Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

As elites de Évora ao tempo da dominação Filipina

 | 
Rute Pardal

Fontes e Bibliografia

Texte intégral

Fontes manuscritas

1 – Arquivo Distrital de évora

1.1 – Arquivo da Câmara Municipal de Évora

Colecção das Actas da Câmara Municipal de Évora:

Livro 3 – 1581/1582, livro 4 – 1582/1583, livro 5 – 1583, livro 6 – 1585/1586, livro 7 – 1590/1599, livro 8 – 1596/1598, livro 9 – 1590/1632, livro 10 – 1604/1605. Livro 11 – 1617/1619, livro 12 – 1621/1622, livro 13 – 1627/1629, livro 14 – 1629/1632, livro 15 – 1639/1640, livro 25 – 1676/1681.

Livro 1.° dos Originais da Câmara, n.o 71.

Livro 9.° dos Originais da Câmara, n.o 79.

Livro Verde dos Originais da Câmara, n.o 145.

Pautas de Vereadores, n.o 167, 1526/1739.

1.2 – Arquivo da Santa Casa da Misericórdia de Évora

Acórdãos, n.o 1 – 1531/1635.

Acórdãos, n.o 2 – 1640/1664.

Anexo ao Livro de provisões, pareceres e alvarás da Santa Casa da Misericórdia, n.o 46 – 1554/1584.

Lembranças, n.o 8 – 1696/1602, n.o 9 – 160471608, n.o 10 – 1612/1617, n.o 11 – 1617/1619, n.o 12 – 1638/1705, n.o 14 – 1619/1630, n.o 15 – 1630/1635, n.o 16 – 1636/1645.

Livro das Eleições dos Irmãos da Santa Casa da Misericórdia, n.o 55 – 1552/1762.

Livro dos Privilégios do Hospital do Espírito Santo, n.o 47 – 1500/1816.

Livro dos Privilégios da Santa Casa da Misericórdia, n.o 48 – 1557/1559.

Livros de Receitas e Despesas do Hospital do Espírito Santo, n.o 1157 – 1581/1598, n.o 1187 – 1603/1604, n.o 1188 – 1604/1605, n.o 1189 – 1605/1606, n.o 1190 – 1606/1607, n.o 1191 – 1607/1608, n.o 1192 – 1608/1609, n.o 1193 – 1609/1610.

Livros de Receitas e Despesas da Misericórdia, n.°79 – 1581/1587, 1587/1595, n.o 81 – 1595/1603, n.o 1202 – 1615/1616, n.o 1203 – 1616/1617, n.o 1204 – 1617/1618, n.o 395 – 1613/1622, n.o 251 – 1620/1621, n.o 252 – 1621/1622, n.o 253 – 1622/1623, n.o 244 – 1623/1624, n.o 255 – 1624/1625, n.o 256 – 1625/1626, n.o 1230 – 1626/1627, n.o 1231 – 1627/1628, n.o 1232 – 1628/1629, n.o 1233 – 1629/1630, n.o 1234 – 1630/1631, n.o 106 – 1631/1632, n.o 107 – 1632/1633, n.o 108 – 1633/1634, n.o 109 – 1634/1635, n.o 110 – 1635/1636, n.o 1242 – 1636/1637, n.o 1243 – 1637/1638, n.o 1244 – 1638/1639, n.o 1245 – 1639/1640, n.o 1246 – 1640/1641.

Receita e Despesa: tombo IV de foros, n.o 76 – 1680/1681.

Registo de Irmãos da Misericórdia, n.o 49 – 1499/1540.

Registo de Irmãos da Misericórdia, n.o 50 – 1566/1668.

Testamentos, n.o 1784 – 1635/1636.

Testamentos e doações, n.o 1771 – 1515/1738, n.o 1772 – 1529/1699, n.o 1777 – 1507/1601, n.o 1778 – 1535/1662, n.o 1781 – 1530/1690, n.o 1792 – 1536/1819.

1.3 – Núcleo de Notariais

Notariais de Évora, n.o 61, 374 e 829

2 – Biblioteca Nacional de Lisboa

Edicto do legado pontifício Alexandre Riario proibindo prégar ou aconselhar em confissão sobre o estado do Reino de Portugal – Res. 103//11A.

3 – Biblioteca Pública de Évora

Cod. XII/1-36.

Cod. CIX/2-13.

Cod. CXVII/-3.

Compendio Breve da Nobreza e Fidalguia destes Reinos – cod. CXVII/1-5. Famílias de Portugal – Manizola, cod. 438.

