Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

Os Académicos Eborenses na Primeira Metade de Seiscentos

 | 
Maria da Conceição Ferreira Pires

Bibliografia

Texte intégral

1. Fontes manuscritas e impressas

Acta Publice in hac Academia Eborensi. Hoc Libro Continentur eaquae acta sunt publice in hac Academia Eborensi ab anno nativitatis dni 1571, tomos I-II (BPE, cód. CVIII/2-7 e CVIII/2-8).

Acta Publice in Ebor. Academia. Hoc Libro Continentur eaquae acta sunt publice in hac Eborensi academia ab anno 1620 (BNL, cód. 4515).

ALMEIDA, Manuel Pires de, “Discurso Apologetico em que mostra ser o assumpto dos Lusiadas de Luiz de Camões as acções, que os Reys, Principes, Capitães, e Illustres varões Portugueses obraram em Europa, Africa, e Asia. Exercicio Poetico do Ldo Manoel Pirez d’Almeida”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. I, fls. 237-279v. (ANTT); publicado por CUNHA, Maria Helena Ribeiro e PIVA, Luiz, Lirismo e epopéia em Luís de Camões, São Paulo, Ed. Cultrix, 1980.

—, “Exame de M. P. d’A. sobre o particular juizo, que fes M. S. de F. das partes, que ha de ter a epopeia, e de como Luis de Camoes as guardou nos seus Lusiadas”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. I, fls. 170-236v (ANTT).

—, “Exame sobre o Discurso Poetico de Manoel de Galhegos á Ulyssea ou Lisboa edificada, poema heroico do Doutor Gabriel Pereyra de Castro. Exercicio Poetico do Licenciado Manoel Pires d’Almeida”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. I, fls. 296-310 (ANTT).

—, “Juizo critico sobre a Visam, do indo, e Ganges, Rios da India a el Rey Dom Manuel, representada nos Lusiadas de Luis de Camoes em o canto quarto”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. II, fls. 215-232v. (ANTT).

—, “Poeta. Regimento Poetico”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. II, fls. 65-l60v (ANTT).

—, “Replica Apologetica á resposta do licenciado Joam Soares de Brito do Juizo da Visam do Indo, e Ganges, escrita com a penna do author do mesmo Juizo. Exercicio Poetico”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. II, fls. 340-383v (ANTT).

—, “Resposta ao Juizo do Poema dos Lusiadas de Luis de Camões em que se mostra não ter as perfeições que lhe atribui e ter outras conformes a sua invenção e sua matéria”, in Manuscritos de Manuel Pires de Almeida, vol. I, fls. 314-336 (ANTT); publicado por PIRES, Maria Lucília G., in A crítica camoniana no século XVII, Biblioteca Breve, Lisboa, ICALP, 1982.

BARRETO, João Franco, Bibliotheca Luzitana: autores portuguezes, s/d. (BNL, Ms, texto fotocopiado).

—, Discurso Apologetico sobre a Visão do Indo e do Ganges no Canto IV dos Lusiadas, Évora, Typ. Eborense de F. C. Bravo, 1895.

—, Micrologia Camoniana, Lisboa, INCM-BN, 1982.

—, Ortografia da Lingva Portvgveza, Lisboa, na officina de Joam da Costa, 1671.

BRANDÃO, Fr. António, Monarquia Lusitana, vol. III, Lisboa, na impressão Craesbeeckiana, 1690; vol. IV, 2a ed., Lisboa Oriental, na officina Ferreyriana, 1725.

BRANDÃO, Fr. Francisco, Monarquia Lusitana, vol. V, Lisboa, na officina de Paulo Craesbeeck, 1650; vol. VI, Lisboa, na officina de Joam da Costa, 1672.

BRITO, Fr. Bernardo de, Monarquia Lusitana, vols. I-II, Lisboa, na impressão Craesbeeckiana, 1690.

