Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

Indústria e conflito no meio rural

 | 
Paulo Eduardo Guimarães

Fontes e Bibliografia

Texte intégral

Fontes

I. Arquivos e fontes

1. Arquivo Nacional da Torre do Tombo

Ministério do Interior (Gabinete do Ministro)

«Crise do Trabalho (1931/2)» (Proc. 510)

«Mina de São Domingos» (Proc. 455)

2. Arquivo do Ministério do Emprego e Formação Profissional

Sindicato Nacional dos Operários Mineiros e Ofícios Correlativos do Distrito de Beja, secção de Aljustrel, proc. 234-A, 1960-1965, est.3, Cx. 45, Corpos Gerentes.

Sind. Nac. dos Operários Mineiros do Distrito de Leiria, Corpos Gerentes, proc. 347, est. 3, Cx. 63.

Sind. Nac. dos Mineiros do Carvão e Ofícios Correlativos do Distrito do Porto, Corpos Gerentes, proc. 330, est.3, Cx. 60; Processes de Inspecção, est. 7, Cx. 52, proc. 330.

Sind. Nac. dos Mineiros da Lousa, Valongo, Corpos Gerentes

3. Arquivo da Direcção Geral de Geologia e Minas

Processos relativos às minas do Lousal, Juliana, Cova Redonda, Serra da Caveira, São João do Deserto de Algares (Aljustrel) (DGM-36) e São Domingos (DGM-11).

4. Arquivo Histórico-Social

(Encontra-se depositado na Biblioteca Nacional de Lisboa, espólios)

Núcleos: Juventudes Libertarias (Cx.93, Cx.94), Juventudes Sindicalistas (Cx.95, 96, 97, 98 e 124), e C.G.T. (Cx.60, 61, 62, 63, 64).

5. Arquivos municipais e distritais

5.1. Arquivo Distrital de Beja

Arquivo do Governo Civil de Beja

Correspondência recebida dos adm. do conc. de Aljustrel, (prat.4, 9 vol., 2 I), 1917-1922 e 1923-1933

Correspondência recebida dos adm. do conc. de Mértola, (prat. 1, 15 vol, 9 Ρ), 1916-1921 e 1922-1934 Extractos da correspondência recebida do concelho de Aljustrel (prat.2, 2.º vol, 1 Β), 1905-1934.

Extractos da correspondência recebida do concelho de Mértola (prat. 1, 8.º vol, 9 Β), 1900-1934.

Telegramas recebidos dos administradores do concelho de Aljustrel, (prat.5, 4.º vol, 1 A), 1921-1934.

Telegramas recebidos dos administradores do concelho de Mértola, (prat.l, 7.º vol, 1 Η), 1916-1934.

Correspondência expedida

Mapas de consumo e estatísticos

5.2. Arquivo Municipal de Aljustrel

Câmara Municipal de Aljustrel

Livro das actas das Vereações

Correspondência Expedida e Recebida

Recenseamento Escolar

Administrador do Concelho de Aljustrel

Autos de Investigação Criminal

Correpondência expedida (extractos e copiadores)

Correspondência recebida (originais)

Recenseamento Eleitoral

Recenseamento de estrangeiros residentes, 1867-1905

Registos de Minas

Associação de Socorros Mútuos «Mineira Aljustrelense»

Ficheiro de sócios (eliminados)

Livros de Actas da Assembleia Geral

Relatórios e Contas da Direcção e Parecer do Conselho Fiscal

Correspondência recebida

Correspondência expedida (copiadores)

5.3. Arquivo Municipal de Grândola

Administrador do Concelho de Grândola

Correpondência expedida

Correspondência recebida

Recenseamento Eleitoral

Registos de Minas

5.4 Arquivo Municipal de Mértola

Administrador do Concelho de Mértola Deliberações do Governo, 1907.

Deliberações da administração do concelho, 1907.

Registo de acordãos do Tribunal Administrativo de Beja, livros n.º 1 e 2.

Correspondência expedida para diversas autoridades (copiadores), 1898-1926.

Correspondência expedida para o Governo Civil de Beja (copiadores), 18981926.

Correspondência recebida

Recenseamento Eleitoral

Registos de Minas

6. Arquivo do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira do Sul

Existe um catálogo de inventário dos diversos núcleos e séries documentais elaborado por nós.

6.1. Sindicato Nacional dos Operários Mineiros e Ofícios Correlativos do Distrito de Beja. Mina de São Domingos.

Livros de actas da direcção

Relatórios e Contas, 1936-1963

Correspondência expedida e recebida, 1936-1963

Cozinha Económica (1942-1945)

Ficheiro de Sócios

6.2. União Mutualista das Cambas (Mina de São Domingos)

Movimento de associados

Livros de actas

6.3. Sindicato Nacional dos Operários Mineiros e Ofícios Correlativos do Distrito de Beja. Secção de Aljustrel.

Livros de actas da direcção

Relatórios e Contas, 1936-1963

Correspondência expedida e recebida, 1936-1963

6.4. Caixa de Auxílio na Doença (Aljustrel)

Livro de actas (encontra-se truncado)

7. Fontes secundárias sobre o operariado e o movimento operário em Portugal.

Album Comemorativo: Companhia União Fabril, Lisboa, C.U.F., 1945, 103 p.; il.

AQUINO, Acácio Tomás et allie, O 18 de Janeiro e alguns antecedentes, Lisboa, A Regra do Jogo, 1978, 132 p.

BRANDÃO, Raul, Os Operários, 1.ª ed. Lisboa, B.N.L., 1984, 350 p.; introd. e notas Τúlio Ramires Ferro.

BATALHA, A. E., «Relatório apresentado ao illm.o exm.o sr. governador civil do distrito administrativo de Beja, pelo administrador do concelho de Mértola, Augusto Ernesto Batalha», in O Sul de Portugal. Ano I, n.º 27 (5. Ago. 1866) e 31 (19. Ago. 1866)

CORREIA, A. Gonçalves, A felicidade de todos os seres na Sociedade Futura. Conferência realizada no V Congresso dos Trabalhadores Rurais... 15. Dez. 1922, 2.a ed., Beja, 1931. [Um exemplo do anarquismo utópico divulgado no Baixo Alentejo].

FRANCISCO, José, Páginas do Historial Cegetista, Lisboa, Sementeira, 1983, 162 p.

GONÇALVES, Bento, Escritos (1927-1930), Lisboa, Seara Nova, 1976, 143 p.; recolha, introd. e notas António Ventura.

