Version classiqueVersion mobile

Elites e redes clientelares na Idade Média

 | 
Filipe Themudo Barata

IV. Das Sociedades Políticas ao arquivo

O Arquivo dos Condes de Marialva num inventário do século XVI

Luís Filipe Oliveira

Note de l’auteur

Agradeço à Dr.ª Lucília Runa, técnica superior do I.A.N./T.T., as informações e as indicações bibliográficas que amavelmente me facultou.

Texte intégral

  • 1 Veja-se o documento publicado em apêndice e adiante citado como Inventário. Apesar de ele não estar (...)
  • 2 Os poucos documentos anteriores àquela data (Ibidem, fls. 1 v., 3 v., 16 v., 18) não respeitam a me (...)
  • 3 Além dos exemplos citados na nota anterior, veja-se a doação ao mesmo Gonçalo Vasques do padroado d (...)

1Corria certamente o ano de 1565, quando se inventariaram, por determinação de D. António, prior do Crato, os papéis e as escrituras relativos às igrejas que haviam pertencido ao padroado dos condes de Marialva1. A iniciativa deu então origem a um caderno com 23 fólios em papel e capa de pergaminho, que hoje se guarda numa das Gavetas da Torre do Tombo, onde lhe foram atribuídas duas cotas diferentes, por se terem separado os últimos cinco fólios em data desconhecida. No conjunto, identificaram-se aí cerca de 40 igrejas e capelas do padroado dos condes, maioritariamente distribuídas pelas dioceses de Lamego, do Porto e de Viseu, para as quais se sumariaram mais de três centenas de documentos de tipologias diversas, que cobrem um vasto período cronológico, desde 1384 a meados do século XVI2. Em regra, os sumários foram realizados numa letra cuidada e com algum pormenor, embora na indicação das datas, quase sempre feita através da utilização de números árabes, raramente se tenha distinguido a Era hispânica da de Cristo3.

  • 4 Cf. F. Borja Aguinalde, “Elementos para una Historia de los Archivos y la Archivistica desde una pe (...)
  • 5 Cf. A. Braancamp Freire, Os Brasões da Sala de Sintra, Coimbra, vol. III, 1930, p. 348. No próprio (...)

2As razões da elaboração deste inventário, que era então um recurso arquivístico muito comum e um procedimento frequente desde os finais da Idade Média4, não se determinam com facilidade. Mas elas prendem-se, por certo, com o facto de aquelas igrejas se encontrarem então sob a administração de D. António, como se indica no próprio título do inventário. Em 1565, havia cerca de dez anos que ele geria aqueles bens, por sucessão a seu pai, o infante D. Luís, que fora beneficiado com a herança de Beatriz de Meneses, a viúva do 4.º conde de Marialva e 2.º de Loulé5 e a última sobrevivente do ramo principal da linhagem dos Coutinhos. Como herdeiro dos condes de Marialva, interessavam naturalmente a D. António todos os títulos que de algum modo atestassem a antiguidade da posse daquelas igrejas e comprovassem o exercício legítimo dos direitos de padroado. Muitos deles estariam até nas suas mãos, ou pelo menos à sua disposição, pois não era raro que as transferências de bens, por motivo de compra, de doação, ou de herança, se fizessem acompanhar de todos os documentos que lhes diziam respeito.

  • 6 Inventário, fls. 3 v., 5, 10 e v., 11 e v.
  • 7 Ibidem, fl. 7 v.
  • 8 Cf. Ibidem, fls. 4 v., 6 v., 11 v., 12 v., 15 v.
  • 9 I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 8, n.º 30 (de 13 de Maio 1564). No inventário (fl. 6 v.) guardou-se mem (...)

3Não é impossível, contudo, que aquele interesse fosse alimentado, também, por dificuldades recentemente colocadas à posse pacífica de uma ou outra igreja. Para algumas delas, como as de S. Paio de Caria, de S. Salvador de Meimão, de S. M.a de Tavares e de S. Pedro de Lamego6, entre outras, o próprio inventário dava a conhecer as demandas que então corriam, bem como a circunstância de se terem sujeito a exame, neste ano de 1565, como o redactor fez questão de notar, as duas bulas de Alexandre VI sobre o padroado de S. M.a do Paúl de Trava, que haviam sido emitidas em 14987. No ano anterior, em 1564, preocupações muito semelhantes tinham ditado a elaboração de tombos dos próprios e dos passais das igrejas de S. Cristóvão de Espadanedo, de Santiago de Leomil, de Santiago de Piães, de S. Miguel de Pêra, de Santiago de Marialva e de S. Maria das Antas, de que o inventário também guardou notícia8. Nesse mesmo ano, já D. António se vira na necessidade de enviar um procurador, António Rodrigues Rebelo, para averiguar em Lamego, por meio de uma inquirição de testemunhas, o legítimo padroeiro das igrejas de Santiago de Leomil e de S. Salvador de Penedono9. Muito embora a questão se derimisse a contento, demonstrando-se que fora o conde Francisco Coutinho quem para elas apresentara o seu irmão, Luís Coutinho, e depois o filho deste e seu homónimo, Francisco Coutinho, que as tinha à época, talvez a diligência tenha sugerido a conveniência de dispor de outros meios de prova, porventura menos demorados e mais eficazes.

  • 10 Sobre os critérios de classificação adoptados nos inventários, vejam-se as observações de F. Borja (...)
  • 11 Inventário, fl. 6.

4A elaboração do inventário, em 1565, vinha, talvez, ao encontro destas preocupações. Tal como era norma em alguns institutos religiosos10, o redactor do inventário adoptou um critério geográfico para a organização dos materiais, tendo aberto um título autónomo para a maior parte daquelas igrejas. Dentro de cada título, sumariou depois a documentação respectiva, com destaque para as cartas de doação e para as de confirmação episcopal das apresentações de curas, mas onde se inseriu, também, alguma documentação pontifícia, uma ou outra sentença judicial e até uns quantos documentos particulares. Em muitos desses títulos, o redactor incluiu, ainda, uma notícia final sobre o estado de cada igreja à época do inventário, onde deu conta, por vezes, das demandas pendentes e das iniciativas em curso, e para a qual chegou mesmo a recorrer a testemunhos orais. Entre outros casos, foi o que aconteceu quando historiou os últimos detentores da igreja de S. Pedro de Val de Ladrões, acrescentando com uma ponta de malícia que de “todo poderaa dar Emformação pero ferrejra cleriguo filho do dito joam ferrejra e sua molher jsabel serajua que com elle casou segunda uez depois da morte da primejra pouquos dias e ambos a mai e o filho cleriguo viuem em trancoso”11. Este recurso consciente a testemunhos contemporâneos tinha a vantagem adicional de pôr em evidência o carácter prático do inventário, também marcado pelos diversos sinais de uso que ele apresenta e pelas muitas anotações posteriores, quase sempre feitas por outras mãos.

  • 12 Ibidem, fls. 8 e v., 20.
  • 13 Ibidem, fls. 20 v.-21.

5Nalgumas ocasiões, poucas, o redactor abandonou o seu procedimento habitual e juntou duas igrejas debaixo do mesmo título. Em boa parte, isso deveu-se à natureza da documentação conservada, que não facilitava a distinção, por ambas se situarem na mesma localidade, ou à existência de laços de dependência entre elas, como sucedeu nos títulos respectivamente abertos para as igrejas de S. Pedro e de S. Salvador de Penedono e para as de S. Bartolomeu de Paredes e a sua anexa de Riodades12. Num outro caso, porém, quando se reuniram as igrejas de S. M.a de Antas e de S. M.a de Sendim no mesmo título13, a opção do redactor é menos clara, embora alguma da documentação sumariada se reporte conjuntamente àquelas igrejas.

  • 14 Ibidem, fls. 9 (S. Miguel de Lobrigos) e 11 v. (S. Pedro da Sé de Lamego).
  • 15 Ibidem, fl. 21 v.
  • 16 Ibidem, fls. 1 e v., 2, 12, 18, 22 e v.
  • 17 Ibidem, fls. 11, 18 v., 19.
  • 18 Ibidem, fls. 21 v., 7.
  • 19 Ibidem, fl. 14 v. Veja-se a nota 126 do documento publicado em apêndice.

6A cada um dos títulos do inventário de 1565 devia corresponder, portanto, um conjunto documental autónomo, de dimensão e de qualidade variável, talvez em acordo com a importância da igreja em causa. Com alguma frequência, o redactor faz corresponder aqueles conjuntos ao cartório das igrejas respectivas14, bem evidente quando precisou que o “Cartorio das jgreias de fontarcada e sardoura não se poem aquy Em Euentairo porque o Jffante dom Luis que deus aja fez doação destas Jgreias aa vniuersidade”15. A mesma designação aplicou-se, aliás, a outros fundos documentais citados no inventário, caso dos cartórios do concelho de Caria, do bispo de Lamego, do mosteiro de Alpendurada e do conde de Marialva16, embora se citem do mesmo modo os registos de D. António17, normalmente para assinalar a necessidade de aí lançar algumas cartas. Noutras ocasiões, porém, o redactor designou de forma diversa aqueles conjuntos documentais, referindo-se aos papéis de Caria e ao maço das igrejas de Penedono18. Uma anotação posterior, realizada por mão diferente, deixa entender que os títulos da igreja de S. João da Raiva também se arrumavam num único maço19.

  • 20 Ibidem, fl. 5 v.
  • 21 Ibidem, fl. 12 v. Uma anotação posterior atribuiu esta doação ao ano de 1456, mas deve tratar-se da (...)
  • 22 Ibidem, fl. 20.
  • 23 Ibidem, fl. 10.
  • 24 Ibidem, fls. 1 v.-2.

7Qualquer que fosse a designação arquivística daqueles conjuntos, nem todos os documentos guardavam uma relação explícita e directa com as formas de aquisição e de exercício dos direitos de padroado. No título de S. Pedro de Val de Ladrões, que hoje corresponde à freguesia de Val Flôr, no concelho de Mêda, registou-se uma doação que aí beneficiou Gonçalo Vasques Coutinho, em 1425, com vários bens não especificados20, enquanto no de S. Miguel de Pêra se referenciou a doação dos foros locais ao mesmo senhor, que fora realizada em 141821, talvez porque supriam as lacunas da documentação conservada e faziam suspeitar uma maior antiguidade dos respectivos direitos de padroado. De um modo idêntico, para as igrejas de S. Bartolomeu de Paredes e de Riodades, depois de assinalar a existência de seis cartas de confirmação das apresentações feitas pelos condes de Marialva, o redactor anotou uma carta de João I, confirmando os privilégios do couto de Leomil e sumariou a carta de quitação que os moradores locais passaram a Gonçalo Coutinho, em 145122, respeitante à liquidação das dívidas deixadas pelo seu pai, Vasco Coutinho, o 1.º conde de Marialva. Quase outro tanto se podia dizer da igreja de S. Maria de Tavares, cujo título abre com o sumário de duas sentenças sobre a jurisdição local e com o registo da doação da terra de Tavares a Gonçalo Vasques Coutinho23. Mais claro ainda é o título de Caria, onde sumariou um estormento proveniente do cartório do concelho de Caria e citou o contrato de casamento do 2.º conde de Marialva24, quando quis documentar a relação de criação e de clientela que unia os abades locais a vários membros da linhagem dos Coutinhos.

  • 25 Ibidem, fls. 1, 22 v.

8Em termos gerais, isto sugere que o redactor do inventário teve acesso a muita outra documentação de temática e tipologia diversas, que compulsou livremente, mas que só veio a utilizar quando a julgou pertinente para os propósitos que o norteavam. Ao lado das espécies que obteve noutros cartórios da região, que nunca se esqueceu de apontar25, ele devia dispor de bem mais do que os papéis e escrituras pertencentes às igrejas do padroado dos condes de Marialva. Muito provavelmente, encontrava-se sob os seus olhos e porventura à sua guarda tudo aquilo que restava do antigo arquivo dos condes de Marialva, que talvez se conservasse então no âmbito da casa de D. António.

  • 26 Ibidem, fls. 20-22 v.
  • 27 Ibidem, fl. 22.
  • 28 Ibidem.
  • 29 Ibidem.