FIALHO, Manuel, Évora Ilustrada, tomo l.° - cod. CXXX/1-8.

—, tomo 2.° - cod. CXXX/1-9.

Genealogias – cod. CXVII/2-6, maço 1.

Genealogias – cod. CXVII/1-12.

Genealogias – cod. CXVII/2-4.

Genealogias— cod. CXVII/1-7.

Manizola – cod. 65.

Manizola – cod. 68, n.o 215

4 – Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo

Chancelaria de D. Filipe I

Livros: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 31, 32.

Chancelaria de D. Filipe II

Livros: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 22, 23, 25, 26, 27, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45.

Chancelaria de D. Filipe III

Livros: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 9, 10, 11, 12, 13, 17, 18, 19, 20, 21, 23, 25, 26, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 36, 37, 38, 39, 40.

Genealogias Manuscritas

21 – F 7

21 – E 29

Fontes impressas

Decretos do Sagrado Concilio Tridentino, Lisboa, Francisco Correia Impressor, 1564. BPE, Reservados – 338.

GAYO, Manuel José da Costa Felgueiras, Nobiliário de famílias de Portugal, 11 vols., 4.a edição, Braga, Carvalhos de Basto, 1992.

MELO, Francisco Manuel de, Epanaphoras de varia Historia: epanhaphora política (I), Lisboa, Oficina de Henrique Valente de Oliveira, 1660. BPE – N.R. 381.

MORAIS, Cristóvão Alão de, Pedatura Lusitana, Porto, Livraria Machado, s.d..

Ordenações Afonsinas, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.

Ordenações Filipinas, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.

Ordenações Manuelinas, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.

PEREIRA, Gabriel, Documentos Históricos da Cidade de Évora [edição facssimilada], Lisboa, Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1998.

—, Estudos Eborenses, 2.a ed., Vol. I, Évora, Nazaré, 1947.

Portugaliae Monumenta Historica: leges et consuetudin.es, I, Lisboa, Typis Academicis, 1856.

SILVA, José Justino de Andrade e, Colecção Chronologica da Legislação Portuguesa – 1603/1612; 1620/1627, Lisboa, Imprensa de J. J. A. Silva, 1854.

SOUSA, António Caetano de, História Genealógica da Casa Real Portuguesa, 2.a edição, Coimbra, s.n., Tomo II, Parte II, Tomo X, 1946.

REGO, A. Da Silva (ed.), As Gavetas da Torre do Tombo, ed. de A. da Silva Rego, vol. VIII, Lisboa, Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1971.

ZUQUETE, Afonso Eduardo Martins, Nobreza de Portugal e do Brasil, 3 vols., Edições Zairol, 2000.

Bibliografia

ABREU, Alberto Antunes de, O arquivo e as origens da Santa Casa da Misericórdia de Fão, Esposende, Santa Casa da Misericórdia, 1988.

ABREU, Laurinda, «A Misericórdia de Évora no contexto da reforma quinhentista da assistência pública portuguesa», (no prelo).

—, A Santa Casa da Misericórdia de Setúbal de 1500 a 1755; aspectos de sociabilidade epoder, Setúbal, Santa Casa da Misericórdia de Setúbal, 1990.

—, «As Misericórdias portuguesas de Filipe I a D. João V», Portugaliae Monumenta Misericordiarum (no prelo).

—, Memórias da alma e do corpo: a Misericórdia de Setúbal na modernidade, Viseu, Palimage Editores, 1999.

—, «O papel das misericórdias dos “lugares de Além Mar” na formação do Império português», História Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, 8/2:20 (2001), pp. 591 – 611.

—, «Padronização Hospitalar e Misericórdias», Actas do Congresso Comemorativo do V Centenário da Fundação do Hospital Real do Espírito Santo de Évora, Évora, 1996, pp. 137 – 148.

—, «Purgatório, Misericórdias e caridade: condições estruturantes da assistência em Portugal (séculos XV-XIX), separata da Revista Dynamis, Granada, vol. 20, 2000, pp. 395-415.

—, «The Évora foundlings between the 16th and the 19th century: the portuguese public welfare system in analysis», European Association for the History of medicine and health – 5th Conference, Health and Child Care and Culture in History, Geneva Medical School, September 13th-l6th, 2001.

—, «Uma outra visão do Purgatório: uma primeira abordagem aos Breves de perdão e redução», Revista Portuguesa de História, Coimbra, 1999, pp. 715-736.

Actas das primeiras jornadas luso – espanholas de História Medieval, «A pobreza e a assistência aos pobres na Península Ibérica durante a Idade Média», Lisboa 25-30 de Setembro de 1972, Lisboa, Instituto de Alta Cultura/Centro de Estudos Históricos, 1973.

AYLMER, Gerard E. «Centre et périphérie: définition des élites du pouvoir», Win Bockmans; Jean Philippe Genet (dir.), Les élites du pouvoir et la construction de l’état en Europe, Paris, PUF, 1996.

ALMEIDA, Fortunato de, História da Igreja em Portugal, tomo III, parte II, Coimbra, Imprensa Académica, 1912.

ALVAREZ DE MORALES, Antonio, «La influencia de las irmandades en la vida local y judicial (siglos XVI a XVIII)», Bernardo Ares (ed.), El município en la España moderna, Cordoba, Universidad de Cordoba, 1996.

ARAÚJO, Ana Cristina, A morte em Lisboa: atitudes e representações – 1700/1830, Lisboa, Editorial Notícias, 1997.

ARAÚJO, Maria Marta Lobo de, Dar aos pobres e emprestar a Deus: as misericórdias de Vila Viçosa e Ponte de Lima (séculos XVI-XVIII), s.l., Santa Casa da Misericórdia de Vila Viçosa e de Ponte de Lima, 2000.

—, «Pobres nas Malhas da lei: a assistência aos presos pelas Misericórdias de Vila Viçosa e de Ponte de Lima», Cadernos do Noroeste, vol. 11(2), 1998, pp. 83-114.

ARRANZ VILLA, Juan, «Prosopografias Contemporáneas. Metodologia del estudio historico de las élites», Pedro Carasa Soto (ed.). Élites, prosopografia contemporánea, Valladolid, Universidad de Valladolid, 1994.

BALTAR RODRÍGUEZ, Juan Francisco, Las Juntas de Gobierno en la Monarquia Hispánica (Siglos XVI-XVII), Madrid, Centro de estudios políticos y constitucionales, 1998.

BARREIRA, Manuel de Oliveira, A Santa Casa da Misericórdia de Aveiro: pobreza e solidariedade (1600-1750), (dissertação de Mestrado), Coimbra, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1995.

BASTO, Artur de Magalhães, História da Santa Casa da Misericórdia do Porto, vol. I, Porto, Santa Casa da Misericórdia do Porto, 1934.

BIGOTTE, J. Quelhas, A situação jurídica das Misericórdias portuguesas, 2.a ed., Seia, 1994.

BEIRANTE Maria Ângela Rocha, Évora na Idade Média, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1995.

BETHENCOURT, Francisco, «Questão sucessória», História de Portugal, (José Mattoso dir.), vol. III, Lisboa, Círculo de Leitores, 1993, pp. 546-551.

BOTTOMORE, Tom, Elites and society, London, Penguin Books, 1966.

BOUZA ÁLVAREZ, Fernando, Portugal no tempo dos Filipes, cultura, representações (1580-1668), Lisboa, Cosmos, 2000.

BOXER, Charles Ralph, O império colonial português (1415-1825), Lugar da História 14, 2.a ed., Lisboa, Edições 70, 1981, [edição original – 1969].

BURGOS ESTEBAN, Francisco Marcos, Los Lazos del poder: obligaciones y parentesco en una elite local castellana en los siglos XVI e XVII, Valladolid, Universidad de Valladolid, 1994.

BURKE, Peter, Venecia y Amsterdam: estúdio sobre las élites del siglo XVI, Barcelona, Gedisa Editorial, 1996.

BUSINO, Giovanni, Les téories des élites: problémes et perspectives, Genéve, Librairie Droz, s.d..

CAETANO, Marcelo, «Recepção e execução dos decretos do Concílio de Trento em Portugal», Revista da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Lisboa, 1965, pp.7-87.

CAPELA, José Viriato, «A Câmara, a Nobreza e o povo do concelho de Barcelos: a administração do município nos fins do Antigo Regime», Barcelos – Revista, vol. III, n.o 1, Barcelos, 1986, pp. 7-326.

— (coord.), Construction d’un Gouvernement Municipal: élites, élections et pouvoir à Guimarães entre absolutisme et libéralisme (1753-1834), Braga, Universidade do Minho, 2000.

—, O Minho e os seus municípios, Braga, Universidade do Minho, 1995.

