Vous l’avez sans doute déjà repéré : sur la plateforme OpenEdition Books, une nouvelle interface vient d’être mise en ligne.
En cas d’anomalies au cours de votre navigation, vous pouvez nous les signaler par mail à l’adresse feedback[at]openedition[point]org.

Précédent Suivant

Índice de tabelas

p. 553-558


Texte intégral

Tabela 1.1 – Repartição dos maiores contribuintes no concelho de Évora (imposto predial) por classes de rendimento, em 1890

37

Tabela 1.2 – Número de contribuintes, propriedades e rendimento predial colectável distribuídos pelos apelidos dos maiores contribuintes, no concelho de Évora em 1890

38

Tabela 1.3 – Distribuição dos maiores contribuintes prediais em Évora pelos seus atributos sociais, em 1890

40

Tabela 1.4 – Local de residência dos maiores contribuintes prediais de Évora, em 1890

40

Tabela 1.5 – Correlação entre a contribuição predial, industrial, sumptuária e juros na elite eborense

43

Tabela 1.6 – Distribuição por grupos sócio-profissionais do valor pago nas várias contribuições pelos eleitores recenseados em Évora e Beja

44

Tabela 1.7 – Lista dos eleitores maiores contribuintes industriais residentes em Évora

45

Tabela 1.8 – Artesãos e trabalhadores de ofício (sector I) no concelho de Évora em 1877

49

Tabela 1.9 – Artesãos e trabalhadores de ofício (sector II) no concelho de Évora em 1877

50

Tabela 1.10 – Fábricas e fabricantes (sector III), em Évora (1877)

50

Tabela 1.11 – Azenhas, moinhos, lagares, açougues e categorias sócio-profissionais associadas em Évora em 1877

51

Tabela 1.12 – Comércio por especialidades em Évora em 1877

53

Tabela 1.13 – Distribuição dos contribuintes industriais em Évora em 1877 pelos principais sectores do comércio e indústria

54

Tabela 1.14 – Grupos que mais pagavam contribuição industrial em Évora em 1877

55

Tabela 1.15 – Geradores e recipientes a vapor nos distritos de Évora e de Beja, 1901-1903 - Tipos de empresas proprietárias

57

Tabela 1.16 – Geradores, recipientes e motores a vapor nos distritos de Évora e de Beja, 1903-1904 - Aplicações em trabalho

58

Tabela 1.17 – Sociedades constituídas em Évora para a venda de cereais, 1889-1927

59

Tabela 2.1 – Distribuição do número de associações registadas em Évora de acordo com o seu tipo (1889-1960)

72

Tabela 2.2 – Distribuição do capital das associações registadas em Évora de acordo com o seu tipo (1889-1960)

76

Tabela 2.3 – Distribuição das sociedades registadas em Évora segundo o volume do capital social declarado (1889-1960)

77

Tabela 2.4 – Novas sociedades registadas, capital investido, sociedades canceladas ou dissolvidas e falências registadas em Évora (1889-1960).

80

Tabela 2.5 – Sociedades registadas em actividades industriais na área da 4.a Circunscrição Industrial, em Évora e total de registos industriais (1922-1951)

85

Tabela 2.6 – Maiores empresas industriais registadas em Évora, 1922-1951

86

Tabela 2.7 – Sociedades em comandita simples e por acções registadas em Évora (1889-1960)

88

Tabela 2.8 – Número de sociedades registadas em Évora distribuído por áreas de negócio (1889-1960)

94

Tabela 2.9 – Capital investido nas sociedades registadas em Évora, distribuído por áreas de negócio (1889-1960)

95

Tabela 2.10 – Elites eborenses - Participação em sociedades comerciais e industriais (1890-1960)

101

Tabela 3.1 – Estabelecimentos industriais registados nos distritos de Évora e de Beja (1902-1903)

124

Tabela 3.2 – Variação anual da actividade de registo na área da 4.a CI e processos transitados para o Ministério da Agricultura (1922-1951)

138

Tabela 3.3 – Número de estabelecimentos ou de actividades registadas e número de trabalhadores segundo a data de início da actividade estimada na área da 4.a CI

