Version classiqueVersion mobile

Práticas de Caridade e Assistência em Évora (1650-1750)

 | 
Rute Pardal

Índice de Gráficos

Texte intégral

Parte I

Gráfico n.o 1 – Testamentos a favor da Misericórdia de Évora.

43

Gráfico n.o 2 – Estrutura patrimonial da Misericórdia

45

Gráfico n.o 3 – Condição social dos testadores da Misericórdia de Évora (1507/1692)

49

Gráfico n.o 4 – Receitas da Misericórdia (1600/1680).

53

Gráfico n.o 5 – Receitas da Misericórdia (1680/1750).

54

Gráfico n.o 6 – Preços dos cereais em Évora e índice de renda da Misericórdia (1600/1680)

56

Gráfico n.o 7 – Preço dos cereais em Évora e índice de renda da Misericórdia (1681/1750)

56

Gráfico n.o 8 – Receitas da Misericórdia de Évora (1650/1700)

59

Gráfico n.o 9 – Receitas da Misericórdia de Évora (1701/1750)

60

Gráfico n.o 10 – Receitas, despesas e saldos da Misericórdia (1600/1680)

65

Gráfico n.o 11 – Receitas, despesas e saldos da Misericórdia (1681/1750)

66

Gráfico n.o 12 – Variação das despesas da Misericórdia de Évora por tipologia (1650/1700)

67

Gráfico n.o 13 – Despesas da Misericórdia por tipologia (1650/1700).

70

Gráfico n.o 14 – Despesas da Misericórdia por tipologia (1701/1750).

71

Gráfico n.o 15 – Evolução das despesas da Misericórdia de Évora (1650/1680)

73

Gráfico n.o 16 – Evolução das despesas da Misericórdia de Évora (1681/1750)

74

Gráfico n.o 17 – Despesas da Misericórdia de Évora e do Hospital (1650/1750)

76

Gráfico n.o 18 – Entradas mensais no Hospital do Espírito Santo (1554/1750).

87

Gráfico n.o 19 – Mortalidade no Hospital do Espírito Santo (1554/1750).

88

Gráfico n.o 20 – Pessoas assistidas com cartas de guia – número de pessoas (1635/1650)

92

Gráfico n.o 21 – Cartas de guia – (1635, 1663/1650).

93

Gráfico n.o 22 – Cartas de guia (1700/1750)

93

Gráfico n.o 23 – Comparação entre quantias, episódios e pessoas – assistência institucionalizada (1714/1750)

98

Gráfico n.o 24 – Episódios e pessoas na assistência institucionalizada (1714/1750)

101

Gráfico n.o 25 – Quantias absolutas gastas na assistência institucionalizada

(1714/1750)

101

Gráfico n.o 26 – Comparação entre quantias, episódios e pessoas – assistência domiciliária (1635, 1650/1663)

102

Gráfico n.o 27 – Comparação entre quantias, episódios e pessoas – assistência domiciliária (1700/1750).

104

Gráfico n.o 28 – Episódios e pessoas na assistência domiciliária (1650-1750).

107

Gráfico n.o 29 – Quantias absolutas gastas na assistência domiciliária (1650/1750)

107

Gráfico n.o 30 – Número de pessoas – assistência domiciliária e institucionalizada (com cartas de guia – (1714/1750)

109

Gráfico n.o 31 – Número de episódios – assistência domiciliária e institucionalizada (com cartas de guia – (1714/1750)

109

Gráfico n.o 32 – Quantias absolutas – assistência domiciliária e institucionalizada (com cartas de guia – (1714/1750))

110

Gráfico n.o 33 – Assistência institucionalizada vs Assistência domiciliária (1714/1750)

111

Gráfico n.o 34 – Batismos e enterros em Évora (1606-1737).

119

Gráfico n.o 35 – Batismos e Óbitos (1737/1750)

120

Gráfico n.o 36 – Quantias absolutas despendidas na assistência domiciliária e institucionalizada (1714/1750).