—, Palavras Necessárias: a vida proletária em Portugal de 1872 a 1927, 4.a ed., Porto, Inova, 1974.

GOOLDOLPHIM, Costa, A Associação, Lisboa, Seara Nova, 1974, 206 p.; pref. César Oliveira.

LIMA, Campos, O Movimento Operário em Portugal, 2.a ed., Porto, Afrontamento, 1972.

MATOS, Luís Salgado de, «Lisboa, 1920 — vida sindical e condição operária», in A.S., XVII (67-68), 1981-3.º 4.º, 927-986. [Compilação de 3 entrevistas feitas a E. Santana.]

SANTANA, Emídio, Historia de um atentado. O atentado a Salazar. Mem Martins, Forum, 1976, 225 p.

SEQUEIRA, José dos Reis, Relendo e Comentando (memórias de um operário corticeiro 1914-1938), Lisboa, A Regra do Jogo, 1978, 378 p.

SILVA, José da, Memórias de um Operário, 2 vols., Porto, 1971.

SIMÕES, J. Oliveira, «Inquirição pelas Associações de Classe sobre a situação do operariado» in B.T.I., 49, Lisboa, Imp. Nac., 1910.

RODRIGUES, Edgar, A Resistência Anarco-Sindicalista à Ditadura. Portugal 1922-1939, Lisboa, Sementeira, 1981.

Resolução do I Congresso do P.C.P., 1943.

Rumores Subterrâneos, Porto, ed. da agência literária autorizada pelo Sindicato dos Operários da Indústria Mineira de S. Domingos; tip. Nunes & Rocha, s.d. (1932) - visado pela comissão de censura, preço 1$00; o produto líquido da venda deste folheto reverte a favor da Caixa de Solidariedade dos Mineiros de Aljustrel e de São Domingos.

SOUSA, Manuel Joaquina de, O Sindicalismo em Portugal, 5.a ed., Porto, Afrontamento, 1976, 239 p.; pref. E. Santana.

—, Últimos Tempos de Acção Sindical Livre e do Anarquismo Militante, Lisboa, Antígona, 1989, 170 p.

VASCO, Neno, Concepção Anarquista do Sindicalismo (1923), Porto, Afrontamento, 1984, 205 p. (introd. J. Freire).

VENTURA, António, Subsídios para a História do Movimento Sindical Rural no Alto Alentejo (1910-1914), Lisboa, Seara Nova, 1976, 189 p.

VIEIRA, Alexandre, Para a História do Sindicalismo em Portugal, Lisboa, Seara Nova, 1974, 217 p. + anexo.

8. Fontes secundárias sobre minas

BURAT, Amédée, Cours d'exploitation des Mines, Paris, 1877, 3 vols.

CABRAL, J. A. C. das Neves, Relatório sobre a Exposição Universal de Londres de 1862. Estudos Geológicos, Minerais Úteis e Suas Aplicações, Metalurgia e Lavra de Minas, Lisboa, Imp.Nac., 1864, 304 p.

DIRECÇÃO GERAL DE MINAS Ε SERVIÇOS GEOLÓGICOS, Minas Concedidas no Continente desde Agosto de 1836 a Dezembro de 1962. Lista Cronológica e Índice Alfabético, 2.a ed. ampl., Lisboa, 1946, 261 p.

— SERVIÇO DE FOMENTO MINEIRO, Catálogo das Minas de Ferro do Continente, 2 tomos, Porto, 1950-1952.

— 1. Relatório. Anos de 1939 a 1941, Porto, 1942, 116 p.; il. (mapa).

MONTEIRO, Severiano; BARATA, João Augusto, Exposição Nacional das Indústrias Fabris. Catálogo Descriptivo da Secção de Minas, Lisboa, Imprensa Nacional, 1889, 494 p.

NOGUEIRA, A. de Mello, Coord., Elementos para o estudo da indústria mineira em Portugal nos anos de 1930 a 1939, Lisboa, 1941. Sep. do Bolet. Minas. Ano de 1939.

SERRANO, J. de Paiva Manso, Legislação Mineira da Metrópole e do Ultramar anotada, Porto, Porto Ed., 557 p. + índices.

United States Department of the Interior. Bureau of Mines. Cake oven accidents in the United States during the calender year 1938, Washington, 1940.

9. Fontes secundárias o meio social mineiro em Portugal

«No Alentejo. Mina de São Domingos. Os que trabalham as trevas», O Socialista, I, 54, 20. Ago. 1912.

«Aljustrel» in O Domingo Ilustrado, Lisboa (11), 1897, p. 78.

CAMACHO, Manuel de Brito, «O Clemente», in Memórias e Narrativas Alentejanas, Lisboa, Guimarães, 1988, p. 206 e ss.

ESTEVES, José, «Impressões duma viagem. Na mina de São Domingos» in O Eco Metalúrgico, ano IV, 4.0ut.l931, p.3.

GIÃO, António, A Mina de S. Domingos, Notas de uma excursão, Reguengos, 1923.

GOUVEIA, João, «As minas de Aljustrel» in Serões, 29,30, Lisboa, Nov.-Dez. 1907, pp. 312-318; 407-414; il.

CASTRO, Ferreira de, «História da Velha Mina» in Diário do Alentejo, Beja, l4. Mar. 1986 - supl. cultural O Largo, 22, «Ferreira de Castro e a Mina de São Domingos». (Reescrito posteriormente e publicado com o mesmo título em Ferreira de Castro, Fragmentos, 1.a ed., Lisboa, Guimarães, 1974).

GESTA (MAZOLA), Serafina, Vozes do Subsolo, I, Porto, Centro Revolucionário Mineiro, 1976, 16 p. (texto da petição operária de 1928 com pref. de S. G.)

—, Operários da Morte, Porto, Centro Revolucionário Mineiro, 1978, 2 vols.

—, Minas de S. Pedro da Cova, um grito rompe o silêncio, Porto, 1981.

—, Folclore Mineiro, s.l., 1983, 59 p.

—, Minas de S. Pedro da Cova: Um grito rompe o silêncio, 3 vols, Porto, ed. autor, 1982.

«A Mina de São Domingos» in O Século, 28.Out.1955.

10. Fontes Iconográficas

BARREIRA, João, «A habitação em Portugal» in Notas sobre Portugal, II, Lisboa, Imp.Nac., 1908, p.148-178.

