Version classiqueVersion mobile

Causas de Morte no Século XX

 | 
Maria da Graça David de Morais

Fontes e Bibliografia

Texte intégral

Fontes

Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1920, vol. II. Ministério das Finanças – Direcção Geral de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1925.

Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1930, vol. I e II. Direcção Geral de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1933.

VIII Recenseamento Geral da População em 12 de Dezembro de 1940 (23 volumes). Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional (em diferentes anos).

IX Recenseamento Geral da População em 15 de Dezembro de 1950, Tomo II, Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Tipografia Portuguesa, Lda, 1952.

X Recenseamento Geral da População em 15 de Dezembro de 1960, Tomo III, vol. 1.° Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Sociedade Tipográfica, Lda, 1963.

11.° Recenseamento da População em 15 de Dezembro de 1970. Estimativa a 20%, 1.° volume. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Serviços Centrais, 1973.

XII Recenseamento Geral da População em 15 de Março de 1981. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1983, 1984.

XIII Recenseamento Geral da População em 15 Abril de 1991. Resultados Definitivos. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Secção de Reprografia do INE, 1993.

Movimento da População – Estado Civil e Emigração. Estatística Especial – segundo anno. 1887, 1888, 1889. Lisboa: Imprensa Nacional, MDCCCXCII.

Anuário Estatístico de Portugal, 1900. Ministério da Fazenda – Direcção Geral de Estatística e dos Próprios Nacionais. Lisboa: Imprensa Nacional,1907.

Anuário Estatístico de Portugal, 1901. Ministério da Fazenda – Direcção Geral de Estatística e dos Próprios Nacionais. Lisboa: Imprensa Nacional, 1903.

Estatística Demográfica. Movimento da População. Resumo: casamentos, nascimentos, óbitos e emigração – anos de 1907 a 1911. Lisboa: Imprensa Nacional, 1913.

Estatística Demográfica. Movimento da População. Parte I – Movimento Fisiológico nos anos de 1917 a 1921. Lisboa: Imprensa Nacional, 1924.

Estatística do Movimento Fisiológico da População de Portugal, ano de 1920. Arquivos do Instituto Central de Higiene – Secção de Demografia e Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1926.

Anuário Demográfico (Estatística do Movimento Fisiológico da População de Portugal) – ano de 1930. Direcção Geral de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1931.

Anuário Demográfico (Estatística do Movimento Fisiológico da População de Portugal) – ano de 1931. Direcção Geral de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1932.

Anuário Demográfico (Estatística do Movimento Fisiológico da População de Portugal) – ano de 1940. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1941.

Anuário Demográfico (Estatística do Movimento Fisiológico da População de Portugal) – ano de 1941. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, 1943.

Anuário Demográfico, 1950. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Sociedade de Astória, Lda, 1951

Anuário Demográfico, 1951. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: Tipografia Portuguesa, Lda, 1952.

Anuário Demográfico, 1960. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1961.

Anuário Demográfico, 1961. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1962.

Estatísticas Demográficas, 1970. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1971.

Estatísticas Demográficas, 1971. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1972.

Estatísticas Demográficas, 1980-1982. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1984.

Estatísticas Demográficas, 1990. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1991.

Estatísticas Demográficas, 1991. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1992.

Estatísticas Demográficas, 1996. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1997.

Estatísticas da Saúde, 1970. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1971.

Estatísticas da Saúde, 1971. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1972.

Estatísticas da Saúde, 1980/81. Volume II. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1984.

Estatísticas da Saúde, 1990. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1991.

Estatísticas da Saúde, 1991-1992. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1993.

Estatísticas da Saúde, 1996. Instituto Nacional de Estatística. Lisboa: 1997.

Nomenclaturas nosológicas das causas de morte adoptadas pela Convenção Internacional de 1929. Direcção Geral de Saúde, Repartição de Saúde. Portaria 6:983 (Diário do Govêrno de 15 de Dezembro de 1930, I Série – Número 291).

Regulamento n.° 1 da Organização Mundial de Saúde (1948), relativo à nomenclatura (incluindo a compilação e publicação de estatísticas) de doenças e causas de morte. Portaria n.° 13:748 (Diário do Governo de 23 de Novembro de 1951, I Série, Número 245) e Decreto-Lei n.° 39721 (Diário do Governo de 3 de Julho de 1954,I Série, Número 144).