—, O Município de Braga de 1750 a 1834: o governo e a administração económica e financeira, Braga, s.n., 1991.

—, «O município português no horizonte da primeira reforma liberal», Cadernos de Estudos Municipais, I, Arquivo Distrital de Braga/Universidade do Minho, 1994, pp. 75-91.

—, «Braga, um município fidalgo: as lutas pelo controlo da Câmara entre 1750 e 1834», Cadernos do Noroeste, vol. II, n.o 23, Braga, Universidade do Minho, 1983, pp. 301-339.

—, «Vila Nova de Famalicão: a fundação de um município liberal», Boletim Cultural, n.o 9, Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, 1989.

CARDIM, Pedro, Cortes e Cultura Política no Portugal do Antigo Regime, Lisboa, Cosmos, 1998.

—, «Politics and power relations in Portugal», Parliaments, States and representations, vol. 13, n.o 2, Dezembro 1993, pp. 95-108.

CARASA SOTO, Pedro, «La recuperacion de la historia política y la prosopografia», Jornadas de Sedano, Diciembre de 1991, pp. 40-51.

CARVALHO, João Carlos, «A cerca dos textos do Manuelinho de Évora», A Cidade de Évora, II série, n.o 3, 1998-1999, pp. 173-228.

CARVALHO, José Alberto Seabra; CAETANO, Joaquim, Frescos Quinhentistas do Paço de São Miguel, Évora, Instituto de Cultura Vasco Vilalva, 1998.

CASTRO, Aníbal Pinto de, Retórica e teorização literária em Portugal, Coimbra, s.n., 1973.

CERÍACO, Pedro, Os Cogominhos: ascensão e queda de uma linhagem medieval portuguesa (séculos XIII-XV). (No prelo).

CORRÊA, Fernando Calapêz, Elementos para a História da Misericórdia de Lagos, Santa Casa da Misericórdia de Lagos, 1998.

CORRELA, Fernando da Silva, Origens e formação das Misericórdias portuguesa, Lisboa, Livros Horizonte, 1999, [1.a edição 1944].

CUNHA, Mafalda Soares da, A Casa de Bragança – 1560/1640: práticas senhoriais e redes clientelares, Lisboa, Estampa, 2000.

CURTO, Diogo Ramada, «Contra-Humanismo, Classicismo católico, Neoescolasticismo», História de Portugal (José Mattoso dir.), vol. III, Círculo de Leitores, 1993, pp. 402-422.

DIAS, João José, Gentes e espaços: em torno da população portuguesa na primeira metade do século XVI, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1996.

DOMINGUEZ ORTIZ, Antonio, La Sociedad Española en el siglo XVII, vol. I, Granada, CSIC, 1992.

DUARTE, Luís Miguel, «Os melhores da terra: um questionário para o caso português», Elites e redes clientelares na Idade Média, Actas do colóquio elites e redes clientelares na Idade Média – Évora, Junho de 2000, Évora, edições Colibri/CIDEHUS-UE, 2001, pp. 91-106.

ELIAS, Norbert, A Sociedade de Corte, Lisboa, Editorial Estampa, 1987.

ESPANCA, Túlio, «Cortes do Reino em Évora», A Cidade de Évora, n.o 31-32 [Janeiro – Junho de 1953], pp. 123-205.

—, «Fortificações e Alcaidarias de Évora», A Cidade de Évora, n.o 9-10, [Janeiro – Junho de 1951], pp. 40-91.

—, «História da Casa de Cadaval», A Cidade de Évora, n.o 43-44, [Janeiro/Dezembro de 1961], pp. 59-99.

—, «Miscelânea Histórico-artística», A Cidade de Évora, n.o 29-30, [Julho-Setembro de 1952], pp. 431-486.

FERNÁNDEZ ÁLVAREZ, Manuel José; Maravall Casesnoves, Antonio, El Madrid de Felipe II: en torno a una teoría sobre la capitalidad, Madrid, Real Academia de la Historia, 1987.

FERNANDES, Paulo Jorge da Silva, Elites e finanças municipais em Montemor-o-Novo: do Antigo regime à Regeneração (1816/1851), Montemor-o-Novo, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, 1999.

FONSECA, Hélder Adegar da, O Alentejo no século XIX: economia e atitudes económicas, Lisboa, Instituto Nacional/Casa da Moeda, 1996.

FONSECA, Teresa, Absolutismo e municipalismo em Évora: 1750-1820, Lisboa, Edições Colibri, 2002.