GOUVEIA, João, «As minas de Aljustrel» in Serões, 29,30, Lisboa, Nov.-Dez. 1907, p. 312-318; 407-414; il.

A Ilustração Portuguesa, Revista Semanal dos Acontecimentos da Vida Portuguesa. II Série. 1.º semestre, Lisboa, "O Século",1884-1919. Director: Carlos Malheiro Dias

ROLDÁN, Manoel, «Jazigos de Minérios» in Notas Sobre Portugal, I, Lisboa, Imp.Nac., 1908, p. 227-244.

11. Fontes Orais

(Referem-se apenas os testemunhos de participantes em acontecimentos de carácter político durante a I República e o Estado Novo).

ABÍLIO DA SILVA TEIXEIRA, n. 25/Jun/1911 em São Bartolomeu de Via Gloria (Mértola). Começou a trabalhar nas minas em 1929 em Aljustrel.

ANTÓNIO CATARINO BANDEIRA, n. l/Jul/1910 em Aljustrel. Filho de pais mineiros (São Marcos da Ataboeira) entra para a mina em 1925.

ANTÓNIO NOBRE VILHENA JÚNIOR, n. 25/12/1918 em Aljustrel. Trabalhou, como o pai, numa oficina de ferreiro. Começou a trabalhar nas minas com 27 anos.

FRANCISCO XIMENES, Via Glória (São Domingos).

FRANCISCA MATIAS CURTINHA, Aljustrel, filha do polícia morto durante o motim de 1920.

CAROLINA MARIA JOSÉ, Aljustrel.

JOÃO FRANCISCO ROSA e FERNANDA PATRÍCIO, entrevista não gravada em 30/12/1990, em Aljustrel. Ambos militantes comunistas. F. Patrício, é filha de Manuel Patrício e sobrinha do anarquista Valentim Adolfo João. Cresceu com o seu pai no sindicato mineiro, onde chegou a trabalhar como funcionária auxiliar.

JOÃO MANUEL VIEIRA BENEDITO (n. em Aljustrel 1/Ag/l 930), entrevista gravada em 2/Jan/1991. Esteve preso e foi um dos despedidos por participar na greve de 1962.

JOAQUIM DA SILVA REVEZ, Aljustrel.

LUÍS CASTILHO, operário de laboratório (químico), presidente do Sindicato Nacional durante 16 anos e ocupou na direcção vários cargos no total de 22 anos. Veio das Juventudes Sindicalistas e teria transitado para o P.C.P. em 1935 (?), quando pertencia à Associação de Classe. Entrevistas gravadas na sede do M.U.R.P.I. em Aljustrel, 1986 e 1990. Depoimento escrito “50 anos de vida do Sindicato dos Trabalhadores Mineiros do Sul”

MANUEL ANTÓNIO, mineiro de São Domingos.

MANUEL PATRÍCIO (n. 1897, Mina de S. Domingos - m. 1988, Aljustrel). Como G.N.R. assistiu à greve de 1922/3. Entrou ao serviço em S. Domingos nesse ano e em 1924 foi para Aljustrel. Simpatizante socialista, desenvolve a sua actividade importante na Associação de Classe. A partir de 1932 é «o porteiro do sindicato». Irmão de V. Adolfo João, um dos “dirigentes da classe em S. Domingos”. Os seus filhos são conhecidos militantes do P.C.P. Escreveu nos últimos anos de vida um breve apontamento sobre a história do sindicato do qual conservo uma cópia.

VALENTIM ADOLFO FISHER, filho de Valentim Adolfo João, anarquista e delegado da Federação Mineira e Metalúrgica. Entrevista gravada em Setúbal em Dez. 1992.

II. Periódicos, estatística e legislação

1. Estatísticas e legislação

Anuário Comercial

Anuário Demográfico

Anuário Estatístico

Boletim da Previdência Social

Boletim de Minas

Boletim do Instituto Nacional do Trabalho e Previdência

Boletim do Trabalho Industrial

Comércio e Navegação

Diário do Governo

Estatística da Organização Corporativa, 1938-1939.

Inquérito Industrial de 1881. Inquérito Indirecto. III parte. Lisboa, 1882.

2. Periódicos operários e republicanos

ABC. Semanário Ilustrado. Dir. Rocha Martins, Lisboa, 1920-1932.

Avante!, Lisboa, 1929.

Alma Ferroviária. Boletim da Associação de Classe dos Funcionários de Viação Acelerada do Sul e Sueste. Director e editor Jerónimo M. S. Paiva, Beja, 1921-1921-1926?

A Batalha: Diário da Manhã — Porta-voz da Organização Operária Portuguesa. Redactor Principal: Alexandre Vieira; Editor: Joaquim Cardoso. Lisboa, 1919-1926.

O Despertar. Mensário da Juventude Sindicalista, Lisboa, 1914-1915.

O Despertar. Mensário. Prop. União das Juventudes Sindicalistas de Portugal, Lisboa, 1920-1923.

O Eco Metalúrgico. Propriedade do Sindicato Único das Classes Metalúrgicas. Editor José Lopes, Lisboa, 1926-1931.

O Sindicalista. Semanário da Classe Trabalhadora, I, 1, Lisboa, Nov. 1910. Director: António Evaristo; Editor: Alfredo D. Laureano; Redactor principal: Alexandre Vieira.

O Socialista, Ano I, n.º 1. Lisboa, 14.Abr.1912. Director: Pedro Muralha

Vanguarda Operária. 1929.

2.1. Periódicos de âmbito regional

O Alentejano. Publicação mensal. Editor: Bento Fernandes Salvado. Ano I. Moura, 1890.

O Circulo. Ed. Adeodato Barrero, Aljustrel, 1934.

O Bejense. Semanário da «União Republicana». Beja, 1911-1922?

O Facho. Orgão do Centro Socialista de Beja. Dir. e ed. Mário Augusto Patrício, 1915-1918.

A Folha de Beja. Orgão do Partido Regenerador do Distrito de Beja, I, Beja, 18921911.

O Futuro de Mértola. Mértola, 1914?

O Liberal. Publica-se às quintas-feiras. Proprietário e responsável António Inácio de Sousa Porto. Beja. 1889-1892.

Nove de Julho. Folha política, literaria e noticiosa. Publica-se às quintas-feiras. Beja, ano I, 1885.

A Pátria. Orgão de propaganda republicana e defesa regional. Dir. e ed. Mendes Carneiro, Beja, 1925.