BRITO, João Soares de, Apologia em que defende Joam Soares de Brito a Poesia do Principe dos Poetas d’Hespanha Luis de Camoens, Lisboa, na officina de Lourenço de Anveres, 1641.

—, Theatrum Lusitaniae Litterarium sive Bibliotheca Schriptorum omnium Lusitanorum Auctore, Conimbricae Typis Academicis, 1655 (BNL, Ms, cód. 6915).

Carta De Manoel Severim de Faria Chantre da Se de Evora; Escrita á S.ra D. Bernarda Ferreyra de Lacerda (BNL, Colecção Pombalina, Ms, Cód. P.B.A. 484).

CASTRO, Gabriel Pereira de, Ulisseya ou Lysboa Edificada, Lisboa, por Lourenço Crasbeeck, 1636.

Catalogo dos Chantres da Santa Igreja Eborense (BPE, Ms, Col. Manizola, Cód. 108).

CRISTO, Fr. André de (André Froes de Macedo), “Juizo Poetico”, in VASCONCELOS, Manuel Mendes de Barbuda e, Virginidos ou Vida da Virgem Senhora Nossa, Lisboa, na officina de Diogo Soares de Bulhoens, 1667.

Estatutos da Universidade de Évora (BPE, Ms, códices CV/2-15, CXIV/2-31 e CVIII/1-20).

FARIA, Manuel Severim de, Compendio de varias obras de authores portugueses, 1613, (BNL, Ms, cód. 13179).

—, Discursos Vários Políticos, 4a ed., Lisboa, INCM, 1999.

—, “Livro da Noticia de Portugal E estados Sugeitos a sua Coroa. Em q se trata da milicia do Reyno”, tomo II (BNL, Ms, cód. 917).

—, “Miscelâneas literárias” (BNL, Mss, códices 7640, 7641, 7642 e 8571).

—, Noticias de Portugal, Lisboa, na officina Craesbeeckiana, 1655.

GALHEGOS, Manuel de, “Discurso Poetico”, in CASTRO, Gabriel Pereira de, Ulysseia ou Lisboa edificada, Lisboa, por Lourenço Crasbeeck, 1636.

LACERDA, Bernarda Ferreira de, Hespaña Libertada, Lisboa, en la officina de Pedro Crasbeeck, 1618 (parte I).

—, Soledades de Buçaco, Lisboa, por Mathias Rodrigues, 1634.

MACEDO, José de, Antídoto da Língua Portuguesa, Amesterdão, em casa de Miguel Diaz, s/d, [1710].

MENEZES, D. Francisco Xavier de, Henriqueida, Lisboa Occidental, na officina de Antonio Isidoro da Fonseca, 1741.

SÃO BOAVENTURA, Fr. Fortunato de, “Memoria sobre a vida do Chronista mór Fr. Antonio Brandão”, in Historia e Memoria da Academia Real das Sciencias, tomo VIII, parte II, Lisboa, na Typographia da mesma Academia, 1823.

—, “Memoria Do que se póde acrescentar ao que corre impresso na Bibliotheca Lusitana sobre a vida e escriptos do Chronista Mór Fr. Francisco Brandão”, in Historia e Memoria da Academia Real das Sciencias, tomo X, parte I, Lisboa, na Typographia da mesma Academia, 1827.

SILVEIRA, Miguel da, El Macabeo: Poema Heroico, Nápoles, por Egidio Longo, 1638.

SOUSA, Manuel de Faria e, Lvsiadas de Lvis de Camões comentadas por Manuel de Faria e Sousa (reprodução fac-similada pela edição de 1639; Comissão Nacional do IV Centenário da Publicação de «Os Lusíadas»), Lisboa, INCM, 1972, 2 volumes.

—, Noches Claras, Divinas, y Humanas Flores, 2.a ed. Lisboa, en la officina de Antonio Craesbeeck de Mello, 1674.

2. Bibliografia geral

AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel P. de, Teoria da Literatura, 2.a ed., Coimbra, Livraria Almedina, 1969.