9No termo dos títulos abertos para as igrejas do couto de Leomil, cujas rendas tinham sido consignadas à Universidade de Coimbra26, o redactor inscreveu, pelo menos, uma referência directa àquele arquivo. O desejo de mostrar o prejuízo que daí resultara para os direitos legítimos de D. António levou-o a assinalar o carácter patrimonial que se atribuía a cinco daquelas igrejas e a sublinhar que as doações respectivas “não se achão no Cartorio que fiquou do Conde de marialua do Jffante dom fernando e pareçe que se perderão ou se esconderão quando el Rey quis fazer vnião das ditas Jgreias aa vniuersidade”27. Talvez para afastar maiores suspeitas, deu conta, em seguida, da história recente do arquivo, recordando que “este Cartorio estaua Em mãao de gaspar de carualho e joam monteiro e esteue mujtos dias depois da morte do Jffante dom fernando athe se Entregar a antão soares. e pella mesma manejra se perderão ou esconderão todalas confirmações proprias e papeis de Jmportancia que pertencião aas ditas seis Jgreias”28. Ao mesmo tempo, arredondando o seu argumento, não se esqueceu de indicar que as cartas sumariadas tinham sido trasladadas dos registos do cartório do bispo de Lamego, com excepção das seis confirmações de S. Bartolomeu de Paredes, que “se acharão num cofre antigo que descobrio dom lopo d almejda que não foy Emtregue a antão soares”29.

  • 30 Ibidem, fl. 22 v.
  • 31 Ibidem, fls. 22 v.-23.

10Na sequência destas observações, que traziam o arquivo dos condes para o centro da polémica, foi talvez com naturalidade que se identificou o acervo que dele restava30: dois maços de papéis, um julgado com pouco interesse e que não foi contado, e o outro com 13 peças, entre as quais se integravam inventários do cartório do conde, alvarás régios e particulares; um outro maço grande, com 22 peças, a maior parte em pergaminho, que incluía sentenças, contratos de casamento e cartas de quitação; e um quarto maço, com apenas 9 peças, maioritariamente composto por testamentos e por outros documentos afins. A propósito deste último maço, o redactor acrescentou, ainda, que o testamento de Beatriz de Meneses, 4.ª condessa de Marialva e de Loulé, precisamente aquele onde se nomeara o infante D. Luís como herdeiro e sucessor da linhagem dos Coutinhos, estava em posse de Guiomar do Couto, uma viúva que morava no bairro do Marquês, em Lisboa31.

  • 32 Cf. C. Flores Varela, “El Estado Senorial de Gálvez: Organización Institucional y Documental”, in L (...)

11Tal como noutros casos32, o arquivo dos condes devia apresentar, na origem, uma organização bastante sumária das espécies conservadas. Dessa estrutura primitiva, davam então testemunho os inventários do cartório dos condes que ficaram citados num daqueles maços de papéis, embora se desconheça a época em que foram realizados, ou os critérios de classificação neles adoptados. O conteúdo dos maços identificados em 1565, que infelizmente não se descreveram com maior pormenor, deixa entender, no entanto, o recurso a uma vaga classificação temático-funcional, com uma divisão tripartida entre os materiais de arquivo, os que diziam respeito aos negócios da casa e os que se relacionavam com as matérias de heranças e de sucessões. O redactor do inventário de 1565 adoptou, aliás, um critério muito semelhante para os restantes documentos do arquivo, que juntou num grande conjunto temático, relativo às igrejas do padroado dos condes. Com essa nova arrumação, que também incluía a distribuição dos documentos pelas igrejas a que diziam respeito, cumpriam-se, talvez, os objectivos com que se havia feito o inventário, destinado a facilitar o acesso, a identificação e até a consulta dos diversos títulos que legitimavam a posse e a administração daqueles bens.

12Em rigor, não é impossível que aquela arrumação das espécies tenha resultado da intervenção do redactor do inventário de 1565. Como já atrás se indicou, ele compulsou provavelmente todo o arquivo dos condes de Marialva, tendo apenas sumariado aqueles documentos que julgou poder relacionar, ainda que de forma remota, com as formas de aquisição e de exercício dos direitos de padroado. Nesse sentido, é provável que a documentação que foi julgada sem interesse tenha sido então sujeita a uma arrumação semelhante, mas mais sumária, dando origem aos quatro maços mencionados no final do inventário. A organização desses quatro maços teria representado, assim, a constituição de uma espécie de arquivo morto, formado pelos materiais desprovidos de maior interesse para a salvaguarda do património e a defesa dos direitos que pertenciam à casa de D. António.

  • 33 Cf. As Gavetas da Torre do Tombo, Lisboa, 1963, vol. III, pp. 557-80.
  • 34 Como assinala F. Borja Aguinalde (op. cit., p. 80), a exclusão de documentos de um inventário facil (...)
  • 35 Cf. I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 2, n.º 16.
  • 36 Cf. I.A.N./T.T., Gaveta XV, Mç. 22, n.º 26 (de 4 Nov. de 1441).

13As duas partes em que se dividiu, por volta de 1565, o antigo arquivo dos condes de Marialva conheceram um destino bem diferente. Os papéis e as escrituras então sumariados, como guardavam muito do seu valor probatório, foram talvez sujeitos a maiores cuidados de conservação, ao longo dos tempos. Depois da sua incorporação nos fundos da Coroa, muitos deles ainda hoje se podem consultar na Torre do Tombo, encontrando-se arrumados na Gaveta IX33, também dita do conde de Marialva. Em contrapartida, a restante documentação, que à época já guardava pouca utilidade, foi provavelmente tratada com menor atenção e viria a desaparecer quase por completo34. Nada resta, com efeito, daquele maço de inventários e do maço de testamentos pouco mais ficou que aquele ditado por Francisco Coutinho, o 4.º conde de Marialva, quando corria o ano de 152035. E pouco mais resta, também, daquele outro maço de sentenças e de contratos de casamentos, muito embora se conserve o contrato de casamento do 2.º conde de Marialva36, que fora parcialmente sumariado, note-se, em 1565, bem como aquele outro celebrado, já no século XVI, entre Guiomar Coutinho e o infante D. Fernando, um dos tios paternos do prior do Crato. Muito pouco, afinal, olhando ao muito que se perdeu.

  • 37 Para uma síntese das fontes utilizadas e dos trabalhos publicados nos últimos anos, veja-se: J. Mat (...)

14À parte o interesse eventual do inventário de 1565 para a história da arquivística portuguesa, a principal conclusão que dele se tira é bem conhecida de todos os investigadores e respeita, infelizmente, ao desaparecimento quase completo dos antigos arquivos senhoriais. O obstáculo tem sido ultrapassado, como se sabe, pelo recurso sistemático a fundos documentais de origens diversas37, mormente àqueles que foram acumulados pela Coroa, pelas autoridades eclesiásticas e pelos principais mosteiros e conventos do país. Mas essas fontes, naturalmente produzidas com outros fins, não reflectem de modo directo os ambientes senhoriais e trazem, muitas vezes, o inconveniente de realçar os testemunhos de dependência em relação à Coroa e de multiplicar os indícios de conflitualidade senhorial. O conhecimento da documentação outrora existente e entretanto desaparecida, transmitida pela leitura de inventários arquivísticos deste género, talvez proporcione, por isso, alguma matéria de reflexão e abra outros campos à análise das metodologias empregues, ou à proposta de novas linhas de investigação.

Annexes

Apêndice documental1

[1565]. – Inventário da documentação pertencente às igrejas do padroado dos condes de Marialva, que à época se encontravam sob administração de D. António, prior do Crato, no qual se reconstitui o acervo e a história recente do arquivo dos condes.

I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 7, n.º 19, fls. 1 a 18 v.

Gaveta IX, Mç. 8, n.º 8, fls. 19 a 23.

Jmuemtayro de todos os papeis e escrituras que pertençem as Jgreias que são do padroado secullar e Leiguo do senhor dom Antonio que forão do Conde de Marialua e herdou o senhor dom Antonio do Jffante dom Luis seu senhor e pay que aJa gloria.

Titulo de Caria

Jtem huã doação do padroado da JgreJa de são Payo de Caria feyta a guonçallo Vaaz coutinho no anño 1422 a quoal he muyto guastada e estaa embrulhada em seu proprio trellado.

Jtem doação segunda do dito padroado da Jgreia de são payo de caria feita ao mesmo goncallo vaaz no anño de 1445.

Jtem outra doação38 tercejra do dito padroado da Jgreia de são payo de caria feita ao Jffante dom fernando no anño de 1530.

Jtem treslado da mesma doação Em Razo.

Jtem outra doação do dyto padroado feita pollos Racoeiros da dita Jgreia de são payo de Caria como padroejros delia que diziam ser ao bispo de Lameguo dom Joam no anño de 1441. a quoal doação he a propria e a achey no Cartorio do bispo de Lameguo.

Jtem huã confirmação da dita Jgreia feita pollo bispo dom Luis39 de Lameguo apresentação de goncallo vaaz Coutinho senhor do dyto Concelho no anño de 1423. polla quoal confirmação foi confir40/[1 v.] mado hum pedro aluarez de guoiães apresentação do dyto gonçallo vaaz coutinho.

Jtem hum estromento de Taxação do Rendimento da dita Jgreia na era de 1361 per mandado d el Rey dom Dinis nas costas do quoal estromento estaa outro estromento de posse que o dito gonçallo vaaz coutinho tirou do padroado da dita Jgreia sendo abbade della hum Martim Vasquez na era de 1429.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia de Caria apresentação do conde dom goncallo e dos Raçoejros no anño de 1457 feita no porto por o bispo de sylues como legado polla quoal foi confirmado em abbade vasco martinz Rebello per permudação que fez hum guomez martinz Rebello polla Jgreia de Tauares e o bispo de Sylues se chamaua dom Aluaro.

Jtem41 em hum contrato de casamento do Conde dom goncalo fejto no ano 1441 na aldea das freixedas termo de pinhel foy testemunha do dito contrato guomez martinz abbade de sam paio de Caria e vasco martinz Rebelo seu jrmão e martim vazquez abbade de paredes seu jrmão e aluaro gil abbade de barcos. e pareçe que este guomez martinz deu a jgreia de são paio de Caria o conde dom uasquo pai de dom goncallo pois andaua com elle como estoutros abbades que tinhão estas jgreias que são da apresentação do Conde de marialua.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia apresentação do Conde dom francisquo na era de 1504 polla quoal foi confirmado Em abbade da dita Jgreia hum goncallo pereira capellão do dito Conde pollo bispo dom Joam de lameguo. nas costas da dita confirmação estaa ho estromento de posse que foy dada ao dito guoncallo perejra.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia feita no anno de 1427 a martim vasquez Rebello apresentação dos Raçoejros e doutros. ha sse de notar que esta confirmação feita asy depois da primejra doação que os freiguezes e Racoejros fizerão a guoncallo Vasquez coutinho no anño de 1422 por uertude do quoal loguo na era de 1423 apresentou guoncallo vasquez a hum pedro aluarez de guoiães per cuJa morte no anño de 1427 foy confirmado este Martim Vasquez. e loguo no anño de 1429 foy Requerido o dito abbade Martim uasquez Rebello per goncallo uaaz coutinho que o Requeresse por padroeiro digo reconhecesse por padroejro como consta do estromento na costas da carta d el Rey dom Dinis e tambem pareçe que apresentação do dito gonçalo Vaz coutinho ouue este martim uaaz a dita Jgreia posto que expressamente o não diga esta confirmação porque este martim Vaaz Era seu criado como consta de hum estromento que estaa no Car/[fl. 2]torio de Caria do concelho pollo quoal estromento consta que pedio o concelho de Caria a el Rey que descoutasse certos montes que tinha coutado o dyto abbade martim Vasquez de Rebello como poderoso e criado de goncallo Vaaz coutinho.

Jtem huã anexação das Jgreias de fontarcada penella Caria a capella de santa Caterina pollo bispo dom Joam de lameguo42.

Jtem huã sentença sobre o padroado da dita Jgreia de Caria contra o bispo dom Joam em fauor do Conde de Marialua dom francisquo dada per juizes apostolicos no porto.

Jtem huã Emformação da Jgreia de sam payo de Caria acerqua deste presente abbade que ora he na era de 1565.

Jtem huã carta de Roma de Emformação que madauão <a> Antonio d aguiar e nella estão outras lembranças da dita Jgreia.

Jtem huã bulla do Papa Bonifacio concedida a goncallo uaaz coutinho per que aprouou as doacões feitas per deferentes padroejros ao dito goncallo vaaz das jgreias de sam paio de Caria de sam Joam da Rayua de santa maria do sobrado e santa43 marinha do Real de santa maria da sardoura de santa marinha de Nesperejra de santiago de piães de sam Christouão de noguejra de são pedro de penude de são Joam de Cernançelhe de são martinho de muimenta de santa maria de sedeellos de santa maria de frechas de santa maria d aluerca de santa maria d avelaãs da Ribejra de sam pedro de quoqua de santa maria de Ribafejta e outras do bispado de Viseu44.

