Vous l’avez sans doute déjà repéré : sur la plateforme OpenEdition Books, une nouvelle interface vient d’être mise en ligne.
En cas d’anomalies au cours de votre navigation, vous pouvez nous les signaler par mail à l’adresse feedback[at]openedition[point]org.

Précédent Suivant

Ilustrações

p. I-XVI


Texte intégral

Image 10000000000003490000022AE4CEB0FB.jpg

Lavra com uso de muares e arado de madeira, no Baixo Alentejo (c. 1900) Foto: autor desconhecido, colecção particular

Image 100000000000034E0000020769CBE7F0.jpg

Operações de preparação da debulha a sangue no Baixo Alentejo (1906) - os carros, bem como os instrumentos agrícolas, eram fabricados na região
Foto: autor desconhecido, colecção particular

Image 10000000000004EF000002F8714FCE8D.jpg

Transporte da locómovel no final das operações de debulha mecânica (Baixo Alentejo, 1905)
Foto: autor desconhecido, colecção particular

Image 100000000000048B000003170615C397.jpg

Boieiro e pastor no Baixo Alentejo, c. 1905 - o vestuário, o calçado e as mantas eram produções regionais
Fotos: autor desconhecido, colecção particular

Image 100000000000034C0000023EE4F11F31.jpg

Alfaiataria e seus empregados
Arcada de Paris, Rua João de Deus, Évora -
o fabrico de roupa era uma pequena indústria...
Foto: Eduardo Nogueira, 1935; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A0000001AD4EDB324E.jpg

Fabrico manual de rolhas, com garlopa, numa oficina - era frequentemente uma actividade acessória...
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A4000001AD157D0EEC.jpg

Fabrico de tijolos pelo processo «tradicional», operação de secagem - localizava-se na proximidade das povoações que serviam
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A3000001AFBBD8556C.jpg

Albardeiro - a persistência da tracção animal permitiu a sobrevivência dos sectores oficinais que os serviam...
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A1000001AE059A0F9F.jpg

Oficina de carpintaria de carros
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A2000001AC76273E1F.jpg

Fundição de bronze. Fabrico de chocalhos e sinos (Évora)
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A1000001AE445E3E4B.jpg

Cesteiro - o uso de cestos de verga estava muito difundido no Alentejo. Era uma «indústria caseira»
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A4000001AF1E19377D.jpg

Oficina de serralharia - desde finais do século XIX multiplicaram-se as pequenas oficinas de serralharia no Alentejo
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000001A0000001AD8B0C3AED.jpg

Carpintaria mecânica - este tipo de estabelecimentos começou a difundir-se ainda antes da I Guerra Mundial
Foto: autor desconhecido, colecção Maria José Patronilho, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 1000000000000349000001F601CD946B.jpg

Stand Eborense L.da (Praça Joaquim António de Aguiar, Évora) - o comércio automóvel, bem como o das máquinas agrícolas, tornou-se um novo ramo de negócios onde participaram comerciantes e proprietários
Foto: Eduardo Nogueira, 1930; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 100000000000034D00000230F97C8226.jpg

Transporte de cortiça em camião, Évora, anos ‘50
Foto: autor desconhecido, colecção J.L. Covita

Image 10000000000001A1000001AB26454E8D.jpg

Fabrico de amêndoas; aspecto de uma das linhas de produção da Fábrica do Fomento Eborense, em Évora, - o fabrico de chocolates, doces, bolachas, amêndoas e, mais tarde, de pastilhas elásticas, estava integrado © Arquivo Fotográfico da C. M. de Évora

Image 10000000000001A2000001AB3A39820D.jpg

Exploração de pedreiras (mármores). Pedreira da «cerca» da região de Vila Viçosa - a exploração de mármores era uma actividade de exportação e destinava-se também ao mercado nacional Foto: David Freitas, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 100000000000034D000004595B454ED6.jpg

Novas empresas de transporte automóvel. Autocarro «Mercedes» da firma de Inácio Capucho (Évora) - nos anos ‘30 desenvolveram-se as empresas de camionagem e de transporte de aluguer...
Foto: Eduardo Nogueira, c. 1936; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000002710000026DFCE77078.jpg

Fabrico de doces e bolachas; aspecto da maquinaria da Fábrica do Fomento Eborense (batedeiras eléctricas)
Foto: Marcolino Silva, c. 1960; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 100000000000034D0000022C621E464D.jpg

Operárias da Fábrica do Fomento Eborense (embalagem)
Foto: Marcolino Silva, c. 1960; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 100000000000034A0000020E8F56DA46.jpg

Quarta fase de construção da Fábrica de Papel «Celuloses do Guadiana» (vista parcial exterior), Mourão - a fábrica foi pensada para aproveitar palhas excedentes para fabricar «cartão americano»
Foto: David Freitas, 26-10-1954; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 100000000000034400000228D96BA9A8.jpg

Fábrica de Papel «Celuloses do Guadiana» (aspecto parcial do interior da linha de produção)
Foto: David Freitas, c. 1954; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 10000000000004E9000002D43E7DDF4D.jpg

Interior do Lagar de Azeite, no Redondo (vista parcial) - ao lado dos modernos lagares, que produziam azeite fino, persistiam ainda os sistemas antigos
Foto: David Freitas, s/ data; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 100000000000043A000002D68B6BAA06.jpg

Conjunto industrial da Fábrica dos Leões, em Évora (em primeiro plano, vista aérea) - a grande indústria moageira instala-se no Alentejo no início dos anos ‘20 do século XX
Foto: Carlos Tojo, 1984; © Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora

Image 1000000000000257000002692ACA6E12.jpg

Anúncio no Diário do Alentejo à ceifeira Adriance, em 3 de Julho de 1887

Image 10000000000002590000026BC7F5A164.jpg

Anúncio, no Eborense, de 1 de Novembro de 1896, da fundição de ferro de António José Alves, com a lista diversificada de instrumentos agrícolas, em ferro, que fabricava e o seu preço

Image 100000000000018B0000025E6B8C468B.jpg

Anúncio de grande formato no Manuelino de Évora, a I de Dezembro de 1901

Image 1000000000000213000002D71622CB2D.jpg

O historial da Companhia Eborense de Electricidade e dos seus principais protagonistas, na primeira página do Notícias de Évora, em 5 de Março de 1921

Image 100000000000033F0000046AAB2138E3.jpg

Anúncio, de uma página, da Companhia de Seguros «A Patria», no Notícias de Évora, 8 de Setembro de 1923

Image 10000000000001C10000028C537BC5AD.jpg

Pequenos anúncios das companhias de seguros «O Alentejo», de Eivas, e «A Europa», de Lisboa, no Notícias de Évora. 6 de Dezembro de 1919

Image 100000000000022C0000026F6DB62969.jpg

Anúncio aos capotes alentejanos, pela «Casa Alemtejana», de Bernardo Naia. Notícias de Évora, 2 de Novembro de 1926

Précédent Suivant

Le texte seul est utilisable sous licence Licence OpenEdition Books. Les autres éléments (illustrations, fichiers annexes importés) sont « Tous droits réservés », sauf mention contraire.