Manuel de la Classification Statistique International des Maladies, Traumatismes et Causes de Déces, Fondé sur les recommandations de la Conférence pour la septième revision (1955).... Volume 1, Organisation Mondiale de la Santé. Genève: Palais des Nations, 1957.

Regulamento e Classificação das Doenças, Traumatismos e Causas de Morte da Organização Mundial de Saúde (8.a revisão – 1967). INE: Serviços Centrais, 1971.

Regulamento e Classificação das Doenças, Traumatismos e Causas de Morte da Organização Mundial de Saúde (9.a revisão – 1975). INE: Serviços Centrais, 1980.

Bibliografia

ALMODÔVAR AMM. Análise da Mortalidade – Tábuas e tábuas-tipo de mortalidade, sua aplicação à realidade Portuguesa no período 80/90. Trabalho de Fim de Curso da Licenciatura em Matemática da Universidade de Évora. Évora: 1995 (policopiado).

ARROTEIA JC. A Evolução Demográfica Portuguesa. Biblioteca Breve, Série História. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, Ministério da Educação, 1984

BALBI A. Variétés Politico-Statistiques sur la Monarchie Portugaise. Paris: 1822.

BARATA AMSCMT. As Crises de Mortalidade em Lisboa no Século XVIII. (Dissertação de Mestrado em Demografia Histórica e Social apresentada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL). Lisboa: 1988 (policopiado).

BETTENCOURT HT da C. 9.a Revisão da Classificação Internacional das Doenças (CID/9) – Implicações da sua adopção nas estatísticas portuguesas de mortalidade. Anexo do Boletim Mensal de Estatística, n.° 1, ano XIII. INE, Lisboa: 1980.

BOTELHO JS, DIAS JAA, MOTTA LC. Atlas da Mortalidade Evitável em Portugal, 1980-1989. Departamento de Estudos e Planeamento da Saúde. Direcção-Geral dos Cuidados de Saúde Primários. Escola Nacional de Saúde Pública. Lisboa: 1983.

BRASS W. Methods for estimating fertility and mortality from limited and defective data. North Carolina, Chapei Hill, Carolina Population Center: 1975.

BRITO E. Memória Elucidativa – Subsídios para o Estudo da Estatística em Portugal. In: Annuario Estatístico de Portugal, 1884. Ministério das Obras Públicas, Comércio e Indústria, Repartição de Estatística. Lisboa: Imprensa Nacional, MDCCCLXXXVI.

BULATAO RA. The Transition in the Value of Children and the Fertility Transition. In: C. Höhn & R Mackensen (eds.). Determinants of Fertility trends: Theories Re-examined. Liège: IUSSP, Ordina Éditions, 1980.

CALDWELL J. “Introductory Thoughts in the Health Transition (...)”. National Center for Epidemiology and Population, Australian National University, May 15-19. Canberra: 1989.

CAMPEÃO RC. Tábuas de Mortalidade da População Portuguesa. Boletim de Seguros, n.° 12 (2.a Série) 1935: 69-85.

CÂNDIDO LM. Aspectos Regionais da Demografia Portuguesa. Lisboa: Instituto Gulbenkian de Ciência, Centro de Economia e Finanças, 1969.

CARDOSO AMJ da S. Perfil de Mortalidade por Distrito e Causas de Morte, Portugal Continental 1971 a 1991 e 1980 a 1991. (Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de mestre em Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de Lisboa). Lisboa: 1994.

CARRILHO MJ. Aspectos Demográficos e Sociais da População Portuguesa no Período 1864-1981: evolução global do Continente Português. Estudos Demográficos, n.° 30, INE, 1991.

CARRILHO MJ. Le Portugal. In: BLUM A, RALLU JL, Édit. Démographie Européenne, I. Analyse par Pays, vol I. Paris: John Libley Eurotex, INED, 1991.

CARRILHO MJ. Tábuas Abreviadas de Mortalidade 1941-1975. Série “Estudos” n.° 56. INE, 1980.

CARRILHO MJ. Tábuas Abreviadas de Mortalidade 1976-1979 Portugal. INE. Folha de Divulgação. Lisboa: 1983.