Jtem huã bulla polla quoal no anño de 1403 renunciou guarcia martinz conego de Lixboa estante em Roma e abreuiador per seu legittimo prucurador joam martinz escollar em derejto Canonico a Jgreia de são paio de Caria pera que viesse a guomez Lourenco clerigo Lamacentiones. e foy lhe conferida per joam esteuens prjoll de sam vicente de lixboa per vertude huã bulla do papa bonifacio nono./

[2 v.] Jtem treslado de huã supplicação sobre a Jgreia de sam Payo de Caria por Rezão de huã composição que se fazia antre pero Rebello e antonio homem como apresentado pollo Jffante dom luis na dita Jgreia.

Jtem rescripto pera absoluer o Conde de Mariaalua [sic] dos frujtos dalguãs jgreias que leuou sendo leiguo.

Jtem huã commissão sobre São payo de Caria por parte da Capella de Santa Catherina.

Jtem huã commissão ao arcediaguo de valdigem pera executar huã sentença que o conde de marialua ouue contra aluaro teyxejra sobre a jgreia de sam paio de caria.

Jtem huã absoluição per que foy absolto o conde dos frujtos que Leuou de sam paio de Caria como leiguo45.

Jtem huã procuracão que a condesa fez a antam soares sobre o conçerto d aluaro teyxejra46.

Jtem tres Roles das Jgreias que forão do padroado do conde de Marialua.

Jtem huã visitação da Jgreia de são payo de Caria.

Jtem hum estromento de posse da dita Jgreia ao conde de marialua por morte d aluaro teixejra per vertude da vniam da dita Jgreia a capella de santa Caterina.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jnfante dom fernado47.

Jtem outro estromento da mesma posse ao mesmo Jffante.

Jtem outro estromento de posse feito per martim mourão ao mesmo Jffante48./

[fl. 3] Jtem outro estromento de posse da dita Jgreia aa condessa de marialua49.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jnfante dom luis.

Jtem o treslado de hum Rol de Jgreias do padroado do conde marialua feito per mão de dioguo dominguiz notajro e com elle estaa hum trelado Em puprico da bulla do papa bonifacio da aprouação dos padroados que forão dados a goncallo vaaz coutinho.

Jtem o trellado da bulla per que o papa clemente estinguio a Vnião das Jgreias da capella de santa catherina50.

Jtem o treslado de huã bulla per que o papa Julio annexou as Jgreias de sam paio de Caria penella e font arcarda a capella de santa Catherina51.

Jtem huãs52 bullas de coadju<to>ria com as executoreães da jgreia de são paio de Caria a quoal coadjutoria daua ao bispo dom fernando Vasquo martinz de Rebello.

Jtem huã bulla de collacão da viguajraria de são paio de caria per que o papa lião proueo da dita viguairaria a hum miguel lucas per morte de gonçallo perejra a apresentação do Conde de marialua53.

Jtem hum breue do papa alexandre 6.º per que o Conde de marialua foy admittido nom obstante lapsu temporis a appellar de huã sentença que o dayão de lameguo e o chantre derão contra os Racoejros de sam paio de Caria em fauor do bispo de lameguo ha quoal sentença se proçessou em lameguo e foy scryuão dos autos dioguo de gouuea e estão estes autos e processo mujto velhos e gasta54/[3 v.]dos no principio e na fim em poder de Ejtor viejra esprivão do auditorio de lamego e vindo se opondo aa causa Jaa no final per tercejro o opoente não foy admittido e dando sse a sentenca em fauor do bispo de lamego appellou della e ouue esta bulla de nom obstante lapsu temporis na era de 1497.

Jtem dez bullas em que se contem alguns breues e Rescriptos apostolicos e jnhibitorias sobre as demandas que o conde de marialua trouxe sobre a dita Jgreia de sam paio de caria com Jacome montejro e aluaro teyxejra o quoal Jacome montejro ouue a dita Jgreia de Caria Em Roma per renunciação ou coadjutoria de vasco martinz de Rebello o quoal vasco martinz mandou hum seu sobrinho e hum seu filho aa Roma pera fazerem negocio da dita Jgreia e a porem no filho e morrendo ambos filho e sobrinho se fez o negoçio com Jacome montejro que depois renunciou a dita Jgreia Em aluaro teyxejra por estar Em Risco de morte.

Jtem mujtas Cartas diferentes de antonio de barros sobre a jgreia de sam paio de caria de Roma ao Jffante dom luis.

Jtem55 huã confirmação da dita jgreia de caria apresentação dos fregueses que herão padroejros da dita jgreia a quoal he feita no anno de mil e duzentos e tantos [sic] e esta confirmação estaa com o trellado Em puprico dos titulos Emportantes desta jgreia autuado tudo em poder do doutor paulo afonso que Reuee os padroados d el Rey e os tomba per prouisão de sua alteza. e tem estes papeis pera liquidar este padroado antre el Rey e o senhor dom antonio porque foy dado o dito padroado surrecticiamente avera quinze ou 20 anos a el Rey

Jtem esta a suppradito Em Roma pera se Empetrarem compulsoriães jeraes e comisão pera ser citado <o> presente abbade de são payo de Caria pera se proceder na causa e demanda da dita Jgreia que estaa processada em Roma e pendya antre o pay do dyto abbade e o jffante do Luis no anño de 1551.

Jtem antre as cartas de antonio de barros estão cartas do pai do presente abbade de Caria sobre a dita jgreia.

Titullo da Jgreia de sam chrouão d espadanedo56

Jtem hum contrato de transaução sobre a Jgreia de são christouão d espadanedo antre o conde de marialua dom francisquo coutinho e dom Joam d azeuedo bispo do porto comendatario do mosteiro de são Joam d alpendorada o qual foy fejto aos 11 dias de marco 1485 pollo qual qual [sic] estromento de transaução o dito conde e o mostejro d alpendorada são padroejros/[fl. 4] Juntamente da dita Jgreia de sam christouão d espadanedo.

Jtem huã confirmação da jgreia de sam christouão d espadanedo fejta per huã commissão do bispo dom Rodriguo de noronha no ano de 1475 apresentação do mostejro de são Joam d alpendorada Jn solidum.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia de sam christouão d espadanedo apresentação mixtica do senhor dom Antonio e do mosteiro de são Joam d alpendorada feita no anño de 1564.

Jtem hum estromento de posse da dita Jgreia ao Jffante dom fernando57.

Jtem outro estromento de posse da dita Jgreia aa condesa de marialua.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jffante dom luis.

Jtem huã Carta do dito Jffante dom luis pera o Cabido de lameguo58.

Jtem hum breue do papa Jnocencio Viij.º sobre a demanda que o conde de marialua trazia com o mosteiro de são Joam d alpendorada59.

Jtem hua carta do arcebispo de bragua sobre a mesma Jgreia60.

Jtem outra carta de hum francisquo de faria secretario do dito arçebispo sobre a mesma Jgreia61/

[4 v.] Titullo da Jgreia de sam lourenco do Meimão do bispado da guarda. diguo de sam Saluador62

Jtem huã confirmação da Jgreia de sam lourenço de M diguo de são saluador do Meimão apresentação do Conde de marialua dom francisco coutinho no anño de 1488 polla quoal foy prouido na dita Jgreia goncallo martinz Ceraiua.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia apresentação do Jffante dom fernando pella quoal foy prouido da dita jgreia pero fernandez soejro capellão do dito Jffante no anno de 1531

Jtem estromento de posse da dita Jgreia ao Jffante dom fernando.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jffante dom fernando e a Jffanta dona guiomar.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia a condesa de marialua.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jffante dom Luis.

Jtem huã carta do conde de marialua pera Joam de Lucena sobre o pam da dita Jgreia

Jtem huã procuração do senhor dom antonio sobre a dita Jgreia63.

Jtem huã carta citatoria do vigajro do bispo da guarda pera ser citado miguel coucejro jntruso na dita Jgreia

Jtem huã apresentação do senhor dom Antonio per que apresenta por abbade da dita Jgreia a Jorge botado seu guarda Roupa64. /

[fl. 5] sobre esta Jgreia de sam saluador65 do meimão aa de ser citado migel soejro [sic] abbade Jntruso nella polla dita carta de citação que foy passada pera este caso polla aver a dita Jgreia sem comsentimento do senhor dom Antonio o quoal miguel coucejro ouue a dita Jgreia per Renunciação que lhe fez della simprezmente o dyto pero fernandez soejro capellao do Jffante dom fernando. e foy collada a dita Jgreia ao dito miguel Couceiro a 26 dias de março de 1564 e pedio a el Rey o dito miguel coucejro que lhe desse consentimento fazendo o padroejro nella não o semdo nunqua el Rey.

Guaspar bordallo da villa do souto se lembra que o conde de marialua dom francisco quisera dar esta Jgreia a christouão da fonseca de luimil e o dyto christouão da fonsequa a não quis porque não queria ser clleriguo

Titulo da Jgreia de são pedro de val de Ladrões do bispado de lamego66

Jtem huã confirmação do bispo de lamego com seu estromento de posse nas costas polla qual o bispo dom guomez de Miranda confirmou Em abbade da dita jgreia a martim aluarez thisourejro de lameguo e não diz a apresentação de quem67

Jtem outra confirmacão da dita Jgreia hapresentação dos fregueses e do bispo de lamego juntamente feita no anño de 1411 pollo bispo dom Joam./

[5 v.] Jtem huã doação que foy feita a goncallo vaaz coutjnho dos beens de val de ladrões68.

Jtem hum estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jffante dom fernando69.

Jtem outro estromento de posse do dyto padroado ao Jffante dom Luis70.

Jtem huã Commissão que impetrou o Conde de Marialua dom francisco coutinho sobre huã confirmacão que o bispo dom guomez de miranda fez a hum Martim aluarez da dita jgreia de val de ladrões71.

Jtem huã bulla do papa Calixto per que hum Joam de Tarouqua jmpetrou a jgreia de val de ladrões estando em Napoles72.

Jtem hum processo decernido em fauor do dito Joam de tarouqua sobre a dita jgreia73

Jtem duas bullas Compulsoreas expedidas em tempo do papa lião decimo e em tempo do papa adriano que fazem menção ambas ser esta Jgreia da apresentação do Conde de Marialua ex antiqua consuetudine et ex priuilegio apostolico74.

Jtem averaa quorenta anños pouquo mais ou menos que o conde de Marialua dom francisco apresentou por abbade da dita jgreia de val de ladrões com sua annexa de paio penela a hum joam ferrejra d afonsequa seu criado natural de trancoso o quoal teue a dita jgreia alguns annos sem ter ordens e depois se casou e deixou a dita Jgreia e o conde a tornou a dar a dom pedro de meneses segundo se lembra amdre bordallo Criado do conde morador no souto. o quoal dom pedro foy abbade della e da jgre/[fl. 6]Ja de marialua e era mujto amiguo do Conde do que todo poderaa dar Emformação pero ferrejra cleriguo filho do dito joam ferrejra e sua molher jsabel serajua que com elle casou segunda uez depois da morte da primejra pouquos dias e ambos a mai e o filho cleriguo viuem em trancoso e tambem saberaa deste caso antonio d afonseca morador em penalua que foy camarejro do dito dom pedro.

Jtem fernão da sylua Comendador d alpalhão foy proujdo e apresentado por abbade desta Jgreia a apresentação do Jffante dom fernando e foy confirmado nella polla dita apresentação e a teue tres ou quatro annos sendo leiguo sem tomar hordens e depois de a asy ter por lhe dizerem seus confessores que não estaua com consciençia segura leuando os frujtos da dita jgreia sem ter hordeens nem animo de ser cleriguo Renunciou a dita jgreia a el Rey que lha pedia pera a meter nas comendas de christo pera lhe darem outra Jgreia em comenda da hordem de christo e a bulla de confirmação hapresentação do Jffante que da dita jgreia tinha a deu o dyto fernão da sylua a hum frei bras de leirea seu confesor da hordem de são francisco o quoal moReo em sam francisco de lixboa <na era> de mil e quinhetos e sesenta e dous anños pouquo mais ou menos e o dyto75 fernam da sylua que deu esta Emformação he viuo e pousa em lixboa fora da porta de santa Caterina casas que forão do honorato Embaxador e dyraa tudo jsto e mais.

Jtem em huns conhecimentos de papeis do Conde de marialua que hião pera Roma se faz menção que mandou o Conde aa Roma hum estromento de doação do padroado desta jgreia.

[6 v.] Titulo da jgreia de santiago de luimil do bispado de lamego76

Jtem huã jnquirição sobre os padroados das Jgreias de santiaguo de luimil de sam saluador de penedono fejta no anño de 1564

Jtem huã confirmação da jgreia de são tiago de luimil hapresentação de vasco fernandez coutinho no anño de 1432.

Jtem hum estromento de posse do padroado da dita jgreia ao Jffante dom fernando.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita jgreia aa condesa de marialua

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita jgreia ao jffante dom luis77.