142

Tabela 3.4 – Principais actividades registadas na área da 4.a CI pelo RTN (1922-1951)

142

Tabela 3.5 – Distribuição das actividades registadas na 4.a CI pelo volume de emprego declarado, segundo as datas de início de laboração estimadas em diferentes épocas

143

Tabela 3.6 – Distribuição das actividades registadas na 4.a CI pelo volume de emprego declarado, segundo as datas de início de laboração estimadas em diferentes épocas (valores relativos)

144

Tabela 3.7 – Número de actividades registadas na 4.a CI, volume de emprego e dimensão média segundo a duração da actividade

147

Tabela 3.8 – Maiores empresas no Alentejo em 1925

152

Tabela 3.9 – Produções das minas da faixa piritosa alentejana e seu destino, 1938

157

Tabela 3.10 – C.ia Elvense de Moagens a Vapor - Lista dos maiores accionistas (1924)

178

Tabela 3.11 – Metalúrgica do Crato, L.da - Indicadores de evolução na década de 1950

182

Tabela 3.12 – As fábricas de lanifícios de Portalegre em 1881 e em 1923

189

Tabela 3.13 – Fábrica de Lanifícios de Portalegre-Encomendas do Estado, 1941-1962

192

Tabela 3.14 – Indústrias têxteis no Alentejo em 1957

194

Tabela 4.1 – Número de estabelecimentos e de trabalhadores registados na área da 4.a C.I - e directamente associados à Casa Agrícola alentejana (1922-1952)

204

Tabela 4.2 – Estabelecimentos registados de dimensão intermédia na 4.a C.I

206

Tabela 4.3 – Dimensão dos estabelecimentos corticeiros na área da 4.a C.I - registados entre 1922 e 1952

210

Tabela 4.4 – Número de estabelecimentos corticeiros e de trabalhadores na área da 4.a CI em 1890 e 1923

211

Tabela 4.5 – Inventário orfanológico de António Pais, industrial corticeiro da Azaruja, em 1899

212

Tabela 4.6 – Fábrica de preparação de cortiça de Pepe da Cruz Duque (Azaruja): situação em 1949 e em 1956

214

Tabela 4.7 – Fábrica de preparação e fabrico de rolhas de José Lopes dos Santos (Vendas Novas): situação em 1923, 1938 e 1942

215

Tabela 4.8 – Dispersão geográfica das actividades da fileira do pão na 4.a C.I

223

Tabela 4.9 – Lagares de azeite existentes no concelho de Aljustrel (distrito de Beja) em 24.Set. 1935

239

Tabela 4.10 – Distribuição geográfica das indústrias alimentares registadas na área da 4.a CI (1922-1952) *

252

Tabela 4.11 – Distribuição geográfica das indústrias de bebidas registadas na área da 4.a CI (1922-1952)

256

Tabela 4.12 – Distribuição geográfica das indústrias têxteis e anexas registadas na área da 4.a CI (1922-1952)

270

Tabela 4.13 – Indústria de fiação e tecelagem da lã no Alentejo em 1890 e em 1957

271

Tabela 4.14 – Distribuição geográfica das indústrias de curtumes, de correeiro e de albardeiro registadas na área da 4.a CI (1922-1952)

271

Tabela 4.15 – Distribuição por concelhos e sub-regiões dos estabelecimentos e emprego nas indústrias de curtumes no Alentejo em 1890 e em 1957

276

Tabela 4.16 – Distribuição geográfica das indústrias de vestuário e calçado registadas na área da 4.a CI (1922-1952)

281

Tabela 4.17 – Duração dos estabelecimentos de alfaiataria registados na área da 4.a CI entre 1922 e 1952

282

Tabela 4.18 – Duração dos estabelecimentos de sapataria e fabrico de calçado registados na área da 4.a CI entre 1922 e 1952

285

Tabela 4.19 – Distribuição geográfica das indústrias da madeira registadas na área da 4.a CI (1922-1952) *

285

Tabela 4.20 – Duração da actividade das oficinas de carpintaria registadas entre 1922 e 1952 na área da 4a CI

289

Tabela 4.21 – Distribuição geográfica das indústrias da construção registadas na área da 4.a CI (1922-1952)