FONSECA, Teresa, Relações de Poder no Antigo Regime: a administração municipal em Montemor-o-Novo (1777/1816), Montemor-o-Novo, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, 1995.

FOUCAULT, Michel, História da sexualidade, A vontade do saber, Rio de Janeiro, 1988.

FLORISTAN, Alfredo, «Entre la casa y la Corte. Una Aproximación a las élites dirigientes del Reino de Navarra (siglos XVI-XVIII)», Elites, poder y red social, José Imízcoz Beunza (dir.), Vitória, Universidad del País Vasco, 1996.

GALEGO, Júlia; DAVEAU, Suzanne, O numeramento de 1527-1532: tratamento cartográfico, Lisboa, Centro de Estudos Geográficos, 1986.

GIRÃO, A. de Amorim, Geografia de Portugal, 3a ed., Porto, Portucalense Editora, 1960.

GOODOLPHIM, Costa, As Misericórdias, Lisboa, Livros Horizonte, 1998, [la edição 1897].

GONÇALO ALONSO, Benjamin, «Peripecias de los oficios municipales en la Castilla de Filipe II», La monarquia de Felipe II a debate, Madrid, Sociedad Estatal para la Conmemoración de los Centenários de Felipe II y Carlos V, 2000.

GOMES, Rita Costa, As Cortes dos Reis de Portugal no final da Idade Média, Lisboa, Difel, 1995.

GUEDES, Lívio da Costa, Aspectos do Reino de Portugal nos Séculos XVI e XVII – a descrição de Alexandre Massaii (1621), separata do 58.° volume do Boletim do Arquivo Histórico Militar, Lisboa, 1989.

GUERREIRO, J. Alcântara, Galeria dos prelados de Évora, Évora, Gráfica Eborense, 1971.

—, Subsídios para a História da Santa Casa da Misericórdia de Évora, vol. III, Évora, Santa Casa da Misericórdia, 1979.

GUERREIRO, José Manuel, «André de Resende e o humanismo em Portugal», A Cidade de Évora, n.o 37-38, [Janeiro/Dezembro – 1955/1956], pp. 5-36.

GUSMÃO, Armando, Subsídios para a História da Santa Casa da Misericórdia de Évora, Évora, Santa Casa da Misericórdia, parte I (1499/1567) – 1958, parte II (1567/1667) - 1969.

HERNÁNDEZ FRANCO, Juan, «El reencontro entre Historia social e Historia política: en torno a las famílias de poder. Notas e seguimiento a través de la historiografia sobre Castilla Moderna», Studia Histórica, vol. 18, Salamanca, 1998, pp. 179-200.

—, Familia e poder: sistemas de reproducción social en España (siglos XVI-XVIII), Murcia, Universidad de Murcia, 1995.

HERNÁNDEZ, Mauro, A la sombra de la corona. Poder local e oligarquia urbana (Madrid 1606 – 1808), Madrid, Siglo XXI, 1995.

HESPANHA, António Manuel, As vésperas do Leviathan. Instituições e poder político. Portugal – século XVII, 2 vols., Lisboa, sn., 1986.

—, «A nobreza nos tratados jurídicos do século XVI a XVIII», Penélope, n.o 12 – 1993, pp. 27-59.

—, História das Instituições: épocas Medieval e Moderna, Coimbra, Almedina, 1982.

—, Poder e instituições na Europa do Antigo Regime, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.

IMÍZCOZ BEUNZA, José Maria, «Comunidad, red social y élites. Un análisis de la vertebración social en el Antíguo Régimen», Elites, poder y red social, Jose Imízcoz Beunza (dir.), Vitória, Universidad del País Vasco, 1996.

—, «De la comunidad a la nación: elites locales, carreras y redes sociales en la España moderna (siglos XVII-XIX)», Elites, poder y red social, Jose Imízcoz Beunza (dir.), Vitória, Universidad del País Vasco, 1996.

—, Elites poder y red social, Vitória, Universidad del País Vasco, 1996.

KELLER Suzanne, O destinos das elites, Rio de Janeiro, Teorema, s.d..

LAVAJO, Joaquim Chorão, A Misericórdia de Évora no último quartel do segundo milénio, Évora, Santa Casa da Misericórdia de Évora, 2000.

LEBRUN, François et al., História Moderna, Madrid, 4.a ed., Akal ediciones, 1998.

LE GOFF, Jacques, La naissance du purgatoire, Paris Gallimard, 1981.