Jtem outros dous estromentos de posse .s. do padroado da dita jgreia e da jurdicão da villa de luimil ao jffante dom fernando

Jtem outro estromento de certidão do Rendimento da dita Jgreia.

Jtem hum aluara do jffante dom fernando per que faz merçe a dom luis de moura de outenta mil reais de tença em sua vida nom avendo a dita jgreia o dito dom luis.

Jtem outro aluara do dito Jffante per que se obrigua aa paguar por o dito dom luis outenta mil reais que tinha leuado dos fructos da dita Jgreia em cuento [sic] que a nam ouuesse.

Jtem huã procuração de dom gastam e dom luis Jrmãos do Conde de marialua que faaz a bem dos padroados78. /

[fl. 7] Esta Jgreia de são tiago de luimil them dom luis de moura dado a coadjutoria della e socessão depois de sua morte a cristouão de tauora seu filho que serue a princesa de castella e tem a dita jgreia annexada depois da morte de seu pay a huã comenda de Calatraua em castella e ouue as bullas desta annexação lourenco piriz de tauora em Roma per via de surrejcão sem fazer menção clara que hera esta jgreia do padroado do senhor dom antonio nem fazer menção quem hera o senhor dom Antonio a quaol jgreia o dito dom luis de moura depois que casou teue em cabeça de hum aluaro da fonseca encaroçada e despois morrendo este po lla em cabeça de hum gaspar Rodriguiz Emquanto digo aluaro da fonsequa digo aluaro afonso sequeuejra per morte do quoal a ouue dom luis e a pos Em cabeça do dito gaspar Rodriguiz e depois da morte delle gaspar Rodriguz po lla Em segunda caroça em cabeça de hum manoel mayo e per morte deste Manoel maio a pos Em cabeça do dom christouão de Tauora seu filho a quoal a teue em abbadia e depois pera casar anexou a dita comenda de Calatraua pellas bullas que ouue surreticiamente lourenço piriz de tauora sobre o quoal jmpetrou o senhor dom Antonio hum Rescripto Em Roma pera ser cytado o dyto dom christouão e pareçer Em Roma sobre a causa da dita jgreia. e este rescripto anda no maço das jgreias de penedono.

Titulo da jgreia de santta maria da misericordia do paul da traua [sic] do bispado de lixboa

Jtem duas bullas de concessão e Reualidacão do padroado da jgreia de santa maria /[7 v.] da misericordia do paul de traua pollas quães o papa alexandre 6.º Concedeo ao Conde de marialua e seus socessores o padroado da dita jgreia as quães bullas forão vistas e examinadas e Rejistadas pollos desenbargadores e esprivães da camara do Cardeal Jffante arccebispo de lixboa o presente ano de 156579.

Jtem duas bullas do papa Clemente 7.º e do arcebispo do funchal leguado de portugual pollas quães foy prouido da dita jgreia dom joam de portuguall bispo que hora he da guarda a apresentação do Jffante dom fernando.

Jtem hum processo decernido e bulla de Conseruadoria sobre a dita jgreia.

Jtem outra bulla de conseruadoria do papa alexandre sexto pera o priol do folques e o dayão da guarda serem juizes em quoalquer causa que se mouesse contra os padroejros da dita jgreia sobre Rezão do dito padroado80.

Jtem outro processo decernido da proujsão que foy fejta a francisco jusarte da dita jgreia81.

Jtem hum estromento de posse da dita Jgreia ao Conde de marialua82.

Esta jgreia tem agora o bispo da guarda e quando ouue o dito bispado prometeo a el Rey dom Joam tercejro de a Renunçiar pera se annexar ao mostejro de são Joam d estremoz jn perpetuum pollo quoal o Jffante dom luis de cuia apresentação o dito mostejro hera deu a el Rey a jgreia de são miguel de pera do / [fl. 8] bispado de lamego pera a dar a jorge gonçaluez Ribejro Emquesidor a que el Rey querya dar esta do paul da traua e asy fiquou concertado que o bispo a larguasse a dita jgreia pera o mostejro o que nunqua fez e jorge gonçaluez pesui a de pera semdo ambas da apresentação do Jffante e agora do senhor dom Antonio o cardeal manda ao bispo que a largue a esta jgreia por Rezão do concilio e dantes lho mandou el Rey e o cardeal mujtas vezes que aa larguasse ao mostejro como prometera e ouue sobre jso mujtos desgostos o dito bispo o quoal agora pede ao senhor dom Antonio que lhe queira dar seu consentimto pera a Renunciar em hum seu Capellão o senhor dom antonio estaa differente na maneira de como lhe faraa o partido.

Titulo das jgreias de sam pedro e são saluador de penedono do bispado de lamego

Jtem huã doação das jgreias de penedono fejta no anño de 1440 a vasco fernandez coutinho per que os padroejros que emtão herão das ditas jgreias derão o dito padroado ao dito vasquo fernandez

Jtem huã Confirmação da jgreia de são pedro de penedono a apresentação de vasco fernandez Coutinho no anño de 1450.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia a apresentação do senhor dom Antonio no anño de 156483 /

[8 v.] Jtem outra confirmação da Jgreia de são saluador a apresentação de breatiz gonçaluez de moura e goncalo vaaz seu filho no ano de 1438.

Jtem outra apresentação da dita jgreia per que foy confirmado nella lopo vaaz a apresentacão da dita breatiz gonçaluez de moura e goncalo vaaz seu filho no ano de 1450.

Jtem omze estromentos de posses do padroado das ditas jgreias de são saluador e são pedro de penedono. aos Jffantes dom luis e dom fernando que deus aya e ao senhor dom Antonio e aa condesa de mariaalua.

Jtem hum rescripto e citatoria de Roma pera ser çitado dom francisco Coutinho Comendador da jgreia de sam saluador de penedono por Rezão de huãs bullas surrecticias que jmpetrou Em Roma per meo de lourenco piriz de tauora pellas quais da a coadjutoria e futura soçessão da dita jgreia a hum seu filho sem consentimento nem apresentação do senhor dom Antonio verdadejro padroejro dellas.

ha se de mouer demanda sobre esta jgreia ou liquidar este Embaraço de dom francisquo.

Titullo das jgreias de sam miguel e são joam de lobriguos do bispado do porto

Jtem huã doação do padroado das ditas jgreias fejta a gonçallo vaaz coutinho na era de 1422 /

[fl. 9] Jtem huã Carta de Emformação de francisco de gouuea sobre a mesma jgreia sobre esta [sic] jgreia de lobrigos.

Jtem esta jgreia tem agora hum joam francisco o quoal he juntamente abbade e padroejro della per justos titullos que della tem do dito seu padroado e posse de mais de çem anños per sy e seus antecessores porque he velho e muito mal desposto e trouxe grandes demandas sobre a dita jgreia as quães lhe negoceou hum goncallo vaaz guedez seu jrmão Tambem padroejro da dita jgreia o quoal he Casado e pobre e por querer seruir ao senhor dom amtonio o dyto joam francisco abbade e gualardoar tambem seu jrmão diz que faraa huã transaução deste padroado com o senhor dom amtonio pollo dereito antigo que sua excelencia tem nelle. e jsto com as condicões que pellos apontamentos quer per cartas e papeis do dito joam francisco e seu jrmão se verão as quães estão todas juntas no titulo do Cartoreo desta jgreja

Titullo de santa maria madanela de carantonha do bispado da guarda84

Jtem huã doação que miguel lopez homem fez do padroado da dita jgreia ao Jffante dom luis no ano de 1528 a quoal foy fejta per luis gonçaluez bota fogo e confirmada per o nuncio dom Martinho arcebispo do funchal.

Esta jgreia tem agora hum pero de pro/[9 v.]ença Conego da see da guarda ao quoal falando bernaldo d osouro e antonio Rodriguiz Rebello pera se Emformarem delle do que passaua acerqua desta jgreia e como a ouuera e per cuia apresentação nunqua o quis declarar nem negou que não fora do padroado do dito miguell lopez e seus antecesores e que a dera ao Jffante polla dita manejra mas que o dito miguel lopez hera homem solobro e de pouquo ser. e todavia se soube depois que este conigo ouuera a jgreia per Renunciação de seu pay e dizem que de consentimento do padroejro pareçe que se pode fazer negocio com ho dito conego pero de proença pera que Reconheça este padroado desta jgreia por do senhor dom Antonio como Eerdejro de seu pay o Jffamte dom luis e jsto ou Roguando o dito conego ou mandando o cytar pera estar com elle a direito e o dyto bernaldo d osouro seraa boom tercejro neste negoçeo.

Tytulo da Jgreia de sedeelos do bispado do porto85

Jtem huã doação antigua fejta na Era de 1454 a goncalo vaaz coutinho do padroado da dita jgreia de sedeelos

Jtem hum estormento do Rendimto da dyta jgreia86.

Esta Jgreia estaa Vnida jn perpetuum a hum mostejro de freiras de monchique do porto aa [sic] mujtos anños. pareçe que não se poderaa nella fazer negoceo./[fl. 10] Ajnda que foj confirmada a dita doação de que açima faaz menção pollo papa jnocençio.

Titulo das Jgreias de santo Euriço e de são payo de longa do bispado de lamego

Estas duas jgreias posto que aja Estromentos de posses dos padroados dellas aos Jffantes pareçe que nunqua o conde de marialua esteue Em posse de apresentar a ellas antes a de são payo he da apresentação do Cabido de lameguo e a de santo Euriço do mostejro d alpendorada87.

Titulo da jgreia de santa maria de tauares do bispado de viseu

Jtem o treslado de huã sentença que o conde de marialua dom francisco Coutinho ouue contra o marichal sobre o concelho e terra de tauares e padroado da dita jgreia e a própria sentença tem o senhor dom antonio Em seu poder e a mandou dar ao seu procurador pera a demanda que trazia com o marichal sobre a dita jgreia.

Jtem huã sentença sobre a jurdicão de tauares em fauor do Conde de marialua

Jtem hum doação [sic] d el Rey dom Joam de boa memoria a goncalo vaaz coutinho da terra de tauares e parada e Cimphães

Jtem dous estromentos hum Em Razo outro Em pubrico da taxação antigua do Rendimento da jgreia de tauares que pertençe ao padroado /

[10 v.] Jtem huã procuraçam de Antonio Cardoso abbade que foy da dita jgreia pera Renunciar a jgreia de trauanca sua annexa de consentimento do conde de marialua.

Jtem hum estromento de posse do padroado da dita jgreia ao jffante dom fernando.

Jtem huã Emformação de vasco de sexas pera o Jffante sobre a dita jgreia.

Jtem huã Carta de francisco Cardoso ouujdor do Jffante dom luis sobre a dita jgreia

Jtem huã Carta do Jffante dom luis pera o dito francisco Cardoso sobre a dita jgreia.

Jtem outro estromento de posse ao Jffante dom fernando sobre a dita jgreia e padroado della.

Jtem outros dous estromentos de posse do padroado da dita jgreia ao Jffante dom luis.

Jtem na demanda que o marichal trazia Com o senhor dom antonio sobre o padroado desta jgreia amda huã comfirmação da dita jgreia fejta a jeronimo d osouro bispo que hora he do algarue a apresentação do Jffante dom luis e asy disse o mesmo jeronimo d osouro que dera afora a sua comfirmação outras confirmações de seus antecessores a apresentação do conde de marialua pera se ajuntarem no mesmo feito pera bem da justiça do senhor dom antonio.

Esta jgreia tem agora gaspar de sousa digo esteuão de sousa filho de gaspar de sousa veador do Cardeal deuem se aver delle o trellado de suas bullas pera /[fl. 11] se lançarem no Cartorio do senhor dom Antonio pera conseruação do direito de seu padroado desta jgreia e asy se deuem aver as confirmações proprias que amdão no feito e processo da demanda do marichal com o senhor dom Antonio e lancaren se no mesmo Carthorio.

Titulo da Capela de são pedro sita88 na see de lamego

Jtem huã Confirmação da dita capella de são pedro a apresentação do Conde de marialua feita no anño de 1486

Jtem outra Confirmação da dita capella a apresentação do Jffante dom fernando. com seu estromento de posse feita no anño de 1534.

Jtem huã Jnquericão sobre o padroado da dyta capella.

Jtem huã bulla do papa Julio 3.º de collacão da dita capella a hum administrador della de consentimto do conde de marialua como padroejro jn solidum.

Jtem hum estromento de posse da dita capella dado per autoridade de justiça ao jffante dom fernando e seu procurador como administrador que sua alteza hera da capela de santa Caterina a que a dita Capella de san pedro estaua annexada.