Pax Júlia. Propr., edit. e dir. Arcádio Matos Silva. Beja, 1915. [Jornal conservador formado pelos estudantes do Liceu de Beja],

A Questão Social. Ano 1, n.º 1, Cuba, 2. Jan. l9l6. Publica-se aos domingos. Redactor e proprietário: Antonio Gonçalves Correia; Editor J. F. Borralho Lucas.

A Revolta. Semanário Republicano Radical Independente. Direcção Manuel Marques Serrão. Editor Gervásio Martins Mourão. Ano I, n.º 1, Aljustrel, 31 de Janeiro de 1911.

3. Periódicos mineiros

Jornal de Minas e da Indústria Metalúrgica. Publicação Quinzenal. 1.º ano, n.º 1, Lisboa, 1.Out. 1892.

Revista Mineira: economia, técnica, divulgação. Ano I. Lisboa, 1942.

A Voz do Mineiro. Orgão dos Mineiros Portugueses Aderentes à Federação Mineira Internacional. Mina de São Domingos, 1931-1932.

Boletim de Minas, Lisboa, anos de 1910 a 1940.

4. Legislação

BARRADAS, António do Carmo, Leis do Descanso Semanal e das Oito horas de Trabalho, Lisboa, 1928, 13 p.

Corporações e Previdência Social, codificação completa até Dezembro de 1935, Lisboa, s.d. [1937],337 p.

COSTA, Augusto da, Código do Trabalho, Lisboa, J. Rodrigues & Cia., 1937, 345 p.; pref. Marcelo Caetano.

I.N.T.P., Legislação do Trabalho: Estatuto do Trabalho Nacional e mais textos fundamentais, 1.a ed., Lisboa, 1938, 145 p.

III. Bibliografia

1. Geral

ALMEIDA, João Ferreira; PINTO, José Madureira, A Investigação nas Ciências Sociais, Lisboa, Presença, 1989, 163 p.

ASHTON, T. S., A Revolução Industrial, 1760-1830, 4.a ed., Mem Martins, Europa-América, 1977, 211 p.; trad. notas e índ. cronol. Jorge de Macedo.

ASHWORTH, William, A Short History of the International Economy Since 1850, 3.a ed., Longman, 1981.

BENNET, John W., «Paternalism» in Enciclopedia Internacional de las Ciencias Sociales, 7, 1979, Aguilar, s.l., 674-678.

BERTAUX, Daniel, Destinos Pessoais e Estrutura de Classe, Lisboa, Moraes, 1978, 299 p.

BROTCHIE, John F. et allie, The Spacial Impact of technological change, Londres, Croom Helm, 1987, 451 p. [As últimas mutações operadas pela última revolução, a da informática, telemática e da informação].

CARR, Edward Hallet, Vinte Anos de Crise: 1919-1939, Brasília, Ed. Universidade, 1981, 220 p.

COLMAN, David; NIXSON, David, Desenvolvimento Económico. Uma perspectiva moderna, São Paulo, Campos, 1981, 307 p. + ind.

DAHRENDORF, Ralf, Class and Class Conflict in Industrial Society, Londres, Routledge & K. Paul, 1976, 336 p.

DAUMAS, Maurice, dir., Histoire Générale des Techniques, III. L'expansion du machinisme, Paris, PUF, 1968, 6.a parte, cap. 2. «L'industrie minière» e cap. 4. «La montée de la grande industrie chimique»; V Les Tecnhiques de la Civilisation Industrielle, Paris, P.U.F., 1979.

DOBB, Maurice, Studies in the development of capitalism, Routledge & K. Paul, 1981,383 p.

FOSTER, John, Class Struggle and the Industrial Revolution. Early Industrial Capitalism in Three English Towns, Londres, Methuen & Co., 1974, 338 p. + ind. anal.

FRIEDMANN, Georges; NAVILLE, Pierre et al., Tratado de Sociologia do Trabalho, São Paulo, Cultrix, 1973, 2 vols.

GUTIÉRREZ MOLINA, José Luis, La Idea Revolucionaria: El anarquismo organizado en Andalucía y Cádiz durante los años treinta, Sevilla, Siete Entidades, 1993, 155 p. + apéndices + índices.

HOBSBAWN, E. J., Rebeldes Primitivos: Estados de Formas Arcaicas de Movimentos Sociais nos Séculos XIX e XX, 2.a ed. rev e ampl., Rio de Janeiro, Zahar, 1978, 238 p.

—, El Mundo del Trabajo. Estudios historicos sobre la formación y evolución de la clase obrera, Barcelona, Ed.Crítica, 1987. (trad. castelhana de Worlds of Labour, Londres, Weidenfeld and Nicolson, 1984).

—, «Sentido e finalidade da história do movimento operário» in Vértice, 31, Out. 1990, p. 9-19.

JONES, Gareth Stedman, Languages of Class: Studies in English Working Class History, 1832-1982, 1.a ed. Cambridge, C.U.R, 1983.

LANDES, David S., The Unbound Prometheus. Technological Change and Industrial Development in Western Europe from 1750 to the present, Cambridge, Imp. Univ., 1972, 565 p.

MOORE JÚNIOR, Barrington, As Origens Sociais da Ditadura e da Democracia: Senhores e Camponeses na Construção do Mundo Moderno, Lisboa, Cosmos, 1975, 632 p.; índ. + bibliogr.

MOWAT, C.L., ed., The New Cambridge Modern History. XII. The Shifting Balance of World Forces, 1898-1945, Cambridge, Imp. da Univ., 1968.

OSSOWSKI, Stanislaw, Class Structure in the Social Consciousness, Londres, Routledge & K. Paul, 1963.

PAYNE, Stanley, El Fascismo, Madrid, Alianza Ed., 1980.

PEREIRA, Vera M. Cândido, O Coração da Fábrica. Estudo de caso entre operários têxteis, Rio de Janeiro, Campus, 1979, 234 p. + bibl.

SCHNEIDER, Eugene V., Sociologia Industrial: Relações Sociais entre a indústria e a comunidade, 2.a ed., Rio de Janeiro, Zahar, 1980, 474 p.; trad. Ana Cristina C. César.

KENNY, Michael, «Patterns of Patronage in Spain», in Anthropological Quaterly, 33, 1960, pp. 14-23.

KROPOTKINE, Pedro, A Conquista do Pão, 3.a ed. port., Lisboa, Guimarães, 1975, 269 p.; pref. E. Reclus; trad. Manuel Ribeiro.

McLEOD, Hugh, Religion and The Working Class in Nineteenth-Century Britain [1984], Londres, MacMillan, 1989, 66 p. + bibl. sel + ind. anal.

PELLING, Henry, A History of British Trade Unionism, 5.a ed., Londres, Penguin, 1970, 323 p.

RULE, John, The Labouring Classes in Early Industrial England 1750-1850, Londres, Longman, 1986, 404 p.

SUTCLIFFE, Felicity, «Migrant communities in an industrializing, ethnically homogeneous society» in Geographical Review, Nova Iorque, American Geographical Society, 74(3), July, 1984, p.257-266.

STEVENSON, John, British Society 1914-45, Londres, Penguin, 1984, 484 p.

THOMPSON, E.P, The Making of the English working class

WEBER, Max, From Max Weber: Essays in Sociology, Nova Iorque, Oxford University Press, 1946.

—, A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, Lisboa, Presença, 1989, 228 p.

—, Basic Concepts in Sociology, Londres, Peter Owen, 1978. Introd. H. P. Secher

2. Portugal

ACKERMANN, Eugéne, Le Portugal Moderne. Étude intime des conditions industrielles du pays, Rixheim, 1907, 2 vols.

BARBOSA, Daniel Maria Vieira, Realidades Económicas, Porto, Associação Comercial, 1952, 329 p.

BASTO, E. A. Lima, Política Comercial Portuguesa, Lisboa, 1934, 127 p.

BRITO, José Maria Brandão de, A Industrialização Portuguesa no Pós-Guerra (1948-1965). O Condicionamento industrial. 1.a ed. Lisboa, Dom Quixote, 1989, 356 p.

—, «A “electrificação nacional” como base do desenvolvimento: Ezequiel de Campos e Ferreira Dias», comunicação apresentada no Encontro Ibérico sobre História do Pensamento Económico, Lisboa, F. C. Gulbenkian, Abr. 1992 (policopiado).

CABRAL, Manuel Villaverde, Portugal na Alvorada do Século XX, Lisboa, A Regra de Jogo, 1979, 456 p.

—, O Desenvolvimento do Capitalismo em Portugal no Século XIX, Lisboa, A Regra do Jogo, 1981, 361 p.

CARQUEJA, Bento, Economia Política, Lisboa, 1926.

CASTRO, Armando, A Revolução Industrial em Portugal no Século XIX, 4.a ed. Porto, Limiar, 1978.

CASTRO, Ferreira de, A Epopeia do Trabalho, 1926, pp. 47-52.

CAMPOS, Ezequiel de, A Conservação da Riqueza Nacional, Porto, 1913, 731 p.

CASTRO, Armando, A Revolução Industrial em Portugal no século XIX, 4.a ed., Porto, Limiar, 1978, 255 p.

COMISSÃO DO LIVRO NEGRO SOBRE O REGIME FASCISTA, Trabalho, Sindicatos e Greves no Regime Fascista, 1.a ed., Lisboa, 1984.

CRUZ, Manuel Braga da, As Origens da Democracia Cristã e o Salazarismo, Lisboa, Presença/G.I.S., 1980, 457 p.

—, O Partido e o Estado no Salazarismo, Lisboa, Presença, 1988.

CERDEIRA, Maria da Conceição; PADILHA, Maria Edite, As Estruturas Sindicais Portuguesas: uma análise evolutiva, 1933 a Abril de 1987, 3 vols., Lisboa, Dir. Geral do Trabalho, 1987 (Col. Estudos, série C Trabalho).

CUTILEIRO, José, Ricos e Pobres no Alentejo. Uma Sociedade Rural Portuguesa, Lisboa, Sá da Costa, 1977.

CLARENCE-SMITH, Gervase, O Terceiro Império Português (1825-1975), Lisboa, Teorema, 1990, 272 p.

DIAS, Francisco da Silva; FREITAS, Antonio Pinto; AMARAL, Francisco Keil; LOBO, J.H. et al., A Arquitectura Popular em Portugal, 3 vols., Lisboa, Ass. Arquit. Port., 1988.

DIAS JÚNIOR, J. N. Ferreira, Linha de Rumo: Notas de Economia Portuguesa, I, 2.a ed., Lisboa, Clássica, 1946, 390 p.

O Estado Novo. Das Origens ao Fim da Autarcia, 2 vols., Lisboa, Fragmentos, 1987.

O Fascismo em Portugal, Lisboa, A Regra do Jogo, 1982.

FERRAZ, Ivens, A ascensão de Salazar, 1.a ed., Lisboa, O Jornal, 1988; pref. César de Oliveira.

FERREIRA, David, Historia Política da Primeira República Portuguesa, I (19101915), Lisboa, Horizonte, 1973, 216 p.

FERRO, António, Salazar: o Homem e a sua Obra, 3.a ed., S. l., Emp. Nac. de Publicidade, s.d. (XLI) + 282 p. + índ. anal.; pref. Oliveira Salazar.

GODINHO, Vitorino Magalhães, Estrutura da Antiga Sociedade Portuguesa, 4.a ed., Lisboa, Arcádia, 1980, 318 p.

I.N.T.P., Dez Anos de Política Social (1933-1943), Lisboa, Sub-Secretariado de Estado das Corporações e Previdência Social, s.d. 198 p.; il. (fotos).

JUSTINO, David, A Formação do Espaço Económico Nacional: Portugal 1810-1913, 2 vols., Lisboa, Vega, 1988.

LOPES, Fernando Farelo, «Clientelismo, “crise de participação” e deslegitimação na I República», in A. S., XXVI (111), 1991 (2.°), pp. 401-415.

LUCENA, Manuel, A Evolução do Sistema Corporativo Português. 2 vols., Lisboa, P & R, 1976.

—, «Uma leitura americana do corporativismo português» in Análise Social, II, XVII(66), 2.º, Lisboa, 1981, pp. 415-434.

MARQUES, A.H. de Oliveira, História da I República Portuguesa: as estruturas de base, Lisboa, Iniciativas Ed., s.d.

—, Ensaios de História da I República Portuguesa, Lisboa, Horizonte, 1988, 306 p.

—, (coord.), Nova História de Portugal. XI. Portugal: Da Monarquia para a República, Lisboa, Presença, 1991, 745 p. + fontes e bibliogr. + índ. anal.

MÓNICA, Maria Filomena (pref. e introd.), Escola e Classes Sociais (antologia), Lisboa, Presença/GIS, 1981, 154 p.

