Version classiqueVersion mobile
OpenEdition Books

Pierre Monbeig, un géographe pionnier

 | 
Martine Droulers
, 
Hervé Théry

Pierre Monbeig et son temps

Pierre Monbeig e ο Brasil

Manuel Correia de Andrade

Texte intégral

1Ο professor Pierre Monbeig é uma das maiores figuras de geografia brasileira, de vez que ele viveu no Brasil de 1935 a 1946, atuando no meio científico e universitàrio e estudando a realidade brasileira com uma dedicação e amor ao país, como se ele fosse desta nacionalidade.

2Monbeig chegou à São Paulo em 1935, muito jovem, mas com a responsabilidade de substituir ao Prof. Pierre Deffontaines na regência da catedra de Geografia na recém-fundada Universidade de São Paulