Version classiqueVersion mobile

Famílias no campo

 | 
Karin Wall

Índice Remissivo

Texte intégral

A

Agregado doméstico (ver Grupo Doméstico)

Agricultura, 14, 15, 23 (ver também Lavradores)
camponesa
e factores de produção nos anos 40, 113-115
e política do Estado Novo, 170
e economia agrícola em declínio, 63-64, 72
(ver também Mudança Social na agricultura)
família e reconversão da, 208-216, 258, 289 (ver também Lavradores/família empreendedora)
inserção dos jovens na, 243-244 e introdução de tractores antes dos anos 60, 178 (ver também Mudança Social na agricultura)
mecanização da, 196-197, 218 (ver também Mudança Social na agricultura)
mudanças antes da Segunda Guerra Mundial na, 177-178
e noção de sujo, 195
e passagem para a produção de leite, 210-212, 218, 271-273
e policultura, 170
e transformações na repartição da população agrícola, 64, 65, 72-73

Alimentação (ver também Autosuficiência e Lavradores)
e modo de produção do «comer», 116-117
e estatuto da mulher do lavrador, 208
norma ideal das famílias de lavradores e, 113, 116, 150, 195
e pão como riqueza das casas de lavoura, 113-114
repartição da, 150-152, 262-263
sobrevivência do grupo e valor da, 103

Almeida, João Ferreira de, 180

Apoio (ver também Entreajuda e Solidariedade)

familiar (para cuidar de idosos, deficientes e crianças pequenas), 19 das filhas solteiras que ficam com os pais, 49
dos grupos domésticos aos pobres, 33, 184, 198, 306-307
médico nos anos 40, 174
mútuo dos parentes co-residentes, 52-53, 57-58, 84, 88, 90, 95, 97-98
tipo de grupo doméstico e rede social de, 285-286

Ariès, P., 123, 126, 126n, 338

Arrendamento de terras, 114, 214

Auto-suficiência (ver também Alimentação, Casa e Lavradores) da casa de lavoura abastada e poupança, 103, 112-114
e casamento dos lavradores, 110, 138
do grupo e direitos individuais e conjugais, 164-165
e mercado, 170
pão como símbolo da, 116
perda de importância da, 195
e produção agrícola, 112-113, 117-119, 208-210
produção social da família com, 140, 189-190
como valor nas famílias de lavradores, 102-104, 194-195, 210

Avós e acolhimento de netos na sociedade rural antiga, 37-39, 49

B

Baixo Minho, 13 (ver também Gondifelos, Lemenhe e Vila Nova de Famalicão) e propriedade da terra, 15, 32-33

Baptista, F., 170, 172

Barbagli, M., 339

Brettel, C., 128, 336

C

Cabral, João de Pina, 103, 336

Cabral, Manuel Villaverde, 169

Casa(s) de lavoura, 41-42, 101-104 (ver também Auto-suficiência, Família tronco, Lavradores e Herança)
e aprendizagem de papéis de género, 121
e arquitectura das casas camponesas
dos anos 80, 193-194
de outrora, 101, 146-147,148
e auto-suficiência, 103, 128-129, 188-189, 267, 307
celibato dos filhos e sucessão da, 109-110, 329
e cozinha, 116-117, 219-221, 265-266
criação de novas, 107-108, 137-140
escolha do herdeiro e interesse da, 104, 128-130
e estratégias de exclusão dos filhos, 108
fechamento da, 322, 323
finalidades das famílias de lavradores e espaço da, 102
e formas de produção, 103-104
identidade individual e espaço social da, 126-127
e inclusão, 105-112
e ocupação do espaço segundo a situação de classe, 69-70
e parentesco alargado, 111-112
e passagem para a idade adulta, 127
percursos individuais e interesse da, 104
poder social e famílias de lavradores, 102-103, 168-189
produção do poder nas, 123-124
relações entre noras e sogras e apropriação do espaço da, 152
e relações sociais, 101, 168-189, 161
riqueza e pão, 113-114
e sobrevivência e reprodução social do grupo, 103, 225-226, 262-264
e sucessão, 108-110, 128-134

Casa da Misericórdia, 174, 174n

Casa do Povo, 174, 174n

Casal(ais) agrícola puro, 26-29, 75
e agricultura, 196-197, 216
aumento da proporção de,
(ver Conjugalização)
de camponeses, 28
e controlo da natalidade, 135-136, 234-241
(ver também Contracepção e Mulheres e contracepção) divisão do dinheiro no, 119-120, 154-158, 289-291
de dupla carreira, 78
e formas de coabitação nas famílias múltiplas, 151-154, 263-265
gestão e direcção da casa no, 147-148
grupo doméstico e interesses do, 151
e normas de procriação, 234-238
puros e homogamia profissional, 26-29, 75-77
(ver também homogamia)
em situações híbridas, 28, 75-76
sucessão e formação do, 135-136
de trabalhadores independentes, 76

Casamento, e actividade profissional dos cônjuges, 26-29
aliança, 242-254
arranjado, 47, 135-140, 144, 242, 246
e dote, 28, 49
e escolarização das raparigas, 78
nas famílias de caseiros e jornaleiros, 28-29, 51-52, 53, 55, 57
nas famílias de lavradores, 26-29, 47, 49, 135-140, 144-146, 187-188, 242-254
(ver também Lavradores)
e formação de grupos domésticos auto-suficientes, 104
e fabrico do enxoval das raparigas, 119
homogamia e estilos de, 246
e ideal de estabilidade, 249-250
interesse da casa e acesso ao, 135, 329
normas ideais de reciprocidade conjugal no, 145-146
(ver também Trocas conjugais)
e ruptura conjugal, 67, 250-254
sentimentos privilegiados no, 250-251, 253-254, 333
tardio, 135-136

Ciclo de vida familiar, 46, 56-57
agricultura e transições no, 275
e flutuações nas fronteiras do grupo doméstico, 105-107
individual, conjugal e familiar, 135-138
e sucessão, 50, 262
(ver também Herança e Lavradores)
e trocas, 329

Classe social, 24-27, 70-74
burguesia, 65
agrária, 26
e camponeses pobres, 52-55, 59-60
proprietários e poder simbólico, 71
(ver também Lavradores e Poder)
a tempo parcial, 16, 53, 68, 73, 313-319
e caseiros de terras, 16
e composição dos grupos domésticos, 34-46, 323-325
e dimensão média dos grupos domésticos, 35-36, 84-86, 323
e dinâmicas familiares, 58-61, 323-325
e família(s), 322-323, 329-330
complexas, 41-45
nucleares e monoparentais, 42-45, 60
mudança social e sentimento de, 65
e novas clivagens/recomposições, 70-71, 326-327
operária, 14, 76
pequena burguesia independente e proprietária, 26, 73
pequena burguesia técnica e de enquadramento, 26
e percurso social dos filhos, 46
(ver também Escola, Estratégias e Lavradores)
e trocas, 310-311
(ver também Trocas)

Código de 1940, 173, 173n

Coesão familiar (tipo de), 58 (ver também Dinâmica familiar)

Complexidade (ver Grupo doméstico e Família)

Conjugalização, 18-19, 67, 97-98, 199, 255, 264-265

Contracepção, 53-54, 57, 66, 135-136, 234-241 (ver também Mulheres e contracepção)

Costa, F. D., 128 Criados, 36, 64, 110-111, 143, 185-186, 262, 281-282

Criança(s), 16, 19-20, 58
cuidados/guarda das, 30, 54, 55, 79-80, 280-283
e educação/escola, 39, 47, 78, 120-121, 124-126, 175-177, 195
e diferenças entre rapazes e raparigas, 176-177
e estatutos diferenciados na casa de lavradores, 128
na família rural rica, 120
família e socialização das, 120-121, 259-262
e mudanças
na vida das, 79, 239-240
nas atitudes em relação às, 79-80
nas normas de procriação e significado social das, 135-136, 234-241
e sentimento da infância, 19-20, 238-240, 241-242, 256, 258, 329
trabalho e vida de, 16, 41, 53, 55-56, 119, 120-123,
(ver também Trabalho infantil e Trocas)

D

Desemprego, 67

Dimensão do grupo doméstico, 3437, 84-86 (ver também grupo doméstico)

Dinâmica familiar, 14, 254-256, 323-326, 328-335, 341 (ver também Família e Estratégias)
crítica à análise estática da, 105
na família complexa, 61
grupo doméstico e inclusão residencial, 105
e ligação à agricultura, 225-228, 267-276
situações de classe e diversidade da, 58-61, 323-325

Divisão do trabalho (ver também Casal, Casamento, Mulher, Poder e Trabalho)
no casal, 144-146, 147-150, 238, 271-286
e papéis de género no proletariado rural, 150
nas famílias de lavradores, 147-150, 267-286
e ideia de igualdade, 286-287

Divórcio (ver Casamento e ruptura conjugal)

Durães, M., 128

E

Educação das raparigas e gestão do dinheiro, 121-122 (ver também Crianças)

Emigração, 17, 23-24, 170-172
e aspirações dos emigrantes dos anos sessenta, 33, 54
para o Brasil e centros urbanos do país, 23, 37, 45
para França, 54, 65
práticas reprodutivas e impacto da, 236-237

Empresas pequenas empresas familiares, 66, 214
pequenas empresas semipatronais, 66

Entreajuda (ver também Apoio, Família complexa, Solidariedade e Trabalho)
conjugal e estratégias familiares, 77
na família, 56-58, 114, 148-149, 258-259
feminina para a realização do trabalho doméstico, 29-30, 280-284
entre mães e filhas, 51, 147
entre pais e filhos, 267-270, 272-274
entre vizinhos, 53, 55, 186-187, 306-308

Escola, 16, 78-79, 120, 175-177
e educação na Primeira República, 177

Espaço doméstico, 96, 146-147 (ver também Casas)
e diferentes círculos de inclusão, 108-112
investimento no, 219-220
e noções de limpo e sujo, 221-222
e separação do espaço agrícola, 194, 233-234, 255, 302
utilização diferenciada do, 146, 220-221

Estado e intervenção na família, 326-327
Novo, 17, 178
e agricultura camponesa, 170
e corporativismo, 168, 174-175
e educação, 175-177
e ideologia familialista, 169
e mudança de regime em 1974, 70
e quotas de cereais, 175
sistema de relações entre lavradores e, 168-169, 172-175, 305-306
e Sociedade sem providência, 33, 322

Estratégias (ver também Casamento, Dinâmica Familiar e Família) familiares
de conservação e acumulação do património fundiário, 102, 115-116, 328
(ver também Sucessão)
de cooperação económica, 77
de estabelecimento dos filhos de lavradores, 110, 205-206
de formação do casal, 27-29
de inclusão na residência nos lavradores, 107
e percursos escolares, 78-79, 204-206, 259, 267-269
e ideia de vocação, 206-207, 227, 229
segundo a situação de classe, 56, 61
face ao trabalho industrial, 19
de formação das famílias complexas, 41-42, 109, 328-329
matrimoniais dos lavradores, 47, 49, 135-140, 242-254
(ver também casamento)
procriativas modernas, 234-238, 255 (ver também Contracepção, Casal, Criança e Mulheres e contracepção)
profissionais dos trabalhadores assalariados, 71
de rentabilização da actividade agrícola, 196-197, 214-215
de transmissão do património fundiário, 130-134, 160-164

Estrutura(s) e dimensão média da família, 1819, 34-37
domésticas e percursos de vida, 46-58
familiares, 17, 26-29, 34-46
e hierarquização social, 26
social familialista, 189

F

Fábricas, 15 (ver também Sociedade industrial e urbana)

Família(s) (ver também Casamento, Dinâmica familiar, Estratégias, Grupo doméstico e Poder) agrícolas puras, 75
alcunhas das, 185
de assalariados do secundário, 15, 92
camponesa, 14, 92-93
de camponeses a tempo parcial, 15, 75, 93-95, 286-292
capitais sociais e económicos das, 79
de caseiros, 15, 51-53, 59-60
companheirista, 58, 341
complexas, 41-42, 61, 87-90, 9298, 200-205, 323-324, 329, 339-341
alargadas, 17, 19
para cima, para os lados e para baixo, 37
e trabalhadores fabris, 19
e apoio à mulher lavradeira, 79-80
e comportamentos de alargamento familiar, 19
e estrutura múltipla, 36
na pequena burguesia independente e na burguesia proprietária, 96-97
conjugal, 64-65
e empresarialidade, 19
(ver também Lavradores e Família empreendedora)
e ética, 97
na Europa Ocidental, 17-18
(ver também tese da nuclearização progressiva da família)
fortificada, 324
(ver também Famílias de Lavradores)
instável, 18
instituição, 64, 66-67, 339
de jornaleiros agrícolas, 15, 16, 55-56, 60
de lavoura/lavradores
(ver Família tronco e Lavradores)
monoparentais, 36
de mulher solteira com filhos ilegítimos, 42-46, 185
e mudança, 84-98
mutável, 324
(ver também Classe social/Jornaleiros agrícolas)
e nível de vida, 80-81
nucleares, 17, 18, 36
e cooperação económica, 64, 276-277
no passado e no presente, 17-18, 326-335
pluralidade das formas familiares em meio rural, 15, 58-61
e propriedade da terra, 15, 32-33
e qualidade das relações familiares, 18
e repartição/gestão do dinheiro, 52, 54, 80, 154-158, 287
solidárias, 324
(ver Classe social e camponeses pobres)
tronco, 14, 16, 18, 41-42, 46-48, 58-59, 189-191, 330-335
e criação de laços e continuidade da casa, 189-191
como unidade de trabalho, 57

Finalidades (ver também Lavradores)
do casamento, 249-251
da famílias de lavradores (instrumentais e institucionais), 102-104, 114-115, 169, 193-194
(ver também Famílias de lavradores, Lavradores e Casa)
internas e externas das famílias
empreendedoras, 197-199, 256-262
e procriação, 134-135, 234-241, 255
da vida doméstica, 33, 58-61

Freguesia(s) Junta de, 173n, 174
organização política até aos anos 40 das, 173-174

G

Genealogias familiares, 165-168, 298-305

Gondifelos, 15, 23 (ver também Lemenhe)
caracterização da freguesia nos anos 80, 67-68
caracterização social da freguesia, 23, 73-74, 75
comparação socioeconómica com Lemenhe, 26
contributo para o crescimento global da economia, 170
crescimento populacional, 23
dimensão média dos grupos domésticos, 34-36
estrutura familiar dos grupos domésticos nos anos 80, 89, 91
nível de vida e situação de classe das famílias, 32-33, 80-81
proporção de famílias monoparentais em Gondifelos, 46
recomposição socioprofissional nos anos 80, 73-74
situação socioprofissional da população no sector primário e secundário, 26
e tipos de grupos domésticos, 36-37, 40, 89, 91

Grémio de Lavoura, 178

Grupo(s) doméstico(s), 40, 89 (ver também Família e Nuclearização)
complexos, 19, 35-37, 87-90
dependência entre indivíduo e, 84, 123-124
dimensão dos, 35-37, 84-86, 323-324
estrutura familiar dos, 40, 89, 323-324
sucessão e ciclo de vida, 231
e fronteiras com a família, 33-34
dos lavradores, 206
definição dos, 101-104
e fronteiras de inclusão, 105, 111-112
e ritmos de vida quotidianos, 222-225
monoparentais, 36-37, 42, 44, 86, 91-92
nucleares, 36, 86, 97-98
de pessoas aparentadas sem núcleo, 36-37
de pessoas sós, 37
pobres, remediados e mais que remediados, 31-32
e sobrevivência individual, 33
e transformação da estrutura do agregado ao longo do tempo, 3334, 39, 56-57, 105-108
e transições familiares, 45-46
trocas entre, 41
(ver também Trocas)