Esta Capella vaguando per morte do vltimo pesuhidor a mandou o bispo de lamego pedir ao senhor dom antonio co/[11 v.]mo padroejro della estando em huã sua villa da ameejra e o senhor dom antonio fez merçe ao dyto bispo da dita capela pera hum antonio diaz seu criado. e depois que teue a apresentação do senhor dom antonio na89 mão o dito bispo a não quis tomar da apresentação do senhor dom antonio e estaa asy pera se averiguoar per demanda. e as Cartas que o dyto bispo escreueo sobre a dita Capella se meterão no Cartorio della em lixboa se appellou perante o viguajro do Cardeal por parte do senhor dom antonio90 por lhe não coRer o tempo de apresentar dentro em 4 meses91.

Titullo da jgreia de santiago de piães do bispado de lamego

Jtem huã doação do padroado da dita jgreia fejta per padroejros lejgos na era de 1430 aos 6 dias de maio. a goncalo vaaz coutinho do padroado da dita jgreia pera elle e todos seus socessores

Jtem huã confirmação da dita jgreia de santiago de piães hapresentacão de goncallo vaaz coutinho e do mostro de são Joaam d alpendorada juntamente feita no anño de 144492 /

[fl. 12] Jtem huã sentença per que <he> o Conde de marialua foy julgado93 <o> padroado da dita jgreia Contra hum esteuão soares e sua molher dona jsabel texejra que pretendião ser padroejros da dita jgreia jn solidum94.

Jtem hum rescripto sobre huã demanda que o conde de marialua trazia com ho mostejro de são joam d alpendorada sobre o padroado da dyta jgreia de samtiaguo de piães.

Jtem outro rescripto sobre a mesma demanda com o dito mostejro.

Jtem outro rescripto sobre a demanda que dioguo soares homem trazia com o jffamte sobre a mesma jgreia de piães.

Jtem huã Enformação sobre a mesma jgreia contra diogo soares homem.

Jtem huã Carta de fernam piriz Maciel de Roma sobre a mesma jgreia95.

Jtem a copia da sentença que se avia de dar sobre a demanda que trazia dioguo soares homem com o dito fernam piriz.

Jtem dous estromentos de posses do padroado da dita jgreia aos jffantes dom luis e dom fernando96.

Jtem pareçe que se deue pera segurança do padroado desta jgreia de piães de ver o Cartorio de são joam d alpendorada e em caso que o mostejro não tenha titulos suficientes pera poder ser padroejro juntamente com os herdejros do conde de marialua fazer lhe demanda pera se liquidar este padroado se a de ser jn solidum do senhor dom Antonio ou mixto como o mosteiro pre/[12 v.]tende e em caso que per esta via se não possa averiguoar deue se de negocear que fique o padroado jn solidum ao senhor dom antonio per uia do pesuhidor da jgreia lopo soares homem thisourejro de lamego.

Titullo da jgreia de são miguel de pera do bispado de lamego97

Jtem huã doação que os moradores de pera fizerão a goncalo vaaz Coutinho dos foros do dito concelho pera elle e todos seus decendentes98.

Jtem huã confirmação da dita jgreia a apresentação do Conde dom francisco99.

Jtem outra confirmação da dita jgreia a apresentação do jffante dom fernando100.

Jtem outra apresentacão digo prouisão da dita jgreia por estar vagua de direito a quoal prouisão fez o bispo de Lameguo101.

Jtem outra confirmacão a apresentação do Jffante dom luis102.

Jtem outra Confirmação a apresentação do conde dom goncallo103.

Jtem seis estromentos de posse digo quatro estromentos de posse do padroado da dita jgreia aos Jffantes dom luis e dom fernando104.

Jtem hum estromento de renunciação da dita jgreia105. /

[fl. 13] Jtem outro estromento do Rendimento da dita jgreia106.

Esta jgreia tem <hum> jorge gonçaluez Ribejro Emquesjdor per apresentação do jffante dom luis he homem ja perto de setenta anños107.

Titulo da jgreia de suejro piriz do bispado de viseu108

Jtem hum estromento de doação do padroado da dita Jgreia feita ao Conde dom francisco Coutinho109

Jtem outro estromento de doação do dito padroado110.

Jtem huã aprouação das ditas doacões do papa julio 2.º feito no anno de 1505 a quoal bulla foy expedida no ano de seu pontificado segundo.

Jtem huã Confirmação a apresentação dos frejgueses da dita jgreia quando Erão padroejros111.

Jtem hum estromento de consentimento de Certos padroejros que não forão nomeados nas primeiras doações112.

Jtem outro estromento de doação do padroado da dita Jgreia per outros padroejros113.

Jtem huã confirmação da dita Jgreia per que foy confirmado nella o bispo e Cardeal de viseu a apresentação do Jffante dom fernando114.

Jtem hum estromento de como pero marquez / [13 v.] prouisor que hora he de viseu aceptou a dita Jgreia hapresentação do jffante dom luis sendo lhe collada polo papa de consentimento do verdadejro padroejro da dita Jgreia que Então hera o dito Jffante115.

Jtem hum estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao conde de marialua116.

Jtem quatro estromentos de posses do padroado da dita Jgreia aos Jffantes dom luis e dom fernando e ha condessa de marialua117.

Titullo da jgreia de Casteicão118

Jtem huã confirmacão da dita jgreia a apresentação do Conde de marialua dom Joam Coutinho119.

Jtem outra confirmação da dita jgreia aa confirmação do senhor dom Antonio digo a apresentação do senhor dom Antonio feita por o bispo dom Manoel de noronha. no ano de 1559.

Jtem huã sentença que o Conde de Marialua ouue sobre o padroado da dita Jgreia de Castejção e da de são Cosmado. contra o mosteiro da Carzeda.

Jtem dous estromentos do Rendimento da dita Jgreia

Jtem tres estromentos de posses do padroado da dita jgreia ao Jffante dom Luis e ao Jffante dom fernando e aa condesa de marialua dona breatiz de meneses.

Esta jgreia tem antonio Rebelo Capellão do senhor dom Antonio e prometeo paguar de /[fl. 14] pensão della vinte mil reais a hum fidalgo da Casa do senhor dom Antonio que estudaua Em Coimbra e depois de fejtas suas procuracões pera Roma Reuoguou as pollo que o senhor dom Antonio detremina de suplicar ao papa que lhe mande paguar a dita pensão com as mais decursas lembraraa jsto porque se aa de fazer negocio Em Roma.

Titulo da Jgreia de são Cosmado do bispado de lamego120

Jtem huã confirmação da dita Jgreia a apresentação do senhor dom Antonio

Jtem outra confirmação da dita Jgreia a apresentação do dito senhor.

Jtem tres estromentos digo quatro estromentos de posses do padroado da dita Jgreia .s. aos jffantes dom Luis e dom fernando e aa condesa de marialua121.

Titulo da jgreia de sam Joam da Rajua do bispado de Lameguo122

Jtem huã confirmação da jgreia de Rajua do bispado de lamego a vicente dominguez a apresentação de goncalo vaz coutinho123.

Jtem confirmação da dita Jgreia a apresentação do dito goncalo vaaz124.

Jtem outra confirmação da dita jgreia a apresentação do dito goncalo vaz125/

[14 v.] Jtem outra confirmação e colação a dominguos de Carualho iure diuoluto da dita jgreia de Rayua.

Jtem outra confirmação da dyta jgreia a apresentação de goncalo vaaz Coutinho per que foy confirmado lourenco miz por o bispo dom goncalo. na era de 1447.

Jtem huã doação do padroado da dita Jgreia de Raiua fejta a goncalo vaaz Coutinho

Jtem hum prazo de certos beens da jgreia de Rajua.

Jtem huã Jnquericão sobre a dita jgreia aa Jnstancia de Rodrigo afonso.

Jtem huã confirmação da dita Jgreia a apresentação do Conde dom francisco per que foy confirmado dom gastam seu Jrmão nella.

Jtem hum treslado de huã vnião da dita jgreia de Rajua de consentimento do padroejro126

Jtem quatro estromentos Em puprico do treslado dalguãs Confirmacões açima ditas da dyta jgreia e padroado della.

Jtem huã prouisão da dita Jgreia a dom luis coutinho127.

Jtem o treslado do sensual das jgreias do bispado em que estaa tresladada a verba que pertençe ao padroado da jgreia de Rajua

Jtem hum estromento do Rendimento da dita Jgreia.

Jtem huã sentença de Jorge de Carualho sobre a dita jgreia duplicada em dous estromentos pupricos128.

Jtem huã collação do bispo de Lamego a domingos de Carualho jure diuoluto129. /

[fl. 15] Jtem hum estromento de autos compulsados sobre a demanda que ouue antre o Conde de marialua e domingos de Carualho sobre a dita Jgreia da Rayua130.

Jtem quatro estromentos de posse do padroado da dita Jgreia .s. aos Jffantes dom luis e dom fernando e a condesa de marialua131.

Titulo da Jgreia de barcos132

Jtem hum estromento de doação <do padroado> da dita Jgreia fejta polos padroejros della a goncalo vaaz coutinho e confirmada pelo bispo de llamego dom Lourenço no anño de 1430 sendo a doação feita no anño de 1429.

Jtem huã confirmação da dita Jgreia a apresentação do Conde dom vasco coutinho no ano d 1450.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia a apresentação do Conde dom Joam coutinho no anño de 1468.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia hapresentação do Conde dom francisco no ano de 1499.

Jtem outra confirmacão da dita Jgreia hapresentação do senhor dom Antonio no anño de 1557.

Jtem hum breue de compulsoreães gerães Em fauor de Rodrigo afonso contra dom fernando Coutinho

Jtem hum Compromisso e estromento de Composição antre o jffante dom luis e o dito dom fernando Coutinho. /

[15 v.] Jtem hum estromento do Rendimento da dita jgreia.

Jtem huã Carta de francisco de guouuea de Emformação da dita Jgreia sobre a demanda que avia antre o Jffante e dom fernando Coutinho.

Jtem hum asynado de goncalo vaaz capelão do Jffante de confianca da dita Jgreia pera ser viguajro della

Jtem quatro estromentos de posse do padroado da dita Jgreia aos Jffantes dom luis e dom fernando e ao senhor dom Antonio.

Titulo da Jgreia de santiago de marialua133

Jtem hum treslado de huã Confirmacão da jgreia de marialua hapresentacão de hum134 dos Condes de marialua.

Jtem huã Confirmação da dita Jgreia a apresentação do Jffante dom luis.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia a apresentação do senhor dom antonio.

Jtem hum estromento sobre a dita Jgreia de marialua tyrado aa jnstancia de pero fernandez de cordoua conego d euora.

Jtem outro estromento tyrado aa Jnstancia da Religião do hospital de são Joam de jerusalem que pretendia ter derejto na dita Jgreia.

Jtem outro estromento de posse a suejro paiz da dita Jgreia de marialua.

Jtem huã confirmação e posse da dyta jgreia de marialua a dom pedro de menezes apresentação d el Rey135. /

[fl 16] Jtem hum estromento do Rendimento da dita Jgreia.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita Jgreia ao Jffante dom luis.

Jtem hum aluara d el Rey dom manuel sobre a dita jgreia.

Jtem hum estromento de posse do padroado de certas annexas da dita jgreia ao jffante dom fernando.

Jtem outro estromento de posse do padroado da dita jgreia ao dito jffante dom fernando per morte de dom pedro de meneses.

Esta Jgreia tem Ellias guoteRes Capellão do senhor dom antonio e aa de pagar cinquoenta mil reais de pensão aas freiras da jgreia de são digo do mosteiro de são joam da penitencia da villa d estremoz enquanto o senhor don antonio não composser as frejras doutra tanta Renda da mesma hordem de são joam e então poderaa transferir esta pensão noutra pesoa benemerita que lhe bem pareçer ou extingui la e de tudo isto haa largua136 Emformação nas supplicacões das bullas da vnião das jgreias do dito mosteiro as quais supplicações estão em Roma que se faz laa o negoceo per ellas.

Titullo da jgreia de sobrado137

Jtem huã confirmação da dita Jgreia de santa maria do sobrado a apresentação do Conde de marialua na era 1493

Jtem outra confirmação da dita Jgreia a apresentação do dito Conde na era de mil e quatrocentos e quorenta e tres138.

Jtem outra confirmação da dita jgreia hapresentação do dito conde de marialua na era 1493139. /

[16 v.] Jtem outra prouisão do nunçio da dita Jgreia a jorge de figuejroo a apresentação da condesa de marialua.

Jtem outra prouisão da dita Jgreia por o nuncio Lambicario a hum Rui martinz a quoal por ser surrectitia lhe foy mandada tomar por o jffante dom luis.