124

Gráfico n.o 37 – Número de pessoas na assistência domiciliária e institucionalizada (1714/1750)

124

Gráfico n.o 38 – Episódios na assistência domiciliária e institucionalizada (1714/1750)

125

Gráfico n.o 39 – Gastos por categoria na assistência institucionalizada (1714/1750)

129

Gráfico n.o 40 – Gastos por pessoa e episódio na assistência institucionalizada (1714/1750)

130

Gráfico n.o 41 – Gastos por pessoa e episódio na assistência domiciliária (1714/1750)

131

Gráfico n.o 42 – Gastos por pessoa/categoria na assistência institucionalizada (1714/1750)

132

Gráfico n.o 43 – Gastos hospitalares com os doentes (1714/1750)

133

Parte II

Gráfico n.o 1 – Quantias totais despendidas pelos mordomos dos meses (1635, 1650/1663).

140

Gráfico n.o 2 – Curva de Lorentz e índice de Gini para as quantias totais despendidas pelos mordomos dos meses (1635, 1650/1663).

140

Gráfico n.o 3 – Quantias totais despendidas pelos mordomos dos meses (1700/1750)

142

Gráfico n.o 4 – Curva de Lorentz e índice de Gini para as Quantias totais despendidas pelos mordomos dos meses (1700/1750)

142

Gráfico n.o 5 – Percentagens das despesas com a assistência/administração da instituição (1635/1750).

144

Gráfico n.o 6 – Quantias medianas despendidas pelos mordomos dos meses (1635, 1650/1663).

145

Gráfico n.o 7 – Quantias medianas despendidas pelos mordomos dos meses

(1700/1750)

145

Gráfico n.o 8 – Proporção de cada tipo de assistência –1635, 1650/1663, 1700/1750).

146

Gráfico n.o 9 – Gráfico de pareto para pessoas assistidas (1635, 1650/1663)

148

Gráfico n.o 10 – Gráfico de pareto para pessoas assistidas (1635, 1650/1663).

149

Gráfico n.o 11 – Gráfico de pareto para quantias (1635, 1650/1663).

150

Gráfico n.o 12 – Gráfico de pareto para quantias (1700/1750)

151

Gráfico n.o 13 – Galinhas (quantia mediana 1635, 1650/1663)

153

Gráfico n.o 14 – Galinhas (quantia mediana 1700/1750).

153

Gráfico n.o 15 – Evolução anual de pessoas assistidas com galinhas (1635, 1650/1663-1700/1750).

154

Gráfico n.o 16 – Carneiro (quantia mediana 1635, 1650/1663)

156

Gráfico n.o 17 – Carneiro (quantia mediana 1700/1750).

156

Gráfico n.o 18 – Evolução anual de pessoas assistidas com carneiro (1635, 1650/1663).

157

Gráfico n.o 19 – Criações (quantia mediana 1635, 1650/1663)

159

Gráfico n.o 20 – Criações (quantia mediana 1700/1750).

159

Gráfico n.o 21 – Evolução anual de crianças assistidas (1635, 1650/1663-1700/1750)

160

Gráfico n.o 22 – Mesadas (quantia mediana 1635, 1650/1663)

162

Gráfico n.o 23 – Mesadas (quantia mediana 1700/1750)

162

Gráfico n.o 24 – Evolução anual de pessoas assistidas com mesada (1635, 1650/1663-1700/1750).

165

Gráfico n.o 25 – Mesadas providas e pagas (1635,1650/1663-1700/1750).

166

Gráfico n.o 26 – Esmola avulsas [assistência4] (quantia mediana 1635, 1650/1663)

168

Gráfico n.o 27 – Esmola avulsas [assistência4] (quantia mediana 1700/1750).

168

Gráfico n.o 28 – Esmola avulsas [assistência4] (quantia média 1635, 1650/1663)

169

Gráfico n.o 29 – Esmola avulsas [assistência4] (quantia média 1700/1750)

169

Gráfico n.o 30 – Evolução anual de pessoas assistidas com esmolas avulsas (1635, 1650/1663-1700/1750).

170

Gráfico n.o 31 – Missas, mortalhas e enterros [assistência2] (quantias medianas

1635, 1650/1663).

172

Gráfico n.o 32 – Missas, mortalhas e enterros [assistência2] (quantias medianas 1700/1750).

172

Gráfico n.o 33 – Evolução anual de pessoas assistidas missas, mortalhas e enterros (1635, 1650/1663-1700/1750).