—, Teoria e Metodologia Literárias, Lisboa, Universidade Aberta, 2002.

ALMEIDA, Isabel, “Apresentação Crítica”, in Poesia Maneirista, colec. Textos Literários, Lisboa, Editorial Comunicação, 1998.

ALVES, Hélio J., Camões, Corte-Real e o Sistema da Epopeia Quinhentista, Coimbra, Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, 2001.

—, “Manuel de Faria e Sousa e Manuel Pires de Almeida: uma contenda fundamental em torno de Camões”, in AAVV, Homenagem ao Professor Augusto da Silva, Universidade de Évora, 2000.

AMADO, Maria Tereza, A «Língua do Ver» na Espanha dos Áustrias: criação de memória e fixação de ideais, dissertação de Doutoramento em Historiografia, Universidade de Évora, Évora, 1997.

AMORA, António Augusto Soares, “A crítica feita ao poema no decurso da história literária”, in Actas da I Reunião Internacional de Camonistas, Lisboa, ed. Comissão Executiva do IV Centenário da Publicação de «Os Lusíadas», 1973.

—, Manuel Pires de Almeida – um crítico inédito de Camões, São Paulo, Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, 1955.

—, “Análise retrospectiva e prospectiva dos estudos camonianos em 1980”, in Brotéria, vol. 110, Lisboa, 1980.

ANGENOT, Marc et alii, Teoria Literária. Problemas e perspectivas, Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1995.

ANSELMO, Artur, Origens da Imprensa em Portugal, Lisboa, INCM, 1981.

—, Camões e a Censura Literária Inquisitorial, Braga, Barbosa e Xavier, 1982.

ARISTOTE, La Poétique, texte, traduction et notes par Roselyne Dupont-Roc et Jean Lallot, collection Poétique, Paris, Éditions du Seuil, 1980.

ASENSIO, Eugenio, “España en la épica portuguesa del tiempo de los Filipes”, in Estudios Portugueses, Paris, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro Cultural Português, 1974.

BELO, Filomena e ROCHA, Manuela, “Anatomia do Primeiro Periódico Português”, in Claro. Escuro. Revista de Estudos Barrocos, dir. Ana Hatherly, vol. I, Lisboa, Quimera Editores, 1988 (Nov.).

BERRIO, Antonio García, Teoría de la Literatura (La Construccíon del Significado Poético), 2.a ed., Madrid, Ediciones Cátedra, 1994.

BOBES, Carmen et alii, Historia de la Teoría Literaria – La Antiguedad Grecolatina, vol. I, Madrid, Editorial Gredos, 1995.

BORRALHO, Maria Luísa, “Academias”, in Biblos – Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa, vol. I, Lisboa/São Paulo, Editorial Verbo, 1991.

BOURDIEU, Pierre, As Regras da Arte – Génese e Estrutura do Campo Literário, Lisboa, Editorial Presença, 1996.

—, “Le champ littéraire”, in Actes de la recherche en Sciences Sociales, n.º 89, Paris, Les Éditions du Minuit, Septembre/1991.

—, “Le marché des biens symboliques”, in L’Année Sociologique, vol. 22/23, Paris, PUF, 1971.

BOUZA, Fernando, Corremanuscrito – Una Historia Cultural del Siglo de Oro, Madrid, Ediciones de Historia, S.A., 1991.

BRAGA, Teófilo, História da Literatura Portuguesa: Os Seiscentistas, vol. III, Colec. Temas Portugueses, Lisboa, INCM, 1984.

BRANCO, Camilo Castelo, Curso de Litteratura Portugueza, vol. II, Lisboa, Livraria Editora de Matos Moreira & C.ª, 1878.

BRANCO, Fernando Castelo, Lisboa Seiscentista, 3.a ed., Lisboa, Câmara Municipal de Lisboa, 1969.

BUESCU, Maria Leonor Carvalhão, Aspectos da Herança Clássica na Cultura Portuguesa, Lisboa, ICALP, 1979.