290

Tabela 4.22 – Duração dos estabelecimentos de olaria e de fabrico de loiça registados entre 1922 e 1952 na área da 4.a CI

307

Tabela 4.23 – Distribuição geográfica das indústrias dos metais registadas na área da 4.a CI (1922-1952) *

309

Tabela 4.24 – Distribuição geográfica das indústrias dos transportes registadas na área da 4.a CI (1922-1952)

318

Tabela 5.1 – Trigos entrados na fábrica da Elvense entre Abril de 1917 e Fevereiro de 1918

339

Tabela 5.2 – Produtos da Elvense em armazém (1917-1918)

339

Tabela 5.3 – A activos da “secção eléctrica” da Elvense, 1913-1932

342

Tabela 5.4 – Receitas com a produção de electricidade e moagem de cereais, despesas de combustível e lucros

342

Tabela 5.5 – Hidroeléctrica Alto Alentejo: estrutura da produção e consumo de energia para venda, 1952-1953

352

Tabela 5.6 – Energia emitida e vendida pela Hidroeléctrica Alto Alentejo

352

Tabela 5.7 – União Fabril do Azoto: produção de sulfato de amónio, cota de mercado e resultados financeiros (1952-1962)

356

Tabela 6.1 – Número de indivíduos designados como “industriais” nos recenseamentos eleitorais no concelho de Évora, 1911-1939

362

Tabela 6.2 – Distribuição dos eleitores que pagavam mais de 10 mil réis de contribuição por grupos sócio-profissionais nos concelhos de Évora e de Reguengos (1901-1906)

365

Tabela 6.3 – Valor mínimo e máximo de imposto pago por cada categoria de identificação social dos indivíduos eleitores utilizada em Évora e em Reguengos em 1901-1906

366

Tabela 6.4 – Eleitores contribuintes que pagavam mais de 100 mil réis de imposto em Évora e Reguengos, por categorias de identificação social (1901-1906)

370

Tabela 6.5 – Distribuição etária dos eleitores que pagavam mais de 1.° mil réis (A) e mais de 100 mil réis (B) de imposto em Évora e em Reguengos (1901-1906)

371

Tabela 6.6 – Participação de grupos de actividade nas indústrias registadas no RTN (1922-1935)

375

Tabela 6.7 – Casos de mobilidade indiciada pela identificação social dos indivíduos registados em Évora no âmbito do RTN

376

Tabela 6.8 – Número de novos industriais sem qualquer passado e de pessoas que passaram a identificar-se como industriais em diferentes épocas

378

Tabela 6.9 – Distribuição etária dos industriais de Évora em 1930 e em 1939

379

Tabela 6.10 – Origem sócio-profissional dos industriais identificados nos recenseamentos eleitorais em Évora, 1890-1939

380

Tabela 6.11 – Engenheiros nos recenseamentos eleitorais em Évora (1919-1939)

382

Tabela 7.1 – Número médio anual de actos notariais por categoria (1880-1922)

410

Tabela 7.2 – Valor dos actos notariais em quatro categorias (média anual)

414

Tabela 7.3 – Média anual do número de actos notariais relativos empréstimos, dívidas contraídas e sua resolução em Évora no período 1880-1906 e em 1921

416

Tabela 7.4 – Média anual do valor dos actos notariais relativos empréstimos, dívidas contraídas e sua resolução em Évora no período 1880-1906 e em 1921

416

Tabela 7.5 – Número de actos de empréstimos e seu valor distribuídos por grupos sociais - Devedores e credores - (1880-1906)

421

Tabela 7.6 Número de actos de empréstimos e seu valor - Devedores e credores (1921)

421

Tabela 7.7 – Banco do Alentejo: número de acções e de accionistas (1907-1942)

434

Tabela 7.8 – Taxas municipais aplicadas sobre géneros pela Câmara Municipal de Évora e proposta do comércio

458

Tabela 7.9 – Caixa de Crédito Agrícola Eborense: empréstimos realizados e contraídos (1915-1922)

482

Précédent Suivant

Le texte seul est utilisable sous licence Licence OpenEdition Books. Les autres éléments (illustrations, fichiers annexes importés) sont « Tous droits réservés », sauf mention contraire.