—, Educação e Sociedade no Portugal de Salazar. A Escola Primária Salazarista, 1926-1939, Lisboa, Presença/GIS, 1978.

—, A Formação da Classe Operária Portuguesa. Antologia da Imprensa Operária (1850-1934), Lisboa, F. C. Gulbenkian, 1982.

MIRANDA, Sacuntala de, Portugal: O Círculo Vicioso da Dependência (18901939), Lisboa, Teorema, 1991, 238 p.

—, «Crise Económica, Industrialização e Autarcia na década de 30» in O Estado Novo: das Origens ao fim da autarcia, 1926-1959, I, Lisboa, Fragmentos, 1987, pp. 249-257.

MEDEIROS, Fernando, A Economia e a Sociedade Portuguesas nas Origens do Salazarismo, Lisboa, A Regra do Jogo, 1978, 413 p.

NAZARETH, J. Manuel, Princípios e Métodos de Análise da Demografia Portuguesa, Lisboa, Presença, 1988, 310 p.

NUNES, Adérito Sedas, Situação e Problemas do Corporativismo, Lisboa, Gab. Est. Corporativos, 1954, 222 p.

PEREIRA, José de Campos, Portugal Industrial, Lisboa, Liv. Profissional, 1919.

PEREIRA, Miriam Halpern, Livre-Câmbio e Desenvolvimento Económico. Portugal na segunda metade do Século XIX, 2.a ed. cor., Lisboa, Sá da Costa, 1983.

—, A Política Portuguesa de Emigração (1850-1930), Lisboa, A Regra do Jogo, 1981, 62 p. + documentos.

—, Política e Economia: Portugal nos séculos XIX e XX, Lisboa, Horizonte, 1979, 149 p.

—, «Breve Reflexão Acerca da Historiografia Portuguesa no Século XX» in Ler História, 21, (1991): 5-15.

PERY, Gerardo Augusto, «Estatística Agrícola do Concelho de Aljustrel» (1892), in Boletim da Direcção-Geral da Agricultura, 4.º ano, 15, pp. 1395-1484.

PICÃO, José da Silva, Através dos Campos: usos e costumes agrícola-alentejanos, Lisboa, Dom Quixote, 1983, 425 p.

POINSARD, Le Portugal Inconnu. 2 vols., Paris, sud.

REIS, Jaime et al. (coord.), O Século XIX em Portugal, Lisboa, Presença,/G.I.S., s.d. (1980)

REIS, Jaime, «O atraso económico português em perspectiva histórica (18601913)» in A. S., III, XX (80), 1984-1.º, pp. 7-28.

—, «O analfabetismo em Portugal no Século XIX: uma interpretação» in Colóquio. Educação e Sociedade, 2, Fev. 1993, 13-40.

ROSAS, Fernando, As primeiras eleições legislativas sob o Estado Novo: as eleições de 16 de Dezembro de 1934, 1.a ed., Lisboa, O Jornal, 1984, 1985, 134 p.

—, O Estado Novo nos Anos Trinta: Elementos para o Estudo da Natureza Económica e Social do Salazarismo (1928-1938), Lisboa, Estampa, 1987, 311 p.

—, Portugal entre a Paz e a Guerra: Estudo do impacte da II Guerra Mundial na Economia e na Sociedade Portuguesas (1939-1945), Lisboa, Estampa, 1990, 484 p.

—, «A Crise do Liberalismo e as Origens do «Autoritarismo Moderno» e do Estado Novo em Portugal» in Penélope, 2, Fev. 1989, pp. 97-113.

SILVA, A. E Duarte et al., Salazar e o Salazarismo, Lisboa, Dom Quixote, 1989, 218 p. + il. (fotos).

TELO, Antonio José, O Sidonismo e o Movimento Operário. Luta de Classes em Portugal 1917-1919, Lisboa, Ulmeiro, 1977.

—, Decadência e Queda da I República Portuguesa, 1.º vol., Lisboa, A Regra do Jogo, 1980, 379 p.

VALENTE, Vasco Pulido, Uma Educação Burguesa...Notas Sobre a Ideologia do Ensino no Século XIX, Lisboa, Horizonte, 1974, 229 p.

—, «Estudos sobre Sidónio Pais: Comércio e distribuição em 1918» in Estudos Sobre a Crise Nacional, Lisboa, Imp.Nac., 1980, pp. 293 e ss.

VASCONCELOS, J. Leite; GUERREIRO, M. Viegas, Etnografia Portuguesa, Lisboa, Imp. Nac., 1975-1982, 10 vols.

VARETA, Bernardino, A Acção Municipal na Questão das Subsistências, Porto, 1910, 180 p.

3. Estudos sobre o operariado mineiro e o movimento operário em Portugal

ALMEIDA, Ana Nunes de, A Fábrica e a família: famílias operárias no Barreiro, Barreiro, C.M.B., 1993.

ANDRADE, Artur João da Costa, A Indústria e a Medicina do Trabalho. Relatório ao II Congresso da Indústria Portuguesa, separata, Lisboa, 1957.

BAPTISTA, Jacinto, Surgindo Vem ao Longe a Nova Aurora... Para a história do diário sindicalista A Batalha, 1919-1927, Amadora, Bertrand, 1977, 201 p. + bibl.; il.

CABRAL, Manuel Villaverde, O Operariado nas vésperas da República (19091910), Lisboa, Presença/G.I.S., 1977, 149 p.

FREIRE, João, «Os anarquistas nos implacáveis anos 30» in Diário de Noticias, 15. Mar. 1984.

—, «Malatesta e o anarquismo português» in Ler História, 6, 1985.

—, Anarquistas e Operários. Ideologia, Ofício e práticas sociais: o anarquismo e o operariado em Portugal, 1900-1940, Lisboa, Afrontamento, 1992, 379 p. + fontes e bibliogr.

—, «Traços e esboços de um anarquismo português» in 100 anos de Anarquismo em Portugal, (1887-1987), Lisboa, Biblioteca Nacional, 1987.

FONSECA, Carlos da, O 1.º de Maio em Portugal, 1890-1990. Crónica de um século. Lisboa, Antígona, 1990, 185 p.

MÓNICA, Maria Filomena, O Movimento Socialista em Portugal (1875-1934), Lisboa, Imp.Nac., 1984, 233 p.; il.(fotos)

—, “Mort d'une aristocracie ouvrière: les ouvriers chapeliers portugais (1870-1914)” in Le Mouvement Social, 123, 1983, pp. 67-97.