Jtem outro estromento de posse do dito padroado aos Jffantes dom luis e dom fernando e asy do Rendimento da dita Jgreia e da posse que tomauão os abbades confirmados na dita Jgreia e asy de huã protestação que o Jffante dom luis fez sobre o padroado da dita Jgreia

Titulo da Jgreia de são payo de Caria digo de são christouão de noguejra do bispado de Lamego140

Jtem huã Confirmação de são christouão de noguejra a apresentação dos fregueses na era de 1308

Jtem outra apresentação digo confirmação de huã Cação [?] de são christouão de noguejra a apresentação do abbade na era de 1433.

Jtem homze estromentos espritos Em purguaminho e em puprico todos de doacões que diferentes padroejros fizerão a goncalo vaaz coutinho do padroado da dita Jgreia de são christouão de nogueira

Jtem outro estromento de doação que Rui uasqueuez de paiua fez a goncalo vaaz coutinho com a aprouação do bispo de Lamego dom Joam no anño 1448.

Jtem dous estromentos de posse do padro/[fl. 17]ado da dita Jgreia ao Jffante dom luis e aa condessa de marialua.

Jtem duas Cartas missiuas do Jffante dom luis .s. ao dayão de Lamego e a belchior do Canto seu Capellão ao quoal apresentou na dita Jgreia.

Jtem a apresentação propria do dito Jffante feita a belchior do canto.

Jtem duas Jnquerições sobre a confirmação da dita Jgreia que foy feita a see vaguante ao dito belchior do Canto pollo Cabido de lamego e ambas são do mesmo theor e huã della que estaa Riscada não serue nem cumpre mestirar se por parte do senhor dom antonio.

Jtem hum estromento do Rendimento da dita Jgreia.

Jtem esta Jgreia pusuj o abbade della o bispo de Lamego dom Manoel de noronha e quando lhe derão o dito bispado prometeo a el Rey que aa larguaria pera prouer della o Jffante dom luis por ser de sua apresentação e por esse Resprito apresentou belchior do Canto foy confirmado a see vaguante <e> depois esteue Em posse alguuns messes e vindo o dito bispo pera o bispado tornou a lançar mão da Jgreia porque antes da confirmação de belchior do campo [sic] não fez renunciacão della Em forma per scripto senão per palaura que deu a el Rey pollo que tornou a Emuestir se na Jgreia a quoal Jgreia também estaa posta nos Registos das comendas pollo que querendo o bispo Renunciar a dita Jgreia conforme ao concilio no capellão della com certa porsão Reseruando pera sy os frujtos mandou dy/[17 v.]zer a el Rey que não pedia a sua alteza Licença pera Resignar esta Jgreia Como outras que tinha tambem das comendas pera que pedia Licença porque esta Jgreia de são christouão de nogueira hera da apresentação d senhor dom antonio como o fora do Jffante dom luis seu pay o que sua alteza sabya e deste Recado que o bispo mandou a el Rey aa huã carta de antonio fernandez seu capellão do bispo que foy aa corte estando em almejrim el Rey a negociar este negocio de suas Jgreias e a carta hera pera antonio Rodriguiz Rebello que screueo ao dyto antonio fernandez que não fizesse alguã cousa nesta Jgreia contra seruiço do senhor dom antonio.

Titulo da Jgreia de são pedro do souto141

Jtem duas bullas do papa lião decimo pera pedr afonso d aguiar pera poder ter a dita Jgreia do souto em comenda ha apresentação do Conde de marialua142.

Jtem huã confirmação da dita Jgreia apresentação do senhor dom Antonio143.

Jtem quatro estromentos de posse do padroado da dyta aos Jffantes dom luis e dom fernando e aa condessa de marialua144.

Jtem dous estromentos do Rendimento da dita Jgreia145.

Jtem desta Jgreia se am de lançar duas confirmações que forão fejtas della a apresentação do Jffante dom luis huã ao / [fl. 18] Jeronimo d osouro bispo que hora he do algarue e outra a antonio telles de menezes abbade de penedono. Lembraraa pedyrem se as proprias a estas duas pesoas que forão abbades e ambos as tem ou se tyrarem outras do Resisto do bispo de llamego omde estão autuadas as ditas confirmações.

Titullo da Jgreia de moos do bispado de Lamego146.

Jtem huã doação do padroado da dita Jgreia de padroejros leigos ao conde dom francisco147.

Jtem duas confirmacões a apresentacão dos ditos fregueses antes de darem o padroado ao dito conde huã na era de mil e quatrocentos e hum e outra no ano de 1480. pollo bispo dom guomez de miranda148.

Jtem huã prouisão da dita Jgreia por o nuncio Lambicario ao licenciado fernão Ribejro prouisor de Lamego a apresentação do Jffante dom luis.

Jtem quatro estromentos do padroado e posse delle aos Jffantes dom luis e dom fernando. e a condessa de marialua.

Jtem hum estromento do Rendimento da dita Jgreia.

Titullo da Jgreia de são Lourenco do sarzedo do bispado de Lamego149

[18 v.] Jtem huã confirmação de são lourenco de Carzedo a apresentação de goncalo vaaz coutinho.

Jtem outra cofirmacaom [sic] da dita Jgreia fejta pollo bispo dom guomez de Miranda no ano de 1482 apresentacão do Conde dom francisco Coutinho conde de marialua

Jtem Cinquo estromentos de posse do padroado da dita Jgreia aos Jffantes dom luis e dom fernando e a condessa de marialua.

Jtem hum estromento do Rendimento da dita Jgreia.

Jtem esta Jgreia he abbade della Rafael bota Capellão que foy do Jffante dom luis e tem licenca do senhor dom antonio pera a Renunciar com pensão por Rezão do concilio. Deue se de auer deste Rafael botado [sic] Confirmação propria e Lancar se no Cartorio do senhor dom antonio.

Titulo da Jgreia de santa maria de nesperejra do bispado de Lamego150

Jtem doação do padroado da dita Jgreia a goncalo vaaz coutinho feita por padroejros lejgos.

Jtem huã confirmacão da dita Jgreia apresentação do Conde de marialua.

Jtem tres estromentos de posse do padroado da dita Jgreia ao Jffante dom fernando e ao Jffante dom luis e condesa de marialua./

[fl. 19] Jtem outro estromento de posse ao Jffante dom luis per falecimento de symão de faria abbade da dyta Jgreia.

Jtem hum estromento do Rendimento da dyta Jgreia.

Esta Jgreia tem symão de guõis per apresentação do Jffante dom luis. lembre pedyrem lhe a confirmação ou o trelado Em puprico pera se Lançar no cartoreo do senhor dom antonio.

Titullo da jgreia de Ribafejta do bispado de viseu

Jtem dous estromentos peguado hum no outro espritos Em purguaminho de doação que foy fejta do padroado da Jgreia de santa maria de Ribafejta a goncalo vaaz Coutinho.

Jtem esta doação do padroado foy confirmada pollo papa jgnocencio

Jtem esta jgreia he abbade della hum Miguel Ribejro jrmão de antonio Ribeiro que foy do Cardeal de viseu. e tem o dyto miguel Ribejro annexada a dita Jgreia a huã conezia de viseu com titulo de arcediago em vida soomente. tem se lhe mandado falar pollo Licenciado fernão Sanchez se quer reconheçer o padroado por do senhor dom antonio deue sse de jnstar este negoçio porque a Jffanta dona maria pretende de ser padroejra desta Jgreia /[19 v.] e querendo este miguel <Ribejro> renuncia la em alguã sua pesoa faraa melhor negocio com o senhor dom antonio e com a jffanta dona maria portanto avirta se no que cumpre a este negocio.

Titullo da jgreia de são martinho de sãofins do bispado de lamego151

Jtem tres152 estromentos de posses digo 4 estromentos de posses do padroado da dyta Jgreia ao Jffante dom luis e ao Jffante dom fernando e aa condessa de marialua.

Esta Jgreia se faz menção em conhecimentos do Conde de marialua ser dado o padroado della antiguamente a goncallo vaaz coutinho seu antecessor a quoal doação foy confirmada pollo papa Jnocençio.

Jtem tem aguora esta Jgreia o lecenciado fernão Ribejro prouisor de Lamego a quoal ouue por prouison [sic] do nuncio e tem na annexada ao arciprestado de Lamego.

deue se de aduertir neste padroado153 como nos mais na maneira que pareçer.

Titulo da Jgreia de frechas

Jtem hum estromento de posse do padroado da dyta Jgreia ao Jffante dom fernando154.

Jtem hum estromento de Rendimento da dita Jgreia ao Jffante dom luis tyrado per francisco de155 /[fl. 20] digo per francisco de gouuea per mandado do dito Jffante.

Esta Jgreia estaa metida nas Comendas posto que nos conhecimentos dos papeis do Jffante estaa lançado Em Euentajro a doação do padroado da dita Jgreia feita a goncalo vaaz coutinho e asy foy confirmada a dyta doação pollo papa Jnocencio156.

Titullo das Jgreias que forão do Conde de marialua annexadas aa capela de santa Caterina e aguora são da vniuersidade

Jtem O titulo da Jgreia de são bertholameu de paredes com sua annexa de Riodades

Jtem seis confirmações <da dita igreia> apresentacão dos condes de marialua em diferentes tempos feitas pollos bispos de Lamego

Jtem hum priuilegio d el Rei dom Joam de boa memoria da comfirmacão dos priuilegios do couto de luimil.

Jtem hum processo decernjdo sobre a mesma Jgreia Em fauor do conde de marialua157.

Jtem huã quitação dos moradores de paredes e Riodades dado a dom goncalo coutinho do que lhes seu pay deuia158

Jtem quatro estromentos de posse do padroado da dita Jgreia aos Jffantes dom luis e dom fernando e aa condesa de marialua.

Jtem hum tombo das herdades que pertencem a são miguel de Riodades. /

[20 v.] Jtem outro tombo das herdades que pertençem a sam bertholameu de paredes.

Jtem Cimquo estromentos feitos na dyta Jgreia de visitacões e noutras da apresentação do Conde de marialua.

Titulo da Jgreia159 das antas e160 Sendim161

Jtem huã confirmação da Jgreia de Sendim feito polo bispo dom Joam de Lamego no ano de 1450 apresentação de vasco fernandez coutinho.

Jtem outra confirmação da dita Jgreia de Sendim do bispado de Lamego162 a apresentacão do Conde de marialua163.

Jtem hum estromento de visitação da dita Jgreia de sendim.

Jtem huã bulla das Jgreias das antas e sendim impetradas certo modo e faz menção o padroado dellas pertençer ao Conde de marialua164.

Jtem desaseis outros estromentos em puprico de posses dos padroados das Jgreias das antas e sendim e visitacões e aRendamentos fejtos todos aa jnstancia dos Jffantes dom luis e dom fernando e a condessa de marialua.

Jtem huã confirmação e vnião da Jgreia de são pedro de penedono hapresentação do Conde de marialua aa Jgreia de são miguel das antas jn perpetuum e no mesmo estromento vay huã confirmação de são miguel das antas a apresentação do Conde dom goncalo no anño de 1456165. /

[fl. 21] Jtem outra confirmação da Jgreia das antas a apresentacão de dom gonçallo Coutinho166.

Titullo das Jgreias de penella nomão e mujmenta167

Jtem huã confirmação da jgreia de são pedro de nomão a apresentação do Conde dom goncallo coutinho Conde de marialua168.

Jtem sete estromentos de posse do padroado da dyta Jgreia e visitacões e Rendimento da dita Jgreia aos Jffantes dom luis e dom fernando e a condesa de marialua.

Titulo da Jgreia de santa maria de penella169

Jtem duas confirmacões da dita Jgreia de penella a apresentacão dos condes de marialua dom goncalo e dom francisco seu filho170.

Jtem hum auto que o bispo dom fernando mandou fazer sobre os vigairos e capelães das Jgreias do Conde de marialua171.

Jtem outro auto dos titulos e jgreias da apresentação do Conde de marialua tirado do Liuro das Confirmações dos benefícios do bispado de Lamego172

Jtem sete estromentos de posses do padroado da dita Jgreia e visitacões e aRendamentos aos condes de marialua

Titullo da Jgreia de muimenta173 /

[21 v.] Jtem huã confirmação da dita Jgreia de são Joam de mujmenta fejta pollo bispo dom Rodrigo de noronha no ano de 1469 a apresentação do Conde de marialua dom joam coutinho.

Jtem outra confirmacão da dita Jgreia a apresentação do Conde dom guomcalo.

Jtem seis estromentos de posse do padroado da dita Jgreia de muimenta e visitacões e aRendamentos feitos aos Jffantes do luis e dom fernando e a condesa de marialua.

Jtem huã Emformação sobre as Jgreias annexadas a vniuersidade fejta per dom lopo ao [sic] bispo de miranda.