H

Herança (ver Sucessão)

Heterogamia, 188,247-250, 277 (ver também Homogamia)

História(s)
dos agregados domésticos na Europa do Sul, 336-337
pessoais de um emigrante e lavrador em Lemenhe, 171-172
de uma filha de caseiros a pequena proprietária de terras, 51-53
de uma jornaleira agrícola, 55-56
de um filho de jornaleiros, 53-54
de um filho de lavrador a lavrador abastado, 46-48
de um filho de lavrador a lavrador rico, 48-50
da vida familiar, 58-61

Homogamia, 28, 75-76, 135-140, 246 parcial e dificuldades de escolha
do cônjuge, 247

I

Igreja Católica
e contracepção, 234-235 (ver Contracepção)
e famílias de lavradores, 177-179
pagamento da dízima à, 178
e religiosidade rural em Portugal, 179-181

Infância (ver Criança)

Integração (ver Lavradores)

Interacção familiar (ver Dinâmica familiar)

J

Jorna, 15

Jornaleiros agrícolas, 16, 182 (ver também famílias de...e Criados)
como intermediários entre o espaço interior e exterior da casa dos lavradores, 183-184
modo de vida dos, 55-56

K

Kellerhals, Jean, 102, 341

L

Lavrador(es), 13, 15, 16, 58-59 (ver também Casa, Auto-suficiência e Sucessão)
família(s) de,
(ver também Família tronco), 14-16
análise diacrónica da composição das, 105-108
apresentação pessoal das, 119-120
conflitos sobre a repartição patrimonial nas, 161-164
e educação dos filhos, 20, 225-229
direitos dos indivíduos nas, 126-127, 165
como família empreendedora, 198, 212-213
dinheiro/rentabilidade vs. auto-suficiência nas, 198, 207, 218, 224-225, 233, 256-257, 330-331
e heterossuficiência, 199
lugar do indivíduo nas, 199
finalidades das, 102-104
poupança como, 115
e hierarquia, 104
modo de inclusão nas, no passado, 105-112
no presente, 200-207, 262
modo de produção nas, no passado, 112-140
no presente, 207-256
mudanças nas, 193-311, 330-335
no passado, 101-191
projecto familiar ideal das, 102-103,114-115, 193-194
e regulação familiar, 103, ,124, 128-129
e relações com o exterior, 168-189, 305-311
relações sociais nas, 58-59
«segurar» de herdeiros e formação de, 109-110, 189-190, 225
sucessão e procriação nas, 134-135
como unidade social elementar, 102
e diversificação das actividades, 172-173, 207
e estilos de vida modernos, 222-223
estratégias de estabelecimento dos filhos de, 110, 291-305
ética do trabalho nos, 122, 216-217, 225, 267
e mediação social, 186-187
e normas alimentares, 116-117
qualidades humanas valorizadas pelos, 120
trabalho e poupança, 114, 218-219
e valor da terra, 114-115, 257

Lemenhe, 15, 23 (ver também Gondifelos)
caracterização da freguesia nos anos 80, 68-69
caracterização social da freguesia, 23, 31-32, 73-74, 75
comparação socioeconómica com Gondifelos, 26
contributo para o crescimento global da economia, 170
crescimento populacional, 23
dimensão média dos grupos domésticos, 34-36
estrutura familiar dos grupos domésticos nos anos 80, 89, 91
nível de vida e situação de classe das famílias, 31-32, 80-81
proporção de famílias monoparentais em Lemenhe, 46
recomposição socioprofissional nos anos 80, 72-73
situação socioprofissional da população no sector primário e secundário, 26
e tipos de grupos domésticos, 36-37, 40, 84-98

Le Play, 18 (ver também família tronco, família instável)

Lisón-Tolosona, C., 336

M

Memória comparação entre o passado e o presente, 24

Métodos entrevistas estruturadas, 15, 16
histórias de vida, 16
observação directa, 15, 16

Mobilidade
no casal, 56-57
profissional e geográfica, 84, 236, 340
social, 31, 57-58, 64-66, 73-74, 82-84