MÓNICA, Maria Filomena; PATRIARCA, Maria de Fátima (coord.), «O Movimento Operário em Portugal» in A.S., II, XVII, 67-68-69, 1981, 3.º-4.º-5.º.

MONTEIRO, Adriano Monteiro, «Relatório geral... desde 1 de Janeiro de 1897 a 31 de Dezembro de 1904 nos distritos de Évora, Beja e Faro, 3.a parte» in Boletim do Trabalho Industrial, 19, Lisboa, 1907. [Sobre a alimentação dos trabalhadores].

OLIVEIRA, César, O Operariado e a República Democrática (1910-1914), 2.a ed., Lisboa, Seara Nova, 1974, 71 p.+ doc.

PATRIARCA, Fátima, «Taylor no Purgatório. O trabalho operário na metalomecânica pesada» in A. S., XVIII (71), 1982-2.º, pp. 435-530.

—, «O Triângulo Corporativo — Acta e encenação de um despacho salarial (1946-47)» in A. S., XXIII, 99, 1987-5.º, pp. 905-944.

—, Processo de implantação e lógica e dinâmica de funcionamento do corporativismo em Portugal — os primeiros anos do salazarismo, provas apresentadas no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 1992. (policopiado).[Um dos capítulos foi publicado na A. S., XXVI (110), 1991, (1.º), 2358, «A institucionalização corporativa das associações de classe aos sindicatos nacionais (1933)»].

PEREIRA, José Pacheco, Conflitos Sociais nos Campos do Sul de Portugal, Mem Martins, Europa-América, s.d. (1982).

—, «A Federação Nacional dos Trabalhadores Rurais, 1912-1926» in Colloque sur les campagnes portugaises, de 1870 à 1930. Image et realité, Paris, F. Calouste Gulbenkian, Centro Cultural Português, 1985, pp. 277-281.

—, “L'Historiographie Ouvrière au Portugal” in Le Meuvent Social, 123, 1983, pp. 99-108.

QUINTELA, João G. P., Para a História do Movimento Comunista em Portugal. 1. A Construção do Partido, Porto, Afrontamento, 1976, 74 p. + anexos.

ROCHA, Francisco Canais; LABAREDAS, Maria Rosalina, Os Trabalhadores Rurais e o Sidonismo: ocupação de terras no vale de Santiago, Beja, Ed. 1 de Outubro, 1982, 97 p. + documentos.

OLIVEIRA, César, O Operariado e a República Democrática (1910-1914), 2.a ed., Lisboa, Seara Nova, 1974.

TELO, Antonio José, O Sidonismo e o Movimento Operário. Luta de Classes em Portugal, 1917-1919, Lisboa, Ulmeiro, 1977.

3.1. Mutualismo

ANSELMO, Manuel, O Mutualismo como doutrina social, Viana, 1933

ASSOCIAÇÃO DE SOCORROS MÚTUOS «MINEIRA ALJUSTRELENSE», Estatutos, Almodôvar, 1907, 18 p..

—, Relatório e Contas da Gerência finda em 31 de Dezembro de 1911, Lisboa, Typ. La Bécarre, 1912, 25 p.

DAWSON, W.H., «Mutual Aid Societies» in Encyclopedia of the Social Sciences, II, Nova Iorque, MacMillan, 1933, pp. 168-172.

FERREIRA, Jaime, Para a história do Mutualismo, Porto, Ass. Socorros Mútuos «A Previdente», 1978.

MONTEPIO ALJUSTRELENSE, Estatutos, Évora, Typ. Gutenberg, 1904, 20 p.

SILVA, José Ernesto Dias da (dir.), «Relatório do Congresso Nacional de Mutualidade de 1911 - Teses, actas das sessões e documentos» in Bolet. do Trab. Industrial, 45, Lisboa, 1911.

SILVEIRA, Jorge, coord., O Mutualismo em Portugal, s.l., União das Mutualidades Portuguesas, s.d. [1990].

SOCIEDADE COOPERATIVA FAMÍLIA ECONÓMICA, Estatutos, Lisboa, 1912. [Sociedade de consumo da mina de São Domingos].

4. Estudos sobre minas e sobre operariado mineiro

4.1. Geral

AMSELEM, «Mineria y ‘Subdesarrollo’: por un planteamento historico global del problema en Andalucía» in Cuadernos Geograficos de la Universidad de Granada, 7, Granada, Universidad, 1977, pp. 293-306.

BARNSBY, George J., «The Standard of Living in the Black Country during the Nineteenth Century» in The Economic History Review, 2.a série, XXIV, 2, Mai. 1971, pp. 220 e ss.

BENSON, John, «English Coal-Miner's Trade-Union Accident Funds, 1850-1900» in The Econ. Hist. Rev., 2.a, 3.Ago.l975, pp. 401 e ss.

COLL MARTIN, Sebastián; SUDRIÀ I TRIAY, Carles, El carbón en España, 1770-1961. Una historia Económica, Madrid, Turner, 1987, 624 p. + bibl.

DOUGUI, Noureddine, «La Naissance du Proletariat Minier du Sud Ouest Tunisien (1897-1914)» in Revue de Sciences Humaines, Les Cahiers de Tunisie, Tomo XXXII, 129-130, 1984, pp. 47-69.

FLORES CABALLERO, Manuel, Rio Tinto: La Fiebre Minera del XIX, Huelva, 1983, 218 p.

GREGORY, Ray, The Miners and British Politics, 1906-1914, Londres, 1968.

GIL VARÓN, Luis, «Migracion Portuguesa a las minas de Rio Tinto» in III Coloquio Ibérico de Geografia, Barcelona, Universidade, 1984, pp. 322-329.

HARVEY, Charles Ε., «Politics and Pyrites during the Spanish Civil War» in The Econ. Hist. Review, 2.a série, XXXI, 1, Fev. 1978, pp. 89 e ss.

LAZAR, Marc, «Le Mineur de Fond: un exemple de l'identité du P.C.F.» in Revue Français de Science Politique, 35(2), Paris, Abr. 1985, pp. 190-205.

MENDELS, F., «Proto-industrialization: the first phase of the Industrial Process» in Journ. Econ. Hist. XXXII (1972), pp. 241-261.

PRESS, Jon, «Overseas investment and the professional advance of British metal mining engineers, 1851-1914» in The Econ. Hist. Rev., 2.a, XLII, I (1989), pp. 64-86.

