Version classiqueVersion mobile

COOPEDU IV — Cooperação e Educação de Qualidade

 | 
Clara Carvalho
, 
Maria Antónia Barreto
, 
Filipe Santos

Introdução

Clara Carvalho, Maria Antónia Barreto et Filipe Santos

Entrées d'index

Texte intégral

1O quarto Congresso Internacional de Cooperação e Educação-IV COOPEDU, organizado pelo Centro de Estudos Internacionais (CEI) do Instituto Universitário de Lisboa e pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria decorreu nos dias 8 e 9 de novembro de 2018, subordinado à temática Cooperação e Educação de Qualidade. Este congresso insere-se numa linha de continuidade de intervenção por parte das duas instituições organizadoras e dos elementos coordenadores e este ano beneficiou do financiamento do Instituto Camões, obtido através de um procedimento concursal, que nos permitiu contar com a participação presencial de elementos dos Países Africanos de Língua Portuguesa, fortemente implicados nas problemáticas da Educação e da Formação. Contou também com a participação do Instituto Camões e da Fundação Calouste Gulbenkian, entidades que sistematizaram a sua intervenção nos domínios da cooperação na área da educação nos últimos anos.

2A opção pela temática da qualidade pareceu aos organizadores pertinente e actual. Com efeito os sistemas educativos dos países que constituem a Comunidade de países de língua portuguesa têm implementado várias reformas mas em vários domínios mantem-se a insatisfação de responsáveis políticos, pedagogos, técnicos sociais face aos resultados obtidos. Aliás o caminho de procura da Qualidade é interminável porque vai a par da aposta na exigência e na promoção da cidadania e responsabilidade social.

3As comunicações que agora se publicam estão organizadas em dois eixos: o das Políticas da Educação e Formação e o das dimensões em que se traduzem essas políticas. Neste último eixo encontramos fios condutores para agregarmos as comunicações apresentadas.

4No eixo Políticas de Educação e de Cooperação incluímos quatro textos: o de Gonçalo Teles Gomes, vice presidente do Instituto Camões, que apresenta as linhas de orientação, principais programas e projetos na área da educação e formação financiados e implementados pela cooperação oficial; o de Filipe Zau que discute a problemática do bilinguismo na educação analisando o contexto específico de Angola onde o português é a língua oficial de ensino mas não é a língua de comunicação para muitos angolanos, situação geradora de desafios metodológicos; o de Francisco Noa que apresenta a evolução do ensino superior em Moçambique, salientando a necessidade de apropriação do conhecimento científico e da sua reconceptualização no contexto moçambicano de forma a tornar-se elemento fundamental de desenvolvimento e Geraldo Indeque e Arlindo Mendes apresentam a evolução, potencialidades e fragilidades dos sistemas educativos da Guiné-Bissau e de Cabo Verde.

5A segunda parte deste livro de atas, subordinada à temática Dimensões da Intervenção em Educação e Formação está dividida nos seguintes eixos: O Ensino Superior nos PALOP e a Cooperação Internacional, Diversidade nas Políticas Educativas nos PALOP e Timor-Leste, Formação de Professores, Educação de Infância. Com a opção por estes eixos quisemos enquadrar as comunicações apresentadas nas linhas orientadoras das políticas nacionais e internacionais em relação à Educação, Formação e Cooperação.

6A cooperação no ensino superior tem vindo a assumir um papel relevante, acentuando-se a consciência do seu contributo para o Desenvolvimento e o sentido de responsabilização das instituições parceiras. No eixo a diversidade de políticas públicas nos PALOP e em Timor-Leste reunimos textos sobre metodologias de ensino, intervenientes, parcerias, recursos, relações entre a escola e a família, junção que nos pareceu pertinente face ao seu contributo para a qualidade dos sistemas educativos.

7A formação de professores tem constituído em permanência um dos campos da cooperação portuguesa, centralizada ou descentralizada e são múltiplos os casos a merecerem sistematização e análise, e que foram apresentados nas comunicações. Finalmente a intervenção no âmbito da educação de infância nos PALOP tem assumido papel relevante, traduzindo-se numa multiplicidade de projetos, implicando serviços públicos, privados e religiosos, decorrendo em diversas metodologias. A pluralidade de textos apresentados traduz essa preocupação e a consciência da importância do pré-escolar para a qualidade dos sistemas educativos.

8A multiplicidade e a qualidade de textos agora apresentados e o elevado número de participantes no COOPEDU IV vêm confirmar o crescente interesse pela área da cooperação no domínio da educação e da formação. Tal como nas edições anteriores contámos com a colaboração de decisores políticos, professores, investigadores, técnicos de ONG, estudantes, mas consideramos a participação de elementos dos PALOP, possível pelo financiamento concedido pelo Camões, fator de relevo no sucesso do congresso e na riqueza do documento agora produzido.

Auteurs

Organizadora do COOPEDU IV – Cooperação e Educação de Qualidade

Organizadora do COOPEDU IV – Cooperação e Educação de Qualidade

Organizador do COOPEDU IV – Cooperação e Educação de Qualidade

Lire

Open access

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search