Modo de inclusão (ver lavradores)

Modo de produção (ver lavradores)

Mónica, Maria Filomena, 175-177

Mudança Social, 13
na agricultura, 177, 195-196, 210-213, 225-226
no Baixo Minho, 63-64, 326-327
e casas, 13, 69-70, 193-194, 233-234
e conciliação entre trabalho doméstico e actividade profissional na família rural, 30
na economia familiar assalariada, 58, 214, 329
na estrutura socioprofissional, 72-74
e Europa pré e pós-industrializada e diversidade das formas familiares, 19, 336-337
e família, 19, 254-256, 327-330
e introdução de hábitos de lazer, 222-224
e organização da vida doméstica, 84, 97-98, 222-223
e participação do homem no trabalho doméstico e cuidados com os filhos, 77, 279-286
e política em Portugal a partir dos anos setenta, 63-67
e reorganização da vida doméstica nos anos oitenta, 84-97
no significado social da poupança, 218-219
nas situações de monoparentalidade, 64
na sociedade rural portuguesa, 14, 63-64, 70-74

Mulher(es) (ver também Casamento, Família e Poder)
e auto-suficiência alimentar, 208,
e contracepção, 134-135, 183-184, 234-241
e divisão do trabalho agrícola com os homens, 148-150, 267-279
domésticas, 77
e empresa familiar, 77
e emigração, 58
expectativas das, 77-78
e feminização do campesinato pobre e proletariado agrícola nos anos 80, 72-73
e herança, 145
e identidade feminina e família, 77
mães solteiras, 185
(ver também Família monoparental)
e fuga à domesticidade, 147, 276
e trabalho doméstico, 30, 77, 119, 147, 208, 219, 279-286
e trabalho na fábrica, 76
trabalho e filhos, 238-239, 241, 281-284
e trabalho na sociedade rural, 25, 144, 147, 267-279

N

Namoro
e escolha do cônjuge, 28, 135-140, 187-188, 242-247, 251
estratégias matrimoniais sem, 139-140
e locais de encontro, 137-138

Nível de vida das famílias
no passado, 24, 31-33
no presente, 80-81,216-217,261-262

Nuclearização progressiva da família, 84, 97-98, 258, 311, 328
tese da, 18-19, 34

P

Pobreza, 19, 24, 31-33, 67, 322
e separação entre ricos e pobres. 67-68
e trabalho doméstico do homem. 30

Poder, 123, 126
castigos, disciplina e exercício do. 123-125, 260-261
e fabricação do estatuto, 124-125
dos lavradores, 169, 188, 305-306, 334
e relações conjugais, 145-146, 155-159, 278-279
masculino e feminino, 278-279

Pollock, L., 338

Privatização dos comportamentos familiares, 66-67, 329

Procriação (ver Casal, Contracepção, Criança e Mulheres e Contracepção)

Projecto familiar (ver Finalidades e Lavradores)

Propriedade da terra (ver Família e propriedade da terra)

R

Recenseamento, 23

Regulação familiar (ver Lavradores)

Representações
sobre a escolha do cônjuge, 242-247
sobre o estatuto actual da agricultura, 195-196, 243
hiato entre práticas e, 334-335
sobre o passado e o presente, 71
sobre trabalho, casamento e família, 46

Rol(óis) de Confessados, 17, 26, 31, 33, 105, 200, 325

S

Segalen, Martine, 154n, 155n

Sexualidade, 251-252

Shorter, Edward, 338

Sistemas familiares, 336-337

Sociabilidades de classe, 322-323
domésticas, 263
familiares e trabalho, 127
femininas, 127

Sociedade agrícola/rural, 13 (ver também agricultura)
e agricultura camponesa, 13, 112-113
e espaço rural, 13
família como unidade base da organização social na antiga, 189
e laços sociais, 25
mobilidade social até aos anos 60 na, 172
do Noroeste português, 61
e produção doméstica e comunitária, 25
vida familiar na antiga, 58-61, 101-191, 321-326