BUESCU, Ana Isabel, Memória e Poder – Ensaios de História Cultural (Séculos XVI-XVIII), Lisboa, Ed. Cosmos, 2000.

BURY, Emmanuel, Le Classicisme, Paris, Éditions Nathan, 1993.

CAEIRO, Francisco José, “Reabilitação do Historiador Seiscentista D. Agostinho Manuel e Vasconcelos”, in Anais da Academia Portuguesa da História, II.a Série, vol. 21, Lisboa, Ministério da Educação Nacional, 1972.

CALAFATE, Pedro, “Academias em Portugal”, in Logos – Enciclopédia Luso-Brasileira de Filosofia, vol. I, Lisboa/São Paulo, Editorial Verbo, 1989.

CARRILHO, Manuel Maria, “As Raízes da Retórica: A Antiguidade Grega e Romana”, in Michel Meyer et alii, História da Retórica, Colec. Memórias do Mundo, Lisboa, Ed. Temas e Debates, 2002.

CASTRO, Aníbal Pinto de, “Aquiles Estaço, o primeiro comentador peninsular da «Arte Poética» de Horácio”, in Arquivos do Centro Cultural Português, vol. X, Separata da Revista da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris, 1976.

—, “Os Códigos Poéticos em Portugal do Renascimento ao Barroco. Seus Fundamentos. Seus Conteúdos. Sua Evolução”, Separata da Revista da Universidade de Coimbra, vol. 31, Coimbra, 1984.

—, “Prefácio”, in BARRETO, João Franco, Micrologia Camoniana, Lisboa, INCM-BN, 1982.

—, Retórica e Teorização Literária em Portugal – Do Humanismo ao Neoclassicismo, Coimbra, Centro de Estudos Românicos, 1973.

CHARTIER, Roger, A Ordem dos Livros, Lisboa, Editorial Vega, 1997.

CIDADE, Hernâni, A Literatura Autonomista sob os Filipes, Lisboa, Livraria Sá da Costa, 1948.

CUNHA, Maria Helena Ribeiro e PIVA, Luiz, Lirismo e epopéia em Luís de Camões, São Paulo, Ed. Cultrix, 1980.

CURTO, Diogo Ramada, “A história do livro em Portugal: uma agenda em aberto”, in Leituras – O Livro Antigo em Portugal e Espanha (séculos XVI-XVIII), Revista da Biblioteca Nacional, n.º 9-10, Lisboa, 2001/02.

—, O Discurso Político em Portugal (1600-1650), Colec. Temas de Cultura Portuguesa, n.º 12, Lisboa, Universidade Aberta, 1988.

DELGADO, Iva, Escritores Políticos de Seiscentos, colec. Biblioteca Breve, Lisboa, ICALP, 1986.

DIRKX, Paul, Sociologie de la littérature, Colec. Cursus Lettres, Paris, Ed. Armand Colin, 2000.

ESCARPIT, Robert, Sociologie de la Littérature, 6.a ed., Paris, PUF, 1978.

FEBVRE, Lucien e MARTON, Henri-Jean, O Aparecimento do Livro, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2000.

FERREIRA, Maria Ema Tarracha, “A carta na literatura”, in Clube do Coleccionador, s/l., Setembro/2003.

FERREIRA, Maria Natália de Frias de Almeida, Certames poéticos académicos realizados em Lisboa nos séculos XVII e XVIII, dissertação de Mestrado, Lisboa, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 1992.

FIGUEIREDO, Fidelino de, Historia da Critica Litteraria em Portugal – Da Renascença á Actualidade, 2.a ed., Lisboa, Livraria Clássica Editora, 1917.

—, Historia da Litteratura Classica, 2.a epocha (1580-1756), Lisboa, Livraria Clássica Editora, 1922.