173

Gráfico n.o 34 Cura de tinha e alporcas [assistência médica4] (quantia mediana 1635, 1650/1663).

175

Gráfico n.o 35 Cura de tinha e alporcas [assistência médica4] (quantia mediana 1700/1750)

175

Gráfico n.o 36 – Evolução anual de crianças curadas (1635, 1650/1663-1700/1750)

176

Gráfico n.o 37 [assistência médica5-Sanguessugas] (quantia mediana1635, 1650/1663).

178

Gráfico n.o 38 [assistência médica5-Sanguessugas] (quantia mediana1700/1750)

178

Gráfico n.o 39 – Evolução anual de pessoas assistidas com sanguessugas (1635, 1650/1663-1700/1750).

179

Gráfico n.o 40 – Quantias despendidas com as esmolas da porta, quadrelas e bacias (1650/1663-1700/1750)

182

Gráfico n.o 41 – Estimativa do número de pessoas assistidas: esmolas da porta e das quadrelas (1650/1663-1700/1750).

183

Gráfico n.o 42 – Total de esmolas e total de pessoas (1716/1731).

190

Gráfico n.o 43 – Distribuição das esmolas do Cabido pelos meses (1716-1731)

193

Gráfico n.o 44 – Totais de esmolas do Cabido em cereais (1716/1731)

193

Gráfico n.o 45 – Estado civil dos esmolados (1716/1731)

196

Gráfico n.o 46 – Justificação do pedido de esmolas (1716/1731).

196

Gráfico n.o 46 – Profissões (1716/1731)

198

Gráfico n.o 48 – Somatório das esmolas em dinheiro – (1676/1732).

202

Gráfico n.o 49 – Somatório das esmolas em trigo – (1676/1732).

Gráfico n.o 50 – Esmola média de dinheiro por pessoa – (1676/1732)

204

Gráfico n.o 51 – Esmola média de trigo por pessoa (1676-1732)

204

Gráfico n.o 52 – Profissões dos esmolados e dos cônjuges/pais – (1676/1732)

205

Parte III

Gráfico n.o 1 – Quantias totais recebidas da Misericórdia por indivíduo e categoria.

230

Gráfico n.o 2 – Quantias totais de assistência domiciliária recebidas por categoria

233

Gráfico n.o 3 – Coeficiente de variação mensal do peso da assistência em relação aos salários (categoria B)

240

Gráfico n.o 4 – Estimativa dos rendimentos dos elementos da categoria A

250

Gráfico n.o 5 – Peso da assistência em relação a outros rendimentos da categoria A

252

Parte IV

Gráfico n.o 1 – Frequências do número de pessoas por agregado

291

Gráfico n.o 2 – Dimensão do agregado familiar

305

Gráfico n.o 3 – Número de filhos por agregado

308

Gráfico n.o 4 – Coeficiente 1

310

Gráfico n.o 5 – Coeficiente 2

311

Gráfico n.o 6 – Medidas estatísticas da dimensão do agregado

312

Gráfico n.o 7 – Quantias recebidas por Maria Toscana (1733/1750)

319

Gráfico n.o 8 – Meses decorridos entre episódios (Maria Toscana – 1733/1750)).

319

Gráfico n.o 9 – Quantias recebidas por Catarina de Bastos (1700/1736)

321

Gráfico n.o 10 – Meses decorridos entre episódios (Catarina de Bastos – (1700/1736))

321

Gráfico n.o 11 – Quantias recebidas por Teodora de Oliveira (1726/1749)

323

Gráfico n.o 12 – Meses decorridos entre episódios (Teodora de Oliveira – 1726/1749).