Jtem hum treslado da bulla e collação do Cardeal dom afonso das Jgreias da vniuersidade174

Jtem o treslado da bulla da extincão da vnião das ditas jgreias da vniuersidade de Cojmbra que foy antiguamente feito aa capela de santa Caterina per differentes papas e se achara antre os papeis da jgreia de são paio de Caria.

Jtem o Cartorio das jgreias de font arcada e sardoura não se poem aquy Em Euentairo porque o Jffante dom Luis que deus aja fez doação destas Jgreias aa vniuersidade por lho pedir el Rey dom Joam 3.º por serem do seu padroado do dito Jffante.

Jtem a sse de notar que estas Jgreias que ora tem a vniuersidade .s. a de mujmenta penela. paredes antas sendim que per todas são seis contando a de nomão forão antigamente aqueridos os padroados dellas175/[fl. 22] pollos Condes de marialua e seus antecessores e nunqua forão do padroado dos Reys de portugual tirando a de são pedro de nomão nem se achão nos Liuros dos padroados que estão na toRe do tombo de Lixboa que mandarão fazer os Reis de portugal e também se aa de notar pera confirmacão disto que os filhos destes condes de marialua andando muitas vezes Em demanda com o herdeiro da casa e morguado seu Jrmão mais velho sobre Rezão de beens partiueis e patrimoniães pedião partilhas dos padroados das Jgreias do Couto de Luimil no quoal couto estão postas estas Jgreias tirando a de nomão e alem disto em hum conhecimento antiguo de tres folhas de papel Jntejras que o conde dom goncalo deu aa condesa sua may de papeis e escrituras que della Recebia diz hum Jtem do dito Conhecimento estas palauras. honze doações que pertençem aos padroados das Jgreias do Couto de luimil nouo e velho todas leguadas huãs nas outras as quães doacões asy atadas não se achão no Cartorio que fiquou do Conde de marialua do Jffante do fernando e pareçe que se perderão ou se esconderão quando el Rey quis fazer vnião das ditas Jgreias aa vniuersidade. porque este Cartorio estaua Em mãao de gaspar de carualho e joam monteiro e esteue mujtos dias depois da morte do Jffante dom fernando athe se Entregar a antão soares. e pella mesma manejra se perderão ou esconderão todalas confirmações proprias e papeis de Jmportancia que pertencião aas ditas seis Jgreias porque alguãs confirmacões que aquy vaão Lancadas Em Rol as dema/[22 v.]is se tyrarão em puprico dos Resistos e Cartorio do bispo de Lamego. e a seis [sic] confirmações de paredes se acharão num cofre antigo que descobrio dom lopo d almejda que não foy Emtregue a antão soares.

Jtem hum maço de papeis que são per todos 13 .s. jnuentajros <do> Cartorio do Conde de marialua e conhecimentos de pa<pe>eis do mesmo Carthorio e aluaraes d el Rey e dos Jffantes e do senhor dom Antonjo que todos Releuão muito.

Jtem outro maço de papeis differentes que não vão Contados porque não Relleuão quasi nada.

Jtem outro maço grande de sentenças contratos de casamentos e qujtacões antre os condes de marialua e outras differentes pesoas sobre negocio de sua fazenda e outros estromentos e transaucões que pertencem aos padroados das Jgreias da apresentação do senhor dom antonio os quães são purguaminhos a mor parte e alguns papeis que per todos fazem soma de 22.

Jtem outro maço de testamentos e cousas que pertençem a elles de sentenças e apontamentos e protestações e aluaraas d el Rey dom Joam os quães papeis são per todos noue176 e nelles vão o testamento do conde e Jffante dona Guiomar

Jtem o testamento da condesa de marialua per que leixou per seu herdeiro ao Jffante dom luis. tem em lixboa o proprio huã guiomar do Couto que viue ao bajrro do marquez e lho derão os gouueas de font arcada a que fiquou per morte do Conde tem / [fl. 23] ho esta viuua pera se ajudar delle em sua justiça e desta guiomar do Couto se pode aver da quoal daraa Rezão Joam de barros esprivão da camara d el Rey.

Titullo da jgreia de santa marinha do Real177

Jtem tres estromentos de posse do padroado da dita Jgreia aos Jffantes dom fernando e dom luis e aa condesa de marialua178.

desta jgreia são aguora padroejros huns Ribejros do porto do padroado della foy dado antiguamente a guoncalo vaaz Coutinho e confirmado pollo papa jnocencio.

Titullo da jgreia de santa maria d avellãas da R[ib]ejra179

Jtem sobre esta jgreia se litigua e tem os papeis e titulos dela o doutor francisco vaaz procurador do senhor dom antonio em lixboa./

Notes

1 Veja-se o documento publicado em apêndice e adiante citado como Inventário. Apesar de ele não estar datado, nos títulos de S. Paio de Caria (Inventário, fl. 2) e de S. Ma do Paúl de Trava (Ibidem, fl. 7 v.) dois locativos temporais (“que hora he na era de 1565” e “o presente anno de 1565”) situam a redacção naquele ano.

2 Os poucos documentos anteriores àquela data (Ibidem, fls. 1 v., 3 v., 16 v., 18) não respeitam a membros da linhagem dos condes. Nesse sentido, o documento mais antigo é o que abre o título de Caria (Ibidem, fl. 1), que o redactor atribuiu ao ano de 1422, mas que pertence à Era de 1422. De facto, a confirmação da apresentação que Gonçalo Vasques Coutinho fizera de Pedro Álvares, de Goiães para Caria, que o redactor indica ser de 1423, data obrigatoriamente de 1385, já que a 3 de Novembro de 1389 Martim Vasques de Rabelo susbtituía o dito Pedro Álvares (I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 9, n.º 13) nessa igreja. Como seria de esperar, quando o redactor sumariou este último documento no título de Caria (Inventário, fl. 1 v.), datou-o de 1427. Por outro lado, o documento que abre o título de S. Miguel de Lobrigos (Ibidem, fl. 8 v.), que o redactor diz ser da Era de 1422, deve datar de 1422, já que aquela igreja não se encontra entre as que Bonifácio IX confirmou, em 1402 (I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 2, n.º 22), a Gonçalo Vasques.

3 Além dos exemplos citados na nota anterior, veja-se a doação ao mesmo Gonçalo Vasques do padroado da igreja de Barcos, que o redactor datou de 1429, indicando ter sido confirmada em 1430 pelo bispo de Lamego, D. Lourenço (Inventário, fl. 15), mas que datam, respectivamente, de 1391 e de 1392, já que aquele prelado (cf. M. Gonçalves da Costa, História do Bispado e Cidade de Lamego, vol. I, Lamego, 1977, pp. 179-83) está documentado entre 1363 e 1393, ano em que faleceu. De um modo geral, a atenção à cronologia da vida dos chefes da linhagem dos Coutinhos (cf. Luís Filipe Oliveira, A Casa dos Coutinhos: Linhagem, Espaço e Poder (1360-1452), Cascais, 1999, p. 41 e passim) basta para corrigir os erros do redactor.

4 Cf. F. Borja Aguinalde, “Elementos para una Historia de los Archivos y la Archivistica desde una perspectiva interdisciplinar”, Irargi. Revista de Archivistica, vol. I, 1988, pp. 77-8. No inventário de 1565, registou-se, aliás, a existência de inventários anteriores, como aquele que pertencera ao infante D. Fernando e que ficou identificado no título da igreja de Frechas (Inventário, fl. 20), aqueles três róis de igrejas do padroado do conde de Marialva, que ficaram noticiados no título de S. Paio de Caria (Ibidem, fl. 2 v.), além de outros inventários adiante citados.

5 Cf. A. Braancamp Freire, Os Brasões da Sala de Sintra, Coimbra, vol. III, 1930, p. 348. No próprio inventário (fls. 22 v.-23), há referência ao seu testamento e à nomeação do infante como seu herdeiro.

6 Inventário, fls. 3 v., 5, 10 e v., 11 e v.

7 Ibidem, fl. 7 v.

8 Cf. Ibidem, fls. 4 v., 6 v., 11 v., 12 v., 15 v.

9 I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 8, n.º 30 (de 13 de Maio 1564). No inventário (fl. 6 v.) guardou-se memória desta inquirição.

10 Sobre os critérios de classificação adoptados nos inventários, vejam-se as observações de F. Borja Aguinalde (op. cit., pp. 78-84). Para um exemplo concreto, consulte-se o inventário de 1570 do arquivo de S. Cruz de Coimbra (Arq. da Universidade de Coimbra, Livro de Índices de Santa Cruz de Coimbra, acessível no I.A.N./T.T., Microfilme 2048-2049), onde se justifica a adopção de um critério geográfico com os seguintes argumentos: “porque como seia mui grande e tenha copia de escrituras de diuersas partes e maneiras era mui dificultoso acharem se (...) fiz este Reportorio alfabetado (...) e o ordeney e deuidi per Regiões de terras çidades villas e luguares pondo cada huum delles distintos e apartados os huuns dos outros (...) foy neçessario em huum almario por muitos luguares e as escrituras que a elles pertençem pus em sacos com escritos do luguar a que pertençem” (Ibidem, Microfilme 2048, fl. 1).

11 Inventário, fl. 6.

12 Ibidem, fls. 8 e v., 20.

13 Ibidem, fls. 20 v.-21.

14 Ibidem, fls. 9 (S. Miguel de Lobrigos) e 11 v. (S. Pedro da Sé de Lamego).

15 Ibidem, fl. 21 v.

16 Ibidem, fls. 1 e v., 2, 12, 18, 22 e v.

17 Ibidem, fls. 11, 18 v., 19.

18 Ibidem, fls. 21 v., 7.

19 Ibidem, fl. 14 v. Veja-se a nota 126 do documento publicado em apêndice.

20 Ibidem, fl. 5 v.

21 Ibidem, fl. 12 v. Uma anotação posterior atribuiu esta doação ao ano de 1456, mas deve tratar-se da Era de 1456, pois naquele ano já Gonçalo Vasques tinha há muito falecido.

22 Ibidem, fl. 20.

23 Ibidem, fl. 10.

24 Ibidem, fls. 1 v.-2.

25 Ibidem, fls. 1, 22 v.

26 Ibidem, fls. 20-22 v.

27 Ibidem, fl. 22.

28 Ibidem.

29 Ibidem.

30 Ibidem, fl. 22 v.

31 Ibidem, fls. 22 v.-23.

32 Cf. C. Flores Varela, “El Estado Senorial de Gálvez: Organización Institucional y Documental”, in La Investigación y las Fuentes Documentales de los Archivos (I y II Jornadas sobre Investigación en Archivos), Guadalajara, 1996, pp. 1007-8. Para um panorama da organização dos arquivos familiares em Espanha, vejam-se ainda as comunicações de P. Bravo Lledó e A. Pedrero Pérez (“Los Archivos Familiares: Fuentes poco conocidas, Ibidem, pp. 1025-33) e a de A. Vaamonde Gamo (“Los Archivos Familiares de la Nobleza Gallega: El Archivo de los Vaamonde en la Casa Solar de Ouces, Ibidem, pp. 1035-43), embora respeitem sobretudo à época moderna. Quanto à orgânica das chancelarias senhoriais, veja-se J. Trenchs e R. Conde, “La Escribania-Cancelleria de los Condes de Urgel (S. IX-1414), Folia Munichensia, Saragoça, 1985, pp. 7-129; A. Canellas Lopez, “De re diplomática: La cancilleria senorial de Albarracin (1170-1294), Ibidem, pp. 131-240; M. J. Sanz Fuentes, “Cancillerias Senoriales”, La Nobleza Peninsular en la Edad Media. VI Congresso de Estudios Medievales, Leão, 1999, pp. 325-41.

33 Cf. As Gavetas da Torre do Tombo, Lisboa, 1963, vol. III, pp. 557-80.

34 Como assinala F. Borja Aguinalde (op. cit., p. 80), a exclusão de documentos de um inventário facilitava a sua destruição posterior.

35 Cf. I.A.N./T.T., Gaveta IX, Mç. 2, n.º 16.

36 Cf. I.A.N./T.T., Gaveta XV, Mç. 22, n.º 26 (de 4 Nov. de 1441).

37 Para uma síntese das fontes utilizadas e dos trabalhos publicados nos últimos anos, veja-se: J. Mattoso, “Introdução ao estudo da nobreza medieval portuguesa”, A Nobreza Medieval Portuguesa, Lisboa, 1980, pp. 11-32; idem, “Perspectivas actuais sobre a Nobreza Medieval Portuguesa”, Revista de História das Ideias, 1997, vol. 19, pp. 7-37.

38 Por cima da linha, acrescentou-se noutra letra e depois riscou-se: “e trespassação”.

39 Riscado posteriormente.

40 Por baixo do último item, mas noutra letra, acrescentou-se: “Jtem hua doação feita per aldara dominguiz ao abbade domingos dominguiz de Caria no anno de 1359”.