FLASCHE, Hans, “O método de comentar de Manuel de Faria e Sousa”, in Actas da I Reunião Internacional de Camonistas, Comissão Executiva do IV Centenário da Publicação de «Os Lusíadas», Lisboa, 1973.

FONSECA, Francisco da, Evora Gloriosa, Roma, officina Komarekiana, 1728.

FORTES, Agostinho, “Academias Seiscentistas”, in Historia da Literatura Portuguesa Ilustrada, dir. de Albino Forjaz de Sampaio, vol. III, Academia das Ciências de Lisboa, Lisboa, Livraria Bertrand, 1932.

GLASER, Edward, “Manuel de Faria e Sousa and the mythology of «Os Lusíadas»”, in AAVV, Separata da Miscelânea de Estudos a Joaquim de Carvalho, n.º 6, Figueira da Foz, 1961.

—, Estudios Hispano-Portugueses, Relaciones literarias del Siglo de Oro, Valencia, Editorial Castalia, 1957.

HESPANHA, António Manuel, Poder e Instituições no Antigo Regime, colec. Cadernos Penélope, Lisboa, Ed. Cosmos, 1992.

HORÁCIO, Arte Poética, introdução, tradução e comentário de R. M. Rosado Fernandes, 2.a ed., Clássicos Inquérito, Lisboa, Editorial Inquérito Lda, 1990.

JÁÑEZ, Eduardo, História da Literatura Universal – A literatura no século XVII, vol. IV, Lisboa, Planeta Editora, 1993.

JÚNIOR, António Salgado, “Crítica Literária”, in Dicionário de Literatura, direcção de Jacinto do Prado Coelho, vol. I, 4.a ed., Porto, Mário Figueirinhas Editora, 1944.

JUROMENHA, Visconde de, Obras de Luiz de Camões, Lisboa, Imprensa Nacional, 1924.

LAUSBERG, Heinrich, Elementos de Retórica Literária, 3.a ed., Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1982.

LEPECKI, Maria Lúcia, “Sobre algumas formas de modernidade em textos prefaciais portugueses de 1550 a 1650”, in LEPECKI, Maria Lúcia, et alii, Para uma História das Ideias Literárias em Portugal, colec. Textos de Literatura, Lisboa, Instituto Nacional de Investigação Científica, 1980.

LISBOA, João Luís, Ciência e Política – Ler nos finais do Antigo Regime, colec. Cultura Moderna e Contemporânea, Lisboa, Instituto Nacional de Investigação Científica, 1991.

LOBO, Francisco Rodrigues, Corte na Aldeia e Noites de Inverno, 3.a ed., Colec. Clássicos Sá da Costa, Lisboa, Livraria Sá da Costa Editora, 1972.

LOMBARDO, Giovanni, A Estética da Antiguidade Clássica, Lisboa, Editorial Estampa, 2003.

LOPES, Óscar, “Academias”, in Dicionário da História de Portugal, dir. de Joel Serrão, vol. I, Porto, Livraria Figueirinhas, 1981.

LUYTEN, Joseph et alii, Leituras de Camões, São Paulo, Instituto de Cultura e Ensino Padre Manoel da Nóbrega, 1982.

MACHADO, Diogo Barbosa, Biblioteca Lusitana, Histórica, Crítica e Cronológica, vols. I-IV, 2.a ed., Lisboa, Ed. Bertrand, 1930-35.

MARAVALL, José Antonio, La Cultura del Barroco, Análisis de una estructura histórica, 4.a ed., Barcelona, Editorial Ariel, 1986.

MARQUES, A. H. Oliveira, História de Portugal, vol. I, 10.a ed., Lisboa, Palas Editores, 1982.

MARQUILHAS, Rita, A Faculdade das Letras. Leitura e escrita em Portugal no século XVII, colec. Filologia Portuguesa, Lisboa, INCM, 2000.

MARTINS, Heitor, Manuel de Galhegos. Um poeta entre a Monarquia Dual e a Restauração, Anadia, Tipografia Cisial, 1964.

