Version classiqueVersion mobile

A Malária em Moçambique: Políticas, Provedores de Cuidados, Saberes e Práticas de Gestão da Doença

 | 
Ana Rita Sequeira

Agradecimentos

Texte intégral

1O presente livro e o percurso realizado nos últimos quatro anos não teriam sido possíveis sem a disponibilidade e o envolvimento de inúmeras pessoas.

2Ao meu orientador, Professor Doutor Ulrich Schiefer e co-orientador para o trabalho de campo, Professor Doutor Baltazar Chilundo, o meu obrigada por todo o apoio prestado.

3À minha assistente de campo, tradutora e amiga, cujo contributo se estendeu até ao momento da finalização deste estudo, a minha imensa gratidão pelo companheirismo e profissionalismo. Este livro é também dedicado à sua memória.

4Tendo este livro sido escrito em quatro diferentes continentes, os contributos académicos de vários colegas espalhados pelo mundo tiveram um valor inestimável. O meu profundo agradecimento ao Albert Farré (ISCTE-IUL), à Alessia Villanucci (Universidade de Roma), ao António Jorge Cabral (Instituto de Higiene e Medicina Tropical), à Brigit Obrist (Swiss Tropical and Public Health Institute), à Caroline Meier zu Biesen (Universidade de Berlim), ao Giovanni Casagrande, (Swiss Tropical and Public Health Institute), à Giulia Cavallo (Instituto Ciências Sociais), ao Hélder Nhamaze e Sónia Seuane (Universidade Eduardo Mondlane), ao Janus Oomen (Universidade de Amesterdão), ao João Schwalbach (Instituto Nacional de Saúde), ao Jorge Varanda (Instituto de Higiene e Medicina Tropical), à Julie Cliff (Universidade Eduardo Mondlane), à Kate Hampshire, (Universidade de Durham), à Khatia Munguambe (Centro de Investigação em Saúde de Manhiça e Universidade Eduardo Mondlane), à Maj-Lis Foller (Universidade de Gotemburgo), ao Marcel Tanner (Swiss Tropical and Public Health Institute), à Margarida Paulo (Universidade Eduardo Mondlane), ao Murray Last (University College London), ao Paulo Granjo (Instituto de Ciências Sociais), ao Pino Schirripa (Universidade de Roma), ao René Gerrets (Universidade de Amesterdão), ao Richard Garfield (Universidade de Columbia), ao Sjaak van der Geest (Universidade de Amesterdão), à Susan Levine (Universidade da Cidade do Cabo), à Trudie Gerrits (Universidade de Amesterdão), à Uli Beisel (London School of Hygiene & Tropical Medicine), à Viola Hörbst (Instituto Superior de Ciência Sociais e Políticas). O meu obrigada vai, também, para outros colegas que me possa ter esquecido de mencionar e que também tiveram disponibilidade e interesse em debater comigo o meu tema de investigação, em me enviarem os seus artigos, em me colocarem em contato com outros companheiros e, ainda, pelos sábios conselhos e estimulantes discussões.

5Em Moçambique, o meu primeiro reconhecimento é dirigido ao Doutor Isaías Manuel, Diretor Provincial de Saúde de Gaza, cujo interesse neste trabalho abriu caminho para todo o trabalho de campo e, a todos os seus colegas. O meu sincero agradecimento vai, também, também para os dirigentes de instituições públicas do distrito de Chókwè, nomeadamente ao Sr. Luís Naia (Diretor dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acão Social), ao Sr. Alberto Libombo (Administrador do Governo Distrital de Chókwè) e ao Sr. Jorge Macuácua (Presidente do Conselho Municipal de Chókwè), que permitiram que fosse recebida nas localidades e nas aldeias visitadas, com toda a simpatia e sem impedimentos. O meu muito obrigada estende-se, igualmente, aos membros das organizações da sociedade civil contactadas na cidade de Chókwè, nomeadamente a Cruz Vermelha, a World Relief, os Médicos do Mundo, a Libombo Spacial Development Initiative (LSDI) e as Vilas do Milénio.

6Em Maputo, onde também foram realizadas várias entrevistas, gostaria de agradecer a disponibilidade e gentileza com que fui recebida na UNICEF, no Fundo Global, na Fundação Aga Khan, na Organização Mundial de Saúde, na Family Health International (FHI), na Malaria Consortium, na World Vision, no Banco Mundial, no Movimento Fazer Recuar a Malária, no Programa Inter-Religioso contra a Malária (PIRCOM) e no Ministério da Saúde, em especial no Programa Nacional de Controlo da Malária e no Instituto de Medicina Tradicional,

7À Ana Rita Chico, à Cátia Silva, à Georgina Bonet e à Inês Roxo pela amizade e companhia e às Irmãs de S. Vicente Paulo, ao Orlando Marques e Anabela Cordeiro, por facilitarem algumas questões logísticas essenciais.

8A minha gratidão e grande respeito são dirigidos a todas as pessoas que me abriram as portas das suas casas e comigo partilharam as suas vidas, ao longo dos quatro anos da minha estadia em Moçambique. De um modo especial, a todos os entrevistados que sempre me receberam com toda a simpatia e carinho, que alteraram as suas rotinas diárias e me integraram nas suas vidas, ainda que por um período reduzido. Sem os seus testemunhos, este livro não teria sido possível.

9Por último, o meu imenso agradecimento é dirigido à minha família e amigos, em especial ao meu marido pela incansável dedicação e paciência. Aos meus pais e ao meu irmão, pelo apoio que sempre me deram, apesar da distância.

10Para o Benjamim

11Em memória de Názia Maulide

Lire

Open access

Acheter

Rechercher dans OpenEdition Search

Vous allez être redirigé vers OpenEdition Search