LEROY, Béatrice, «Les elites et le pouvoir dans le royaume de navarre à la fin du moyen âge», Georges Martine Lambert (coord.), Les Élites locales et l'état dans l'Espagne moderne (XVI-XIX siècles), Paris, CNRS, 1993.

LOPES, Maria Antónia da Silva Figueiredo, Pobreza, assistência e controlo social em Coimbra (1750-1850), Viseu, Palimage, 2000.

LÓPEZ MUÑOZ, Miguel Luis, La labor benéfico-social de las cofradias en la Granada moderna, Granada, Universidad de Granada, 1994.

MAGALHÃES, Joaquim Romero, «As estruturas da produção agrícola e pastoril», História de Portugal (José Mattoso dir.,), Lisboa, Círculo de Leitores, Vol. III. 1993, pp. 243-279.

—, «As descrições geográficas de Portugal – 1500/1650: esboço de problemas», Revista de História Económica e Social, n.o 5, [Janeiro/Julho – 1980], pp. 15-56.

—, «O Enquadramento do Espaço Nacional», História de Portugal, (José Mattoso dir.), vol. III, Lisboa, Círculo de Leitores, 1993, pp. 13-58.

—, O Algarve económico – 1600/1773, Lisboa, Estampa, 1993.

MAGALHÃES, Joaquim Romero; COELHO, Maria Helena da Cruz, O poder concelhio das origens às cortes constituintes, Coimbra, Centro de Estudos e Formação Autárquica, 1986.

MAGALHÃES, Joaquim Romero, «Os régios protagonistas do poder», História de Portugal (José Mattoso dir.), vol. III, Lisboa, Círculo de Leitores, 1993, pp. 513-572.

—, «Palavras Prévias», História de Portugal (José Mattoso dir.), vol. III, Lisboa, Círculo de Leitores, 1993, pp. 8-9.

MARTINEZ MILLÁN, José (Ed.), Instituciones y elites de poder en la monarquia Hispana durante el siglo XVI, Madrid, Universidad Autónoma, 1992.

MAURO, Frédéric, Le Portugal et l’Atlantique au XVIIéme siécle – 1570/1670: étude économique, s.l., SEVPEN, 1960.

MARTINEZ RUEDA, Fernando, «Poder local y oligarquias en el Pais Vasco: las estrategias del grupo dominante en la comunidad tradicional», Elites, poder y redsocial, Jose Imízcoz Beunza (dir.), Vitória, Universidad del País Vasco, 1996.

MATOS, Luís de, «Ebora Humanistica – 1490-1550», A Cidade de Évora, n.o 59 [Janeiro-Dezembro de 1976], pp. 5-21.

—, «Nótulas sobre o humanista italiano Cataldo Parísio Sículo», A Cidade de Évora, n.o 35-36 [Janeiro-Dezembro de 1954], pp. 3-13.

MAZA ZORILLA, Elena, Pobreza y asistencia social en España (siglos XVI al XX), Valladolid, Universidad de Valladolid, 1989.

MINOIS, Georges, História dos infernos, Lisboa, Teorema, 1997.

MIRANDA, Abílio, História da Santa Casa da Misericórdia de Penafiel, Penafiel, s.n., 1987.

MOLAS RIBALTA, P., La historia social de la administración española: estudios sobre el siglo XVII y XVIII, Barcelona, CSIC, 1980.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo, «Elites locais e mobilidade social em Portugal nos finais do Antigo regime», Análise social, vol. XXXII, 1997, pp. 335-368.

—, O Crepúsculo dos Grandes (1750-1832), Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1998.

—, «Os concelhos e as comunidades», História de Portugal (José Mattoso dir.), vol. IV, Lisboa, Círculo de Leitores, 1993, pp. 303-328.

—, «Trajectórias sociais e formas familiares: o modelo de sucessão vincular», Francisco Chacón Jiménez, Juan Hernández Franco (eds.), Familia, poderosos y oligarquias, Murcia, Universidad de Murcia, 2001.

MORENO, Humberto Baquero, Os municípios portugueses nos séculos XII a XVI, Lisboa, Editorial Presença, 1986.

MOUSNIER, Roland, Les institutions de la France sous la monarchie absolue 1598-1789, Paris, sn, 1974.

OESTREICH, G., «Problemas Estruturais do Absolutismo Europeu», António Manuel Hespanha, Poder e Instituições na Europa do Antigo Regime, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.