41 Esta verba foi acrescentada na margem, pela mesma mão, mas com chamada para o corpo do texto.

42 Outra mão acrescentou: “no anno de 1564”.

43 O “s” foi sobreposto ao “e”.

44 Acrescentado por outra mão: “anno quarto decimo”.

45 Outra mão acrescentou “no anño de 1514”.

46 Outra mão acrescentou “no anño de 1537”.

47 Na margem direita deste item, tal como nos dois seguintes, outra mão anotou “1530”.

48 Por baixo deste item, outra mão acrescentou: “Jtem hum estromento de Requerimento fee certidão [sic] pedido em pubriqua forma em como o conde estaua em posse da igreia de são paio de carja anno de 1527”.

49 Por cima deste item, outra mão acrescentou: “+ huã sentença do conde de mariaalua e loule contra o concelho de caria sobre a confirmação dos Juizes no anno de 1498”.

50 Outra mão anotou: “anno 1527”.

51 Outra mão anotou: “no anno de 1506”.

52 Sobre o “h” outra mão escreveu um “d”, sem que aquele tenha sido riscado.

53 Outra mão anotou: “no anno de 1514”.

54 Por baixo deste item, outra mão acrescentou: “Jtem huã sentenca dada pelo conde contra o bispo de lamego dom fernando pera o meterem de posse de são pajo de carja no anno de 1521”.

55 Este item e os dois seguintes foram acrescentados à margem, pela mesma mão, mas com chamada para o corpo do texto.

56 À margem, outra mão acrescentou: “visto”.

57 Outra mão anotou: “anno de 1530”.

58 Outra mão acrescentou: “1550 annos”

59 Outra mão anotou: “no anno de 1590”. E na margem esquerda registou-se: “Tombos dos proprios e passaes da igreia de são christouão d espadanedo fejto no anno de 1564”.

60 Neste item e no seguinte, outra mão acrescentou: “1564 annos”.

61 Após este item, outra mão acrescentou: “Jtem hum estromento de posse de são christouão d espadanedo a francisco gomez apresentações mixta do senhor dom antonio e do bispo do porto dom manuel d azeuedo no anno de 1564 Jtem huã enformação em Raso da dita jgreia que se tomou em tarouquella”.

62 À margem, outra mão anotou: “visto”. Talvez tenha sido a mesma mão que emendou o título e o primeiro item, de acordo com o teor das ressalvas respectivas.

63 Outra mão acrescentou: “com outra de jorge botado a belchior pireira”.

64 Depois deste item, outra mão acrescentou: “Jtem carta do vigairo da guarda fernão vallente que manda meter de posse a jorge botado da dita jgreia”.

65 A primeira linha desta anotação foi escrita sobre o título seguinte: Titullo da Jgreia de santiaguo de luimil”, que ainda é legível, embora tenha sido apagado por raspagem.

66 À margem, outra mão acrescentou: “visto”.

67 Outra mão anotou: “1491 annos”.

68 Outra mão anotou: “1425”.

69 Outra mão anotou: “1532 annos”.

70 Outra mão anotou: “1538 annos”.

71 Outra mão anotou: “1490 annos”.

72 Outra mão anotou: “1455 annos”.

73 Outra mão acrescentou: “1455 annos”.

74 Outra mão anotou: “no anno de 1517-1522”.

75 Riscado “dom”.

76 À margem, outra mão acrescentou: “visto”.

77 À margem, anotou-se: “+ Tombo dos proprios e passães da igreia de são tiago de lyomil no anno de 1564”.

78 À margem, acrescentou-se posteriormente: “esta procuração ha se de busquar”. E sob aquele item outra mão registou: “Jtem hum aluara do bispo dom fernando de lamego em como mandou dar ao Jffante dom fernaondo [sic] o Rendimento da dita Jgreia que estaua em deposito ate se prouer”.

79 Outra mão acrescentou: “passadas no anno de 1498”.

80 Outra mão anotou: “1498”.

81 Outra mão anotou: “1499”.

82 Outra mão acrescentou: “1496 1598 – e juntamente hu” [sic], depois de ter corrigido o número de estormentos para “dous”. À margem, anotou-se: “+ hum aluara d el Rej a condesa pera o paul de traua ser demarcado no anno de 1496”.

83 O redactor escreveu primeiro “1464”, tendo depois riscado o primeiro “4” e escrito por cima um “5”.

84 À margem, outra mão anotou: “visto”.

85 À margem, outra mão anotou: “visto”.

86 Outra mão acrescentou: “e juntamente de são miguel de lobrjgos”.

87 À margem, outra mão anotou: “visto”.

88 Sobre a última letra desta palavra, a mesma mão acrescentou as letras “uada”.

89 A letra “n” está sobreposta a um “a”.

90 A letra “a” está sobreposta a um “d”.

91 Riscado o título seguinte: “Titullo dos Tombos dos pasaes de certas jgreias do Senhor dom antonio

Jtem da jgreia de são christouão d espadanedo de santiago de piães de santiago de luimil de santiago de marialua de sam miguel de pera da jgreia das antas”. O redactor suprimiu este título, certamente por se enquadrar mal no âmbito com que o inventário foi concebido.

92 Sob este item, outra mão acrescentou: “jtem tombo dos proprios e passães da Jgreia de sãotiago de piães no anno de 1564”.

93 Riscado “por”.

94 Outra mão acrescentou: “1595 [sic]”. E, à margem anotou: “ha se de buscar”.

95 À margem outra mão anotou: “ha se de buscar”.

96 Depois de corrigir o número para três, outra mão acrescentou: “e a condesa”.

97 À margem, outra mão anotou: “visto”.

98 Outra mão acrescentou: “no anno de 1456”.

99 Outra mão acrescentou: “no anno de 1514”.

100 Outra mão acrescentou: “no anno de 1531”.

101 Outra mão acrescentou: “no anno de 1529”. E riscou a palavra: “apresentação”.

102 Outra mão acrescentou: “1555 annos”.

103 Outra mão acrescentou: “1471 annos”. E à margem anotou: “ha se de buscar”.

104 Outra mão riscou a ressalva.

105 Outra mão acrescentou: “no anno de 1549”. E sob este item: “jtem dos proprios e passães da jgreia de são Miguel de pera no anno de 1564”.

106 Outra mão acrescentou: “no anno de 1543”.

107 A seguir a este item e antes do título seguinte, outra mão acrescentou: “jtem hum aluara d el Rej dom sebastião em que manda que se distrate o contrato que se se fez entre a igreja de são miguel de pera e santa maria do paul no anno de 1563”.

108 Outra mão acrescentou: “são Lourenco”. E à margem anotou: “visto”.

109 Outra mão acrescentou: “1503 annos”.

110 Outra mão acrescentou: “feito pelos padroeiros ao conde no anno de 1503”.

111 Outra mão acrescentou: “no anno de 1510”.

112 Outra mão acrescentou: “no anno de 1510”.

113 Outra mão acrescentou: “no anno de 1506”.

114 Outra mão acrescentou: “1533 annos”.

115 Outra mão acrescentou: “1550 annos”. E por cima deste item e ao alto do fólio registou: “+ dous estromentos de posse da jgreia de santa heufemea da jgreia de são Lourenco de sueiro piriz a condessa e outra ao Jffante dom fernando no anno de 1533-1537”.

116 À margem, outra mão anotou: “ha se de buscar”.

117 Outra mão acrescentou: “1560-1530-1533-1538-annos”.

118 À margem, outra mão anotou: “visto”.

119 Outra mão acrescentou: “1564”, talvez por troca com 1464.

120 À margem, outra mão anotou: “visto”.

121 A seguir a este item e antes do título seguinte, outra mão acrescentou: “Jtem hum estromento do Rendimento da dita Jgreia feito no anno de 1543”.

122 À margem, outra mão anotou: “visto”.

123 Outra mão acrescentou: “1423 – a Rodrigo de moura”.

124 Outra mão acrescentou: “1423”.

125 Sob este item, outra mão acrescentou: “apresentação do senhor dom Antonio – 1556”.

126 À margem, outra mão anotou: “ha duujda se hum papel que esta com os mais no maço”.

127 Outra mão acrescentou: “1543”.

128 Outra mão acrescentou: “1532 anos”. E depois de riscar “huã” aumentou o número de sentenças para “duas”.

129 Outra mão acrescentou: “1543 annos”.

130 Outra mão acrescentou: “1543 annos”.

131 Outra mão acrescentou: “a da condesa no anno de 1537. a do jffante dom Luis 1543 anos outra ao mesmo jffante do anno 1538. e a dos Jffantes dom fernando e a jffante dona guiumar. 1530 anos”.

132 Outra mão esclareceu: “que se chama santa maria de soueroso”.

133 À margem, outra mão anotou: “visto”.

134 As palavras “de hum”, que estão fora da mancha do texto, foram acrescentadas posteriormente, mas ainda, talvez, pelo redactor do inventário.

135 Sob este item, outra mão acrescentou: “Jtem tombo dos proprios e passães da ygreia de santiago de maryalua do anno de 1564”.

136 Riscado um “s” final.

137 À margem, outra mão anotou: “visto”.

138 Outra mão acrescentou: “digo 1493”. E escreveu “nouenta” sobre a palavra “quorenta”, depois de a ter riscado.

139 A data foi corrigida para 1494 por outra mão, que riscou o “3”.

140 Posteriormente, riscou-se o engano no título.

141 À margem, anotou-se posteriormente: “visto”.

142 À margem, outra mão anotou: “+ hum estromento”.

143 Outra mão anotou: “1564”.

144 Outra mão anotou: “1530 – outros 1530-1537-1538”.

145 Outra mão anotou: “1543 – falta hum”, tendo riscado em seguida esta observação.

146 À margem, outra mão anotou: “visto”.

147 Outra mão anotou: “1493 anos”.

148 Outra mão anotou e depois riscou: “ambas fejtas no anno de 1564”.

149 Outra mão anotou: “tem oito papeis visto”. E à margem: “visto”.

150 À margem, outra mão anotou: “visto”.

151 À margem, outra mão anotou: “visto”.

152 Posteriormente, riscou-se esta palavra e escreveu-se “quatro”.

153 Riscada uma palavra.

154 Outra mão anotou: “1530 anos”.

155 A palavra seguinte está quase ilegível por ter sido riscada numa época posterior. Por cima dela, escreveu-se: “de gouuea”. A mesma mão acrescentou: “1543 annos”.

156 A seguir a este item, outra mão acrescentou: “Jtem mais tres aluaras d el Rey dom João em que ha por bem de confirmar a dona guiumar todas as cousas de tranquoso”.

157 Outra mão anotou: “1510 anos”.

158 Outra mão anotou: “– 1451 – anos”.

159 Outra mão sobrescreveu: “de santa maria”.

160 Outra mão sobrescreveu: “santa maria de”.

161 À margem, outra mão anotou: “visto”.

162 Outra mão sobrescreveu, com chamada na linha: “dom fernando [sic]”.

163 Outra mão anotou: “1502 annos”.

164 Outra mão anotou: “1514 annos”.

165 Na margem e reportando-se ao primeiro documento, outra mão anotou: “no anno de 1483”.

166 Outra mão anotou: “no anno de 1456”.

167 À margem, outra mão anotou: “visto”.

168 Outra mão anotou: “1564”, talvez por troca com 1456. Na margem direita, mas sem chamada para o corpo do texto, o redactor do inventário acrescentou: “Jtem duas confirmações da jgreia de santa maria de ual do boi anexa a são pedro de nomão”. E, em seguida, outra mão anotou: “no anno de 1412”.

169 À margem, outra mão anotou: “visto”.

170 Outra mão anotou: “1564 anos ambas [sic]”.

171 Outra mão anotou: “1564”.

172 Outra mão anotou: “1564”.

173 À margem, outra mão anotou: “visto”.

174 Outra mão anotou: “1527”.

175 À margem, outra mão anotou: “Jgreias da vniuersidade .s. são João mujmenta s. maria de penella s. b. de paredes antas sendym nomão”.

176 Riscadas duas palavras, sendo a primeira “que”.

177 À margem, outra mão anotou: “visto”.

178 Outra mão anotou: “anos de 1530-1537-1538”.

179 Um rasgão provocado por uma dobra antiga impede a identificação das letras.

Notes de fin

1 Na transcrição do documento seguiram-se as normas utilizadas nas edições do Centro de História da Universidade Nova de Lisboa, mas sem marcar os finais de linha e sem assinalar, com itálicos ou sublinhados, as letras ou palavras abreviadas no original.

Auteur

Universidade do Algarve

© Publicações do Cidehus, 2001

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540

Cette publication numérique est issue d’un traitement automatique par reconnaissance optique de caractères.
Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search