SAMUEL, Raphael, ed., Miners, Quaryman and Saltworkers, 1.a ed., Londres, Routledge & Kegan Paul, 1977, 348 p.+ índ.

TAYLOR, A. J., «Labour Productivity and Technological Innovation in the British Coal Industry, 1850-1914» in The Econ. Hist. Review, 2.a, XIV, 1, Ago. 1961, pp. 48 e ss.

TRAMPÉ, Rolande, Les Mineurs de Carmaux, 1848-1914, 2 vols., Paris, 1971.

WALTERS, Rhodri, «Labour Productivity in the South Wales Steam-Coal Industry, 1870-1914» in The Econ. Hist. Rev., 2.a, Mai. 1975, p. 280 e ss.

4.2. Portugal

ACKERMANN, E., Dicionário dos Termos Mineiros Portugueses, seguido de diversas informações gerais, entre outras sobre a legislação mineira portuguesa, Londres, The Minning Journal, 1910.

ALMEIDA, Fernando de, «Mineração Romana em Portugal» in La Mineria Hispânica, 1, 1970.

AZEVEDO, António José de Sousa, «Relatório acerca da mina de cobre na Serra da Caveira, concelho de Grândola, distrito de Lisboa», in Bolet. Min. Obras Públicas Comércio e Industria, 1865, 2.º semestre, p.54 e ss.

ANDRADE, Ruy Freire de, «As Minas de Aljustrel» in Β. M., Lisboa, 4(2) Abr.-Jun. 1967, pp. 73-90.

ALLAN, John C., A Mineração Romana em Portugal na Antiguidade, Lisboa, 1965, 35 p.; sep. do vol. 2, n.º 3 do B.M.

CABRAL, Frederico A. de Vasconcelos Pereira Cabral, «Informação àcerca do estado dos trabalhos na mina de cobre da Serra da Caveira» in Bol. Min. Obr. Publ. Com. Ind., 1865, 2.º semestre, pp. 195-198.

CARNEIRO, F. Soares, «Potencialidades Minerais da Metrópole. Base Firme do Desenvolvimento do País» in Arquivos da Direcção-Geral de Minas e Serviços Geológicos, 2, Lisboa, 1971, 307 p.; il. (mapas).

DIRECÇÃO GERAL DE MINAS E SERVIÇOS GEOLÓGICOS. SERVIÇO DE FOMENTO MINEIRO, Relatório. Anos de 1939 a 1941. Porto, 1942, 114 p.

—, Relatório. Anos de 1942 e 1943, Porto, 1945.

«Documentos inéditos para a história das minas de Aljustrel no século XIX» in Arquivo de Beja, Beja, 1966-1967, pp. 23-24; 337-352, il. [Transcrição dos relatórios de Carlos Ribeiro e João Ferreira Braga sobre a mina de São João do Deserto em 1854].

FONSECA, Fernando Vasconcelos Nascimento da, A indústria extractiva e problemas que se deparam ao médico do trabalho, Lisboa, 1964, sep. do vol.1, n.º 1, do B.M.

—, Considerações sobre higiene e segurança em minas, Lisboa, 1966, 9 p.; sep. do vol.3, n.º 2 do Β. M.

GARCIA, João Carlos, «Portuguese copper and the sea trade in the Western Mediterranean from 1895 to 1909» in Rev. da Fac. Letras da Univ. do Porto, Porto, I, IV, 1988, pp. 291-299.

GUIMARÃES, Paulo, «O Alentejo e o Desenvolvimento Mineiro durante a Regeneração» in Mineração no Baixo Alentejo, Castro Verde, Câmara Municipal de Castro Verde, 1996, pp. 115-129.

—, «A Intervenção do Estado Novo na Indústria Mineira: a criação do Serviço de Fomento Mineiro» in Boletim de Minas, 32, 3, (Lisboa, Instituto Geológico e Mineiro, 1995).

—, «Duas aldeias mineiras do Baixo Alentejo na primeira metade do século XX» in Vértice, II série, Março de 1991, pp. 55-64.

—, Indústria, Mineiros e Sindicatos, Lisboa, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 1989, 113 p. - Estudos e Documentos ICS, série «Arquivo Histórico das Classes Trabalhadoras».

LAUTENASACH, Hermann, «Aspectos da Vida Económica» in Orlando Ribeiro et allie, Geografia de Portugal, TV. A Vida Económica e Social, Lisboa, Sá da Costa, 1991, pp. 1157 e ss.

LEAL, P.e Manuel Vaz, As Minas da Panasqueira, Vida e História, Lisboa, Portugália, 1945.

LEITÃO, João Maria, «Relatório sobre a mina de São Domingos» in Bol. Min. Obr. Publ. Com. Ind., XI (1861), 398 e XII (186l), 521.

LENCASTRE, Sebastião Manuel de, «As Minas de Jales» in Β. M., Lisboa, 3(4), Out. -Dez. 1966, pp. 177-190.

MACHADO, António Cabral, «As minas de carvão do Pejão» in Β. Μ., Lisboa, 7(4), Out.-Dez. 1970, pp. 259-281.

RODRIGUES JÚNIOR, Manuel, A indústria mineira em Portugal: estudo económico-jurídico, Coimbra, 1921.

RIBEIRO, Carlos, «Relatório do Capitão Carlos Ribeiro sobre a mina de Antimónio de Valongo», in Bol. Min. Obr. Pub. Com. Ind., 11, Nov. 1855, pp. 280-284.

SANTOS, Manuel Joaquim Moreira dos, O complexo industrial do Cabo Mondego: Sua origem e evolução através dos tempos, Figueira da Foz, ed. do município, 1982, 108 p.; il.

SILVA, Artur Henrique A. Ferreira da, As minas do Lousal, Lisboa, 1968, 21 p.; sep. do vol. 5, n.º 3 do Β. M.

SOROMENHO, Augusto, La Table de Bronze d'Aljustrel: Rapport adressé à monsieur le ministre de l'interieur, Lisboa, Imp.Nac., 1876, 11 p. [Estudo e transcrição da primeira tábua de bronze]

VEIGA, Estácio da, A Tábua de Bronze de Aljustrel: Elementos para a sua compreensão... (1880), Lisboa, Serv. Geol. de Port., 1986. [Reedição do estudo e transcrição das célebres tábuas de Aljustrel].

© Publicações do Cidehus, 2001

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540

Acheter

Volume papier

amazon.fr