OLIVEIRA, António de, A Santa Casa da Misericórdia de Coimbra no contexto das instituições congéneres. In Memórias da Misericórdia de Coimbra: Documentação & Arte, Coimbra, 2000.

—, A vida Económica e social de Coimbra de 1537 a 1640, Coimbra, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, s.d..

—, «Coimbra de 1537 a 1640», Biblos, Vol. XLVIII, 1972.

—, «Joaquim Veríssimo Serrão. Uma estimativa da população portuguesa em 1640», Revista Portuguesa de História, 1975, pp. 494-505.

—, Movimentos Sociais e Poder em Portugal no século XVII, Coimbra, Instituto de História Económica e Social – Faculdade de Letras, 2002.

—, Poder e oposição política em Portugal no período Filipino (1580-1640), Lisboa, Difel, 1991.

OLIVEIRA, César de (dir.), História dos municípios e do poder local dos finais da Idade Média à União Europeia, Lisboa, Círculo de Leitores, 1996.

PENTEADO, Pedro, «Confrarias portuguesas da época moderna: problemas, resultados e tendências de investigação», separata da revista Lusitânia Sacra, 2.a série (7), 1995, pp. 15-52.

PEREIRA IGLESLAS, José «Las oligarquías estremeñas en el Antiguo Régimen», Martine Lambert-Georges et J. Ignacio Ruiz Rodriguez (coord.), Les Élites locales et l’état dans l’Espagne Moderne – XVI-XIX siécles, Paris, CNRS, 1993.

PEREZ SÁNCHEZ, Antonio José, Poder Municipal e oligarquía: el concejo cacereño en el siglo XVII, Cáceres, Instituición Cultural «El Brocense», 1987.

PORRES MARIJUAN, Maria Rosario, «Elites sociales y poder local en el País Vasco durante el Antíguo Régimen. Estado de la cuestión y perspectivas», Elites, poder y red social, Jose Imízcoz Beunza (dir.), Vitória, Universidad del País Vasco, 1996.

RAMALHO, Américo da Costa, «Algumas figuras de Évora no Renascimento», A Cidade de Évora, n.o 65-66 [1982/1983], pp. 5-20.

RAU, Virgínia, «Para a História da população portuguesa dos séculos XV e XVI: resultados e problemas de métodos», Do tempo e da História, Lisboa, Tomo I, 1965, pp. 7-46.

REVEL Jacques, «L'Institution et le social», Les formes de 1’expérience. Une autre Histoire Social (Bernard Lepetit dir.), Paris, Albin Michel, 1995.

RIBEIRO, Orlando, «Portugal», Geografia de España y Portugal, vol. V, Barcelona, 1954.

RIBEIRO, Vítor, A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Lisboa, Tipographia da Academia Real das Sciencias, 1902.

RODRIGUES, Teresa Ferreira, «As estruturas populacionais», História de Portugal (José Mattoso dir.), Vol. III, Lisboa, Círculo de Leitores, 1993, pp. 197-241.

RODRIGUES, José Damião, Poder municipal e oligarquias urbanas: Ponta Delgada no século XVII, Instituto Cultural de Ponta Delgada, Ponta Delgada, s.n, 1994.

ROSA, Maria de Lurdes, O morgadio em Portugal, (séculos XIV-XV). Modelos e práticas de comportamento linhagístico, Lisboa, Estampa, 1995.

RUSSELL-WOOD, A. J. R., Fidalgos e Filantropos: a Santa Casa da Misericórdia da Bahia (1550-1755), tradução de Sérgio Duarte, Brasília, Editora da Universidade de Brasília, 1981 [edição original de 1968].

SÁ, Isabel dos Guimarães, «A assistência: as misericórdias e os poderes locais», César de Oliveira (dir.), História dos municípios e do poder local: dos finais da Idade Média à União Europeia, Lisboa, Círculo de Leitores, 1996, pp. 136 – 142.

—, As Misericórdias de D. Manuel I a Pombal, Lisboa, Livros do Horizonte, 2001.

—, «Práticas de caridade e salvação da alma na Misericórdias metropolitanas e ultramarinas (séculos XVI-XVIII)», Oceanos, n.o 35, [Julho/Setembro de 1998], pp. 42-51.

—, Quando o rico se faz pobre: Misericórdias, caridade e poder no império português (1500-1800), Lisboa, Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 1997.

SANCHEZ PEREZ Antonio Jose, Poder municipal y oligarquia: el concejo cacereño en el siglo XVII, Cáceres, Institución cultural «El Brocence», s.n., 1987.