CARVALHO F da S. A Mortalidade das Creanças e a Assistencia Pública. Dissertação Inaugural. Escola Médico-Cirúrgica do Porto. Porto: 1894.

CASELLI G. L’Évolution à Long Terme de la Mortalité en Europe. In: BLUM A, RALLU JL, Edt. Congrés Européen de Démographie. Paris: INED, 1993: 111-164.

CASELLI G, EGIDI V. Nouvelles Tendences de la Mortalité en Europe. In: Études Démographiques, n.° 5. Strasbourg: Conseil de 1’Europe, 1981.

CHESNAIS J-C. The Demographic Transition: Stages, Patterns and Economic Implications. Oxford: Clarendon Press, 1992.

CLIQUET RL. La Deuxième Transition Démografique: réalité ou fiction? Études Démographiques, 23. Strasbourg: Conseil de 1’Europe, 1991.

COALE AJ. The Démographic Transition. In: The Population Debate – Dimensions and Perspectives. Bucharest: Papers of the World Population Conference, 1,1974.

COALE AJ, DEMENY P, VAUGHAN B. Regional Model Life Tables and Stables Populations – Second Edition. New York: Academic Press, 1983.

COALE AJ, DEMENY P. Méthodes permettant d’estimer les mesures démographiques fondamentales à partir de données incomplètes. Nations Unies : 1969.

COALE AJ, DEMENY P. Regional Model Life Tables and Stables Populations. Princeton: Princeton University Press, 1966.

COALE AJ, DEMENY P. New Regional Model Life Tables at High Expectation of Life. Population Index, Vol. 56, n.° 1, Office of Population Research, Princeton University Population Association of America, INC.: 1990.

COALE AJ, GUO G. Revised Regional Model Life Tables at very low leveis of mortality, Population Index, Vol. 55 (4), Princeton: Princeton University Press, 1989

COALE AJ, HOOVER EM. Population Growth and Economic Development in Low 0150 Income Countries, A Case Study od India’s Prospects. Princeton: Princeton University Press, 1958.

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Relatório da Comissão sobre o estado da saúde na Comunidade Europeia. Bruxelas: 1995.

CÓNIM CNPS. Algumas Características Sobre a Qualidade dos Dados Censitários – Recenseamentos da População (1864-1970). Série “Estudos”, n.° 57. INE, 1980.

CÓNIM C, Marques A, Pinto JE. Tábuas Abreviadas de Mortalidade, Distritos e Regiões Autónomas 1979-1982. Caderno n.° 7 do Centro de Estudos Demográficos. INE, 1988.

CÓNIM C. Tábuas Completas de Mortalidade Portugal, 1979-1982. Anexo ao Boletim Mensal de Estatística, n.° 9. Lisboa: INE, 1986.

CONSEIL de L’EUROPE. Nouvelles Tendences de la mortalité en Europe. Études Démographiques – n.° 5. Strasbourg: 1981.

COWGILL DO. The Theory of Population Growth Cycles. The Amer. Journal of Sociology, 1949: 163-70.

DAVID HMPR. As Crises de Mortalidade no Concelho de Braga (1700-1880). (Dissertação de Doutoramento em História Moderna Contemporânea, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade do Porto). Porto: 1992 (policopiado).

DAVIS K. The World Demographic Transition. Ann. of the Amer. Acad. of Politic and Soc. Sciences, 237, 1945: 1-11.

DIOGO Hl. As Crises de Mortalidade no Concelho do Fundão, Cova da Beira, Século XVIII. (Dissertação de Mestrado em Demografia Histórica e Social apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL). Lisboa: 1992 (policopiado).

FERREIRA FAG. História da Saúde e dos Serviços de Saúde em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1990.

FRANZINI MM. Notícias estatísticas sobre a extensão e população do Reino de Portugal e Ilhas do Oceano Atlantico. Almanach Portuguez. Lisboa: 1826.

FRANZINI MM. Reflexões sobre a influencia das estações na mortalidade dos habitantes de Lisboa. In: Diário do Governo, Lisboa: 1842, p.747.

FRANZINI MM. Reflexões sobre o Actual Regulamento do Exército de Portugal publicado em 1816 ou Análise dos Artigos Defeituosos e Nocivos a Nação.... Lisboa: 1820.

