentagem de mulheres casadas cujo marido se encontra ausente
TRABASS Trabalhadores assalariados: trabalhadores por conta de outrem (empregados, assoldados ao ano, assalariados e tarefeiros), como percentagem da população activa masculina com profissão.
AGRC Emprego agrícola: população activa masculina com profissão na agricultura (%)
INDEP Agricultores independentes: percentagem dos proprietários, parceiros e rendeiros (patrões e isolados) na população activa masculina com profissão na agricultura
AGPROP Agricultores proprietários: percentagem dos proprietários (patrões e isolados) na população activa masculina com profissão na agricultura
AGFAM Agricultura familiar: percentagem de isolados (proprietários, parceiros e rendeiros) na população activa masculina com profissão na agricultura
INDPROP Independentes proprietários: Percentagem de proprietários (patrões e isolados) no total dos agricultores independentes
PROPFAM Proprietários com agricultura familiar: percentagem de isolados no total dos agricultores proprietários
DENSAG Densidade da população agrícola/intensidade da agricultura: densidade da população multiplicada pela percentagem da população activa masculina com profissão na agricultura (AGRC) (log
e)

Quadro A4. Complexidade do sistema familiar, Portugal, 1864-1960 (número médio de mulheres adultas* por agregado doméstico)

Quadro A4. Complexidade do sistema familiar, Portugal, 1864-1960 (número médio de mulheres adultas* por agregado doméstico)

Notas:
* mulheres com 25 anos ou mais (em 1864 e 1878, com 26 anos ou mais);
** concelhos cujos valores foram agregados com os de outros(s) concelhos(s): ver capítulo 3, nota 28.

Quadro A5. Complexidade do sistema familiar, Portugal, 1801 (número médio de mulheres adultas por agregado doméstico)