SANTANA PAULA, Glória de, Lagos (1745-1792): dinâmicas económicas e elites do poder, Lisboa, Estar, 2001.

SANTOS, Rui, Celeiro de Portugal algum dia: crescimento e crises agrárias na região de Évora – 1595/1850, Lisboa, Universidade Nova de Lisboa, (dissertação de Doutoramento, policopiada), 1995.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo, A Misericórdia de Lisboa. Quinhentos anos de História, Lisboa, Livros do Horizonte/Misericórdia de Lisboa, 1998.

—, «Nos cinco séculos da Misericórdia de Lisboa: um percurso na História», Oceanos, n.o 35 – [Julho/Setembro de 1998], pp. 8-23.

—, História de Portugal, vol. IV, Lisboa, Verbo, 1979.

—, Um Instrumento português de solidariedade social no século XVI: o Compromisso da Misericórdia de Lisboa, Lisboa, Chaves Ferreira Publicações, s.d.

—, «Uma estimativa da população de Portugal em 1640», Memórias da Academia de ciências de Lisboa - classe de letras, Lisboa, t. XVI, 1975, pp. 213-303.

SERRÃO, Joel, Dicionário de História de Portugal, Vol. II, Figueirinhas, s.d..

SCHAUB, Jean Frédéric, Portugal na monarquia Hispânica (1580-1640), Lisboa, Livros do Horizonte, 2001.

—, Le Portugal au temps du Comte-Duc D’Olivares (1621-1640), Madrid, Casa de Velásquez, 2001.

SCOTT, John «Les elites dans la sociologie anglo-saxone», Le recruitement des élites en Europe, Ezra Sulleiman; Henri Mendras (dir.), Paris, Éditions «La découverte», 1997.

—, Power, 3 vols., London and New York, Routledge, 1994.

—, The sociology of elites, s.l., s.n., 1990.

SOARES, Sérgio Cunha, O Município de Coimbra da Restauração ao pombalismo: poder e poderosos na Idade Moderna, (dissertação de Doutoramento, policopiada), Coimbra, Faculdade de Letras, 1995.

SILVA, Germesindo, A Fundação da Santa Casa da Misericórdia de Grândola, Grândola, s.n., 1998.

SILVA, Francisco Ribeiro da, O Porto e o seu termo (1580-640). Os homens, as instituições e o poder, documentos para a História do Porto, XLVI, Porto, Arquivo Histórico, Câmara municipal do Porto, 1988.

—, «Venalidade e hereditariedade dos ofícios públicos em Portugal nos séculos XVI e XVII: alguns aspectos», Revista de História, vol. VIII, Porto, 1988, pp. 203-213.

SILVEIRA, Luís Espinha da (coord.), «Poder local e corpos intermédios: especificidades do Portugal moderno numa perspectiva histórica comparada», Poder central, poder regional, poder local: uma perspectiva histórica, Lisboa, Cosmos, 1997.

SOUSA, Ivo Carneiro de, Da descoberta da Misericórdia à fundação das Misericórdias (1498 – 1525), Porto, Granito Ed., 1999.

—, «Da fundação e originalidade das Misericórdias portuguesas, 1498 – 1500)», Oceanos, n.o 35, [Julho – Setembro de 1998], pp. 24-41.

STONE, Lawrence, «Prosopography», The past and the present, Boston/London, Routledge & Kegan, 1984, pp. 45-73.

VALLADARES, Rafael, Portugal na Monarquia Hispânica, 1580-1668, Madrid, Arco Libros, 2000.

—, Epistolario de Olivares y el Conde de Basto (Portugal 1637/1638), Badajoz, Diputación de Badajoz, 1998.

VIDIGAL, Luís, Câmara, nobreza e povo: poder e sociedade em Vila Nova de Portimão (1755/1834), Portimão, Câmara Municipal de Portimão, 1993.

—, O municipalismo em Portugal no século XVIII, Lisboa, Livros Horizonte, 1989;

—, «Poderes locais em Portugal nos inícios do século XIX: elementos para a caracterização das instituições de poder central periférico e das instâncias concelhias», Ler História, n.o 16, Lisboa, 1989, pp. 51-62.

—, «Tipificação da oligarquia Local da Vila Nova de Portimão (1755/1834)», Arqueologia do Estado, Comunicações I, Lisboa, História & Crítica, 1988, pp. 97-107.

© Publicações do Cidehus, 2007

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540

Acheter

Volume papier

amazon.fr