FREIRE JRT. Estudos de Demografia Portuguesa (1° Ensaio). Centro de Estudos de Matemáticas Aplicadas à Economia. Lisboa: 1945.

FRONTEIRA J. Tábuas Abreviadas de Mortalidade da População de Portugal (1920-1930-1940). Centro de Estudos de Estatística Económica. Lisboa: Tipografia Portuguesa, Lda, 1950.

FRONTEIRA J. Tábuas Abreviadas de Mortalidade da População de Portugal (1950). Centro de Estudos de Estatística Económica. Lisboa: 1953.

GABRIEL K, RONEN I. Estimates of Mortality from Infant Mortality Rates. Population Studies, Vol XII, 2, London: 1958.

GONZÁLEZ ER, MESTRE JB, BENAVIDES FG. La Transición Sanitaire: Una Révisión Conceptual. Boletín de la Associación de Demografia Histórica, XIV, 1, 1996, pp. 117-144.

IQN. Observaçoens sóbre os Mappas da Povoação do Reino, e Ilhas. In O Investigador Portuguez em Inglaterra – Jornal Literário, Político & C., Vol I, Londres, 1811.

JANZ GJ, REIS CS. A Mortalidade Cardio-Vascular em Portugal. Rev. do Centro de Estudos Demográficos, n.°l 5. Lisboa: INE, MCMLXIV.

JORGE R, SCHINDLER H. Tabellas Preliminares do Movimento Physiologico da População do Reino de Portugal, Annos de 1902,1903 e 1904 (resultados do primeiro apuramento). Lisboa: Typographia “A Editora”, 1906.

LANDRY A. La Révolution Démographique. Paris: Librairie Sirey, 1934.

LEDERMANN S, BREAS J. Les Dimensions de la mortalité. Population, Vol. 14, n.° 4: 1959.

LEDERMANN S. Nouvelles Tables-Types de mortalité. Travaux et Documents, Cahier n.° 53. Institut National d’Études Démographiques. Paris: 1969.

LERNER M. Modernization and Health: A Model of the Health Transition. Paper presented at the annual meeting of the American Public Health Association, San Francisco: 1973.

LOTKA AJ. Theorie Analytique des Associations Biologiques: L'analyse démographique avec aplications particulières à 1’espèce humaine. Paris: Hermann, 1939.

LOUREIRO JAM de. Reflexões Acêrca do Valor da Estatística de Mortalidade por Causas em Portugal. Revista do Centro de Estudos Demográficos, n.° 2. Lisboa: INE, 1945.

MACHADO JTM. A Mortalidade por Doenças Cardio-Vasculares e o Progresso Sanitário. Rev. do Centro de Estudos Demográficos, n.° 11. L isboa: INE, MCMLVIII.

MACHADO JTM. No Centenário do I Recenseamento Populacional Português. Rev. do Centro de Estudos Demográficos, n.° 16, Lisboa: INE, MCMLXV.

MARQUES MPO. Algumas Considerações Sobre a Mortalidade Portuguesa. Publicação não periódica do Centro de Estudos Demográficos. INE, MCMLXX.

MARRECA A d’O. Parecer e Memória sobre um Projecto de Estadistica. Memórias da Academia Real das Ciências de Lisboa, 2a Classe, Tomo 1, parte 1, 1854.

MENDES MFF. Aplicação das diversas tábuas-tipo de mortalidade aos dados da situação portuguesa no período 1930 a 1970. Economia e Sociologia, n.° 35, Évora: 1983.

MESLÉ F, VALLIN J. Causes de Decés: de la 8e à la 9e Révision, Deux cas différents: la France et 1’Angleterre, In: Demographie Européenne, Dynamics Démographiques, Edité par: Alain BLUM et Jean-Louis RALLU. Paris: INED, 1993.

MORAIS MGD. Gerações e Esperança de Vida – os efeitos da sua evolução em alguns distritos do Continente (Estudo exploratório). Revista População e Sociedade, n.° 1, Porto: CEPFAM, 1995.

MORAIS MGD. A transição da Mortalidade e Estruturas de Causas de Morte em Portugal Continental durante o Século XX. (Dissertação de Doutoramento em Demografia, apresentada na Universidade de Évora. Évora: 2000 (policopiado).