Sociedade industrial e urbana, 13, 19
crescimento dos trabalhadores do sector secundário e terciário nos anos oitenta, 73-74
e empresários, 15
espaço semi-industrializado, 13-14, 66
família companheirista na, 58, 329
formas de organização do trabalho na indústria, 66
e formas de produção artesanais e manufactureiras, 14, 23
indústria têxtil e de confecção, 13, 23, 321
e competitividade, 67
impacto da industrialização, 19, 63-98
processo de industrialização, 14, 69, 84, 326
proto-industrial, 23, 67, 321
e vida familiar, 19
(ver também família)

Sociologia da Família, 335

Solidariedade (ver entreajuda e apoio)
conjugal e familiar, 103-104
familiar e educação, 58
nas famílias de lavradores, 103-104, 187-188
(ver também lavradores e famílias de lavradores)
instrumental (cultura familiar de), 66

Sucessão, 48, 52, 56, 128-134, 141-142, 159-164, 229-234, 256, 291-298 (ver também Trocas)
assistida, 234, 242, 291-292, 298
e escolha do cônjuge, 243-244, 250
e escolha do herdeiro nas famílias de lavradores, 105, 109-112, 225-229
e estratégias familiares, 41-42, 229-234
e finalidades das famílias de lavradores, 233-234
(ver também Auto-suficiência e Casa)
negociação familiar e produção moderna da, 234
e normas ideais de transmissão do património,
128-134, 229-234
e princípios de justiça, 292-293
e pertença à casa, 111-112
e poder, 229
sistema preciputário de, 108, 229-23

e transmissão da propriedade de pais para filhos, 48, 52, 108-109, 229, 231-233, 238, 333-334

T

Tepicht, J., 170

Trabalho (ver também Divisão do trabalho e Lavradores)
assalariado, 15
e capital, 217-218
descanso e alimentação, 122-123
doméstico, 119, 147
ao domicílio, 15, 23, 66, 322
e especialização por sexo, 30,147-150, 267-287
ética do, 24, 66, 222-225
exploração rural rica e organização do, 113, 114
familiar, 79, 127, 149
e lazer, 222-225
mudança no conceito de, 207
precoce/infantil, 16, 26-27, 51, 53, 55, 76, 125, 148-149, 185
e relações sociais, 24, 114-115
e ritmo da vida quotidiana, 24

Trajectória(s)
doméstica, 56-58, 105-107
e percursos individuais, 46-58
e transições familiares, 107
familiares e profissionais, 16
dos filhos, 241-242, 293-298
(ver também Crianças e Escola)
e reconversão das actividades socioprofissionais segundo a situação de classe, 72-74
das mulheres lavradeiras, 276
individuais e vida familiar, 46
intergeracionais nas famílias ligadas à actividade agrícola, 81-84
e capitalismo familiar, 97

Transições de vida (ver Ciclo de vida)

Trocas (ver também Casa, Divisão do trabalho, Entreajuda entre pais e filhos e mães e filhas, Famílias complexas e Poder)
entre campesinato abastado e outros grupos sociais, 181-184, 306-307
entre os camponeses pobres, 310
nas famílias múltiplas de lavradores, 154-155
na família rural abastada, 140-146, 256-262
de alimentos nas famílias de lavradores, 150-151, 262-263
cálculo e reciprocidade nas relações de, 142, 261-262, 287-288
conjugais e amplitude da dívida entre os cônjuges, 144-145, 154-15
contribuições e retribuições nas relações de, 140-146, 256-262
normas de, 159-160, 164-165, 257-258, 267-268, 296-298
relações de troca entre pais e filhos, 141-142, 159-160, 259-260
entre gerações, 140, 257-258

U

Urbanização fraca, 14, 67-70

V

Velhice, 57 (ver também Apoio) preocupação dos pais com a, 128 apoio aos pais na, 258-259

Vila Nova de Famalicão, 15, 63-66, 174, 178 (ver também Gondifelos e Lemenhe)

© Etnográfica Press, 1998

Licence OpenEdition Books

Cette publication numérique est issue d’un traitement automatique par reconnaissance optique de caractères.

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search