MATOS, Maria Vitalina Leal de, Introdução aos Estudos Literários, Lisboa/São Paulo, Editorial Verbo, 2001.

MATIAS, Elze Maria Vonk, “A Academia dos Generosos. Uma academia ou uma sequência de academias?”, in Separata da Revista da Biblioteca Nacional, n.º 4, Lisboa, Gráfica Miradouro, 1982.

—, As Academias Literárias Portuguesas dos séculos XVII e XVIII, dissertação de Doutoramento, Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, tomos I-III, 1988.

—, “Mestres e lições nas academias literárias portuguesas dos séculos XVII e XVIII”, in Prelo, Lisboa, INCM, 1986 (Janeiro-Março).

MEYER, Michel et alii, História da Retórica, Colec. Memórias do Mundo, Lisboa, Ed. Temas e Debates, 2002.

MENDEIROS, José Filipe, “O Polígrafo Eborense Manuel Severim de Faria”, in A Cidade de Évora, Boletim da Comissão Municipal de Turismo, n.º 67-68, Évora, 1984/85.

MIRANDA, José da Costa, Estudos Luso – Italianos, Poesia Épico – Cavaleiresca e Teatro Setecentista, Série Fronteiras Abertas, Lisboa, ICALP, 1990.

—, “Manuel Pires de Almeida, crítico do século XVII, e os seus manuscritos: lugar de Camões e de alguns poetas e teorizadores italianos”, in Separata da revista Brotéria, n.º 111, Lisboa, 1980.

MOISÉS, Massaud, As Estéticas Literárias em Portugal – Séculos XIV a XVIII, vol. I, Lisboa, Editorial Caminho, 1997.

MORUJÃO, Isabel, “Bernarda Ferreira de Lacerda”, in Biblos – Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa, vol. II, Lisboa/São Paulo, Editorial Verbo, 1997.

NAVES, Maria del Carmen Bobes, La semiotica como teoria linguistica, Madrid, Editorial Gredos, 1979.

PALMA-FERREIRA, João, Academias Literárias dos Séculos XVII e XVIII, Série Estudos e Ensaios, Lisboa, Biblioteca Nacional, 1982.

PIERCE, Frank, “The place of mythology in «The Lusiads»”, in Comparative Literature, vol. VI, n.º 2, University of Sheffield, 1954.

PIRES, Maria Lucília Gonçalves, A crítica camoniana no século XVII, Biblioteca Breve, Lisboa, ICALP, 1982.

—, “Camões no Barroco (A crítica camoniana na época barroca)”, Separata da Revista da Universidade de Coimbra, vol. 33, Coimbra, 1985.

—, “José de Macedo – um «crítico» de Camões”, in Colóquio Letras, n.º 40, Lisboa, 1977 (Nov.).

—, “Manuel Pires de Almeida”, in Biblos – Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa, vol. I, Lisboa/São Paulo, Editorial Verbo, 1995.

—, “Reflexões acerca da Poética Barroca”, in Claro. Escuro. Revista de Estudos Barrocos, dir. Ana Hatherly, vol. I, Lisboa, Quimera Editores, Novembro de 1988.

—, Xadrez de Palavras. Estudos de Literatura Barroca, Série Literatura, Lisboa, Edições Cosmos, 1996.

PIVA, Luiz, “Manuel Pires de Almeida, comentarista de «Os Lusíadas»”, Separata da revista Ocidente, vol. 84, Lisboa, 1973.

—, Do Antigo e do Moderno na Épica Camoniana, Brasília, Clube de Poesia e Crítica, 1980.

PLAJA, G. Días, Historia General de las Literaturas Hispánicas, vol. III, Barcelona, Editorial Vergara, 1968.

PONTES, Maria de Lourdes Belchior, “Seiscentismo”, in Dicionário de História de Portugal, dir. de Joel Serrão, vol. V, Porto, Livraria Figueirinhas, 1984.

PORCEL, D. Francisco Moreno, Retrato de Manuel de Faria y Sousa, relacíon de su vida, y Catálogo de sus obras, Lisboa Occidental, en la Officina Ferreiriana, 1733.

REBOUL, Olivier, Introdução à Retórica, 2.a ed., São Paulo, Editora Martins Fontes, 2000.

REIS, Carlos, Introdução aos Estudos Literários, 2.a ed., Coimbra, Livraria Almedina, 1999.

RODRIGUES, Graça Almeida, Breve história da censura literária em Portugal, Biblioteca Breve, Lisboa, ICALP, 1980.

RODRIGUES, Manuel dos Santos, O Afonso Africano de Vasco Mouzinho de Quevedo. Estudo histórico-literário e edição crítica, dissertação de Doutoramento, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 1999.

ROSSI, Giuseppe, A poesia épica italiana no século XVI na Literatura Portuguesa, Lisboa, oficinas Fernandes, 1944.

SARAIVA, António José e LOPES, Óscar, História da Literatura Portuguesa, 15a ed., Porto, Porto Editora, 1989.

SENA, Jorge de, Trinta Anos de Camões, 1948-1978, vol. I, Lisboa, Edições 70, 1980.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo, História Breve da Historiografia Portuguesa, Lisboa, Editorial Verbo, 1962.

SHEPARD, Sanford, El Pinciano y las teorias literarias del Siglo de Oro, 2.a ed., Biblioteca Románica Hispánica, Madrid, Editorial Gredos, 1970.

SPINA, Segismundo, Introdução à Poética Clássica, São Paulo, Editora Martins Fontes, 1995.

TASSO, T., “Discorsi dell’arte poetica”, in Prose, Milano-Napoli, Ricciardi, 1959; in Manuel dos Santos Rodrigues, O Afonso Africano de Vasco Mouzinho de Quevedo. Estudo histórico-literário e edição crítica, dissertação de Doutoramento, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 1999.

—, “Discorsi dell’arte poetica”, in Opere di Torquato Tasso, Florência, Tartini y Franchi, 1724; in SHEPARD Sanford, El Pinciano y las teorias literarias del Siglo de Oro, 2.a ed., Biblioteca Románica Hispánica, Madrid, Editorial Gredos, 1970.

TENGARRINHA, José, História da Imprensa Periódica Portuguesa, Lisboa, Portugália Editora, 1965.

TOPOLSKY, Jerzy, Metodologia de la Historia, Madrid, Ediciones Cátedra, 1982.

TOSCANO, Maria Margarida, Racionalidade Comunicativa, Espaço Público e Antecedentes de Emergência duma Esfera Pública Literária em Portugal, dissertação de Mestrado, Lisboa, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 1994.

VASCONCELOS, José Leite de, Severim de Faria – notas biográfico-literárias, in Separata do Boletim da Segunda Classe, Academia das Ciências de Lisboa, vol. VIII, Coimbra, Imprensa da Universidade, 1914.

—, Severim de Faria – Segunda Memória, in Separata do Boletim da Segunda Classe, Academia das Ciências de Lisboa, vol. X, Coimbra, Imprensa da Universidade, 1917.

VASCONCELOS, Manuel Mendes de Barbuda e, Virginidos ou Vida da Virgem Senhora Nossa, Lisboa, na officina de Diogo Soares de Bulhoens, 1667.

VELOSO, José Maria de Queirós, A Universidade de Évora – elementos para a sua história, Lisboa, s/ed., 1949.

VIALA, Alain, Naissance de l’écrivain Sociologie de la littérature à l’âge classique, Paris, Les Éditions du Minuit, 1992.

VILANOVA, A., “Preceptistas españoles de los siglos XVI e XVII”, in PLAJA, G. Días, Historia General de las Literaturas Hispánicas, vol. III, Barcelona, Editorial Vergara, 1968.

© Publicações do Cidehus, 2006

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540

Acheter

Volume papier

amazon.fr