MOREIRA MJG. As Crises de Mortalidade no Concelho de Idanha-a-Nova (Século XVIII). (Dissertação de Mestrado em Demografia Histórica e Social apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL). Lisboa: 1992 (policopiado).

MORIYAMA IM. Development of the present concept of Cause of Death. American Journal of Public Health, 46, 1956.

MOTTA LC, SEQUEIRA ML. Mortes Prematuras em Portugal por Causas Principais, 1971-1973. Departamento de Estudos e Planeamento da Saúde, Ministério da Saúde. Lisboa: 1985.

MOTTA LC, THEIAS MM. Selecção e Análise das Principais Causas de Morte em Portugal. Rev. do Centro de Estudos Demográficos, n.° 21, INE: 1973/1974.

MURRAY CYL, CHEN LC. Dynamics and Patterns of Mortality Change. In Heath and Social Change in International Perspective. Harvard Series on the Population and International Health: 1996.

NATIONS UNIES. Bulletin Démographique des Nations Unies, 7, 1963.

NATIONS UNIES. Model Life Tables for Developing Countries. Departament of International Economic and Social Affairs. Populations Studies, 77: 1982.

NATIONS UNIES. Schémas de Variation de la Mortalité selon l’âge et le sexe. Tables-Types de mortalité pour les pays sous-développés. Population Studies, n.° 22, New York: 1955.

NAZARETH JM. Explosão Demográfica e Planeamento Familiar. Lisboa: Editorial Presença, 1982.

NAZARETH, JM. Tábuas Abreviadas de Mortalidade Globais e Regionais-1929-1932, 1939-1942 e 1949-1952. Caderno n.° 5 do Centro de Estudos Demográficos. INE, 1977.

NAZARETH JM. Portugal na Europa Comunitária no final dos anos oitenta. Estudos Demográficos n.° 30. Lisboa: INE, 1991.

NOIN D. La Transition Démographique dans le Monde. Paris: Presses Universitaires de France. 1983.

NORUSIS MJ. /SPSS Inc. SPSS Profissional Statistics 6.1. Chicago: 1994.

NOTESTEIN FW. Economic Problems of Population Change. Proceeding of the Eight International Conference of Agriculture Economists. New York: Oxford University Press, 1953: 13-31.

NOTESTEIN FW. Population: The Long View. In: T. Schultz (ed.), Food for the World. Chicago, 1945: 36-57.

NUNES JN. Mortalidade em Portugal. (Tese de doutoramento). Porto: Imprensa Nacional, 1923.

OMRAN AR. The Epidemiologic Transition: A Theory of the Epidemiolgy of Population Change. Milbank Memorial Fund Quarterly, 49: 509-538, 1971.

ORGANIZATION de Coopération et de Développement Economiques (OCDE). La Mortalité dans les Pays en Développement. Tomo III. Paris: 1980.

PAIS MORAES JJ. Tábua de Mortalidade da População Portuguesa (1939-1942). Série “Estudos”, n.° 8. INE, 1945.

PAIS MORAES JJ. Alguns Aspectos Demográficos da População Portuguesa. Série “Estudos”, n.° 12. INE, 1947.

PAIS MORAES JJ. Tábua de Mortalidade da População Portuguesa (1949-1952). Série “Estudos”, n.° 24. INE, 1953.

PAIS MORAES JJ. Tábua de Mortalidade da População do Continente e Ilhas (1959-1962). Série “Estudos”, n.° 38. INE, 1964.

PAIS MORAES JJ. Tábuas Abreviadas de Mortalidade Distritais e Regionais 1959-62 e 1969-72. Caderno n.° 4 do Centro de Estudos Demográficos. INE, 1976.

PEARL R, REED LJ. On the Rate of Growth of the Population of the United States since 1790 and Its Mathematical Representation. Proceedings of the National Academy of Science, 1920, 6: 275-88.

PEREIRA MH. Demografia e Desenvolvimento em Portugal na Segunda Metade do Século XIX. Análise Social, 1969, Vol II, n.° 25-26 (85-117).

PINTO MLR. Crises de Mortalidade e Dinâmica Populacional nos Séculos XVIII e XIX na Região de Castelo Branco. (Dissertação de Doutoramento em Demografia apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL). Lisboa: 1993 (policopiado).