323

Gráfico n.o 13 – Quantias recebidas por Antónia Tavares (1719/1746)

324

Gráfico n.o 14 – Meses decorridos entre episódios (Antónia Tavares (1719/1746))

324

Gráfico n.o 15 – Quantias recebidas por Leonor de Oliveira das Chagas (1729/1733)

327

Gráfico n.o 16 – Meses decorridos entre episódios (Leonor de Oliveira das Chagas – (1729/1733))

327

Gráfico n.o 17 – Quantias recebidas por Teodósia da Luz (1730/1736)

329

Gráfico n.o 18 – Meses decorridos entre episódios (Teodósia da Luz – (1730/1736))

329

Gráfico n.o 19 – Quantias recebidas por Mariana do Rego Maldonada (1712/1725)

331

Gráfico n.o 20 – Meses decorridos entre episódios (Mariana do Rego Maldonada – (1712/1725))

331

Gráfico n.o 21 – Quantias recebidas por Maria de Moncada (1728/1735)

334

Gráfico n.o 22 – Meses decorridos entre episódios (Maria de Moncada – (1728/1735))

334

Gráfico n.o 23 – Quantias recebidas por Cecília Maria de Macedo (1722/1742)

337

Gráfico n.o 24 – Meses decorridos entre episódios (Cecília Maria de Macedo (1722/1742)

337

Gráfico n.o 25 – Quantias recebidas Matias Monteiro da Silveira (1728/1750).

338

Gráfico n.o 26 – Meses decorridos entre episódios (Matias Monteiro da Silveira – (1722/1742))

338

Gráfico n.o 27 – Quantias recebidas por Nicolau Barreto de Andrade (1704/1735)

340

Gráfico n.o 28 – Meses decorridos entre episódios (Nicolau Barreto de Andrade – (1704/1735)

340

Índice de Mapas

Mapa n.o 1 – Propriedades da Misericórdia de Évora – séculos XVI-XVII

46

Mapa n.o 2 – Origem geográfica dos utentes da rede assistencial de Évora Séculos XVI-XVIII

85

Mapa n.o 3 – Distribuição geográfica das esmolas do Cabido da Sé de Évora

200

Índice de Quadros

Parte I

Quadro n.o 1 – Comparação entre quantias, episódios e pessoas – assistência institucionalizada (1714/1750).

99

Quadro n.o 2 – Comparação entre quantias, episódios e pessoas – assistência domiciliária (1635, 1650/1663)

103

Quadro n.o 3 – Comparação entre quantias, episódios e pessoas – assistência domiciliária (1700/1750).

105

Quadro n.o 4 – Correlações na assistência domiciliária

114

Quadro n.o 5 – Correlações na assistência institucionalizada

114

Quadro n.o 6 – Correlações entre a assistência domiciliária e a institucionalizada – 1714/1750

122

Parte II

Quadro n.o 1 – Frequências absolutas e relativas das quantias despendidas pelos mordomos dos meses (1635, 1650-1663)

141

Quadro n.o 2 – Frequências absolutas e relativas das quantias despendidas pelos mordomos dos meses (1700/1750)

143

Quadro n.o 3 – Sexos e estado civil por tipologia de assistência.

185

Quadro n.o 4 – Indivíduos que receberam esmola do Cabido repetidamente

192

Quadro n.o 5 – Esmolas do Cabido em dinheiro

194

Quadro n.o 6 – Número de ocorrências na assistência domiciliária por cada utente

209

Quadro n.o 7 – Número de ocorrências na assistência domiciliária por cada utente (1635, 1650/1663)

211

Quadro n.o 8 – Número de ocorrências na assistência domiciliária por cada utente 1700/1750

211

Quadro n.o 9 – Percentagem de pessoas assistidas em relação ao número de habitantes.

215

Parte III

Quadro n.o 1 – Quantias recebidas por categoria

229

Quadro n.o 2 – Quantias totais de assistência domiciliária recebidas por categoria

232

Quadro n.o 3 – Contratos de empréstimo

261

Parte IV

Quadro n.o 1 – Síntese de cargos e assistência – categoria A (elite local)

285

Quadro n.o 2 – Síntese de valores médios de idades ao casamento, nascimento de filhos antes e depois da primeira assistência

295

Quadro n.o 3 – Medidas estatísticas da dimensão do agregado

306

Quadro n.o 4 – Medidas estatísticas do número de filhos

308

Quadro n.o 5 – Coeficiente 1

309

Quadro n.o 6 – Medidas estatísticas do coeficiente 2

310

Quadro n.o 7 – Medidas estatísticas do coeficiente 3

311

Quadro n.o 8 – Medidas estatísticas da dimensão do agregado por género e estado civil

314

© Publicações do Cidehus, 2015

Licence OpenEdition Books

Acheter

Volume papier

amazon.fr
Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search