COMARCA

n

COMARCA

n

COMARCA

n

Valença

1,10

Aveiro

1,12

Alenquer

1,00

Viana

1,15

Viseu

1,16

Torres Vedras

1,03

Bragança

1,10

Linhares

1,01

Lisboa

1,12

Moncorvo

1,02

Coimbra

1,07

Ribatejo

1,06

Miranda

1,01

Arganil

1,14

Avis

0,91

Braga

1,11

Guarda

1,03

Vila Viçosa

0,97

Barcelos

1,13

Castelo Branco

0,94

Elvas

0,83

Guimarães

1,10

Leiria

1,04

Setúbal

0,94

Vila Real

1,11

Chão de Couce

1,16

Évora

1,03

Porto

1,00

Tomar

1,06

Beja

0,92

Penafiel

1,03

Crato

1,10

Ourique

0,89

Feira

1,02

Ourém

1,03

Lagos

0,89

Lamego

1,05

Alcobaça

1,03

Faro

0,95

Trancoso

0,97

Santarém

0,99

Tavira

0,93

Pinhel

0,97

Portalegre

0,98

Table des illustrations

Titre Quadro A.1. Nupcialidade em Portugal continental na segunda metade do século XIX (1864-1899): análise longitudinal da carreira matrimonial da geração nascida em 1849
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-1.jpg
Fichier image/jpeg, 588k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-2.jpg
Fichier image/jpeg, 636k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-3.jpg
Fichier image/jpeg, 620k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-4.jpg
Fichier image/jpeg, 636k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-5.jpg
Fichier image/jpeg, 632k
Légende Chave:SMAM Idade média de acesso ao matrimónio;IM Intensidade do matrimónio (% da geração ainda solteira aos 50 anos);CD Celibato definitivo (% da geração ainda solteira aos 50 anos);MIG50 Saldo migratório masculino (% da geração ausente aos 50 anos).Notas:* Valores corrigidos por referência a uma população estável, modelo ‘Sul’:Distrito de Aveiro com eo (F) = 32,5 e R = 0,59%Distrito de Beja com eo (F) = 22,5 e R = 0,34%Distrito de Braga com eo (F) = 37,5 e R = 0,23%Distrito de Bragança com eo (F) = 27,5 e R = 0,53%Distrito de Castelo Branco com eo (F) = 30,0 e R = 0,62 %Distrito de Coimbra com eo (F) = 32,5 e R = 0,67%Distrito de Évora com eo (F) = 27,5 e R = 0,53%Distrito de Faro com eo (F) = 25,0 e R = 1,0%Distrito da Guarda com eo (F) = 27,5 e R = 0,62%Distrito de Leiria com eo (F) = 32,5 e R = 0,81%Distrito de Lisboa com eo (F) = 42,5 e R = 0,88%Distrito de Portalegre com eo (F) = 27,5 e R = 0,47%Distrito do Porto com eo (F) = 37,5 e R = 0,76%Distrito de Santarém com eo (F) = 32,5 e R = 0,87%Distrito de Viana do Castelo com eo (F) = 42,5 e R = 0,25%Distrito de Vila Real com eo (F) = 27,5 e R = 0,44%Distrito de Viseu com eo (F) = 32,5 e R = 0,45%** Concelhos cujos valores foram agregados com outros.
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-6.jpg
Fichier image/jpeg, 520k
Titre Quadro A2. Estrutura familiar por concelho, Portugal, 1960
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-7.jpg
Fichier image/jpeg, 408k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-8.jpg
Fichier image/jpeg, 432k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-9.jpg
Fichier image/jpeg, 392k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-10.jpg
Fichier image/jpeg, 396k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-11.jpg
Fichier image/jpeg, 416k
Légende Nota: para a definição das variáveis ver capítulo 4, secção III.
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-12.jpg
Fichier image/jpeg, 388k
Titre Quadro A.3. Contexto socioeconómico do sistema familiar, por concelho, Portugal, 1960
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-13.jpg
Fichier image/jpeg, 624k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-14.jpg
Fichier image/jpeg, 648k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-15.jpg
Fichier image/jpeg, 636k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-16.jpg
Fichier image/jpeg, 620k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-17.jpg
Fichier image/jpeg, 616k
Légende Chave:MIGTOT Repulsão populacional 1951-60: saldo migratório negativo (1951-60), como percentagem da população recenseada em 1950 (resultados inéditos de investigações do Eng.° Alberto Alarcão, do Centro de Estudos de Economia Agrária do Instituto Gulbenkian de Ciência, gentilmente cedidos pelo autor)MIGCAS Emigração diferencial dos homens casados: diferença para 100 da relação de masculinidade dos casados nos concelhos em que essa relação é inferior a 100; corresponde à percentagem de mulheres casadas cujo marido se encontra ausenteTRABASS Trabalhadores assalariados: trabalhadores por conta de outrem (empregados, assoldados ao ano, assalariados e tarefeiros), como percentagem da população activa masculina com profissão.AGRC Emprego agrícola: população activa masculina com profissão na agricultura (%)INDEP Agricultores independentes: percentagem dos proprietários, parceiros e rendeiros (patrões e isolados) na população activa masculina com profissão na agriculturaAGPROP Agricultores proprietários: percentagem dos proprietários (patrões e isolados) na população activa masculina com profissão na agriculturaAGFAM Agricultura familiar: percentagem de isolados (proprietários, parceiros e rendeiros) na população activa masculina com profissão na agriculturaINDPROP Independentes proprietários: Percentagem de proprietários (patrões e isolados) no total dos agricultores independentesPROPFAM Proprietários com agricultura familiar: percentagem de isolados no total dos agricultores proprietáriosDENSAG Densidade da população agrícola/intensidade da agricultura: densidade da população multiplicada pela percentagem da população activa masculina com profissão na agricultura (AGRC) (loge)
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-18.jpg
Fichier image/jpeg, 576k
Titre Quadro A4. Complexidade do sistema familiar, Portugal, 1864-1960 (número médio de mulheres adultas* por agregado doméstico)
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-19.jpg
Fichier image/jpeg, 364k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-20.jpg
Fichier image/jpeg, 380k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-21.jpg
Fichier image/jpeg, 400k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-22.jpg
Fichier image/jpeg, 384k
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-23.jpg
Fichier image/jpeg, 384k
Légende Notas:* mulheres com 25 anos ou mais (em 1864 e 1878, com 26 anos ou mais);** concelhos cujos valores foram agregados com os de outros(s) concelhos(s): ver capítulo 3, nota 28.
URL http://books.openedition.org/etnograficapress/docannexe/image/452/img-24.jpg
Fichier image/jpeg, 344k

© Etnográfica Press, 1997

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540

Acheter

Volume papier

amazon.fr