POPULATION REFERENCE BUREAU, Inc. World Population Data Sheet, Demographic data and estimates for the countries and regions of the World, 1996. Washington: 1996.

PRESTON SH, KEYFITZ N, SHOEN R. Causes of Death, Life Tables for National Populations. Seminar Press. New York and London: 1972.

QUETELET A. Sur 1’homme et le developpement de ses facultés. Livre I, 1835. In: Problèmes de Transition Demographique. Louvain-la-Neuve: CABAY, Librairie Éditeur S.A., 1980.

REED LJ, MERREL M. A Short Method for Constructing an Abridged Life Table. American Journal of Hygiene, n.° 2, Vol. 30, 1939: 33-51.

RIBEIRO GU da C. A Mortalidade Infantil no Porto. These Inaugural. Escola Médico-Cirúrgica do Port. Porto: 1902.

ROCHA GPN. Dinâmica Populacional dos Açores no Século XX, Unidade, Permanência, Diversidade. Ponta Delgada: Universidade dos Açores: 1991

RUZICKA L, WUNSCH G, KANE P. Differential Mortality – Methodological Issues and Biosocial Factores. Oxford: Clarendon Press, 1989.

SANTANA JF. A Mortalidade na População Portuguesa e suas Principais Causas. Comunicação apresentada no Congresso Nacional de Ciência da População. Porto: 1940.

SERRÃO J. Demografia Portuguesa/ Fontes da Demografia Portuguesa 1800-1862. Livros Horizonte, 19. Lisboa: 1973.

SCHOFIELD R, REHER D, BIDEAU A (Eds.). The Decline of Mortality in Europe. Oxford: Clarendon Press, 1991.

SHRYOCK H, SIEGEL J et al. The Methods and Materials of Demography, Nueva York: Academic Press, 1976.

SILVA DA. Contribuições para o estudo comparativo do movimento da população em Portugal. Jornal de Sciencias Mathematicas, Physicas e Naturaes, Tomo II. Lisboa: Typographia da Academia, 1870.

SILVESTRE AM. As afecções reumatismais e cardio-vasculares na mortalidade portuguesa. Rev. do Centro de Estudos Demográficos, n.°10. Lisboa: INE, MCMLVI.

SINOPSE histórica da publicação da estatística do movimento da população em Portugal. In: Anuário Demográfico (Estatística do Movimento Fisiológico da População de Portugal), Ano de 1941. INE, Lisboa: Imprensa Nacional, 1942.

SOUSA FAP de. A População Portuguesa nos Inícios do Século XIX. (Dissertação de Doutoramento em História Moderna e Contemporânea. Faculdade de Letras da Universidade do Porto). Porto: 1979 (policopiado).

TABOAS Topográficas e Estatísticas 1801. INE. Lisboa: 1948.

TABUTIN D. Problèmes de Transition Démographique. Tome 1. Louvain-la-Neuve: CABAY, Libraire-Editeur S.A, 1980.

THOMPSON W. Population. The Amer. Journal of Sociology (May), 1929, 34 (6): 959-75.

VALLIN J, D’SOUZA S, PALLONI A (Éditeurs). Mesure et Analyse de la Mortalité – Nouvelles Approches. Travaux et Documents, Cahier n.°l 19. Paris: INED, UIESP, PUF, 1988.

VAN DE KAA, DJ. Europe’s Second Demographic Transition. Population Bulletin, 42,1, PRB, 1987.

VIEIRA JV. As Estatísticas Portuguesas do Movimento da População. Revista do Centro de Estudos Demográficos, n.° 18, INE, 1970.

WALDRON I. Patterns and causes of excess female mortality among children in developing countries. World Health Statistics Quarterly: 1987.

WILMOTH J, VALLIN J, CASELLI G. Quand Certaines Générations ont une Mortalité Différent de celle que l’on Pourrait Attendre. Population, 2, 1989.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. International Classification of Diseases. (Rev. ed.),vol I, 1955.

ZABA B. The four-parameter logit life table system. Population Studies, Vol. 33, n.° 1: 1979.

© Publicações do Cidehus, 2002

Licence OpenEdition Books

Cette publication numérique est issue d’un traitement automatique par reconnaissance optique de caractères.

Acheter

Volume papier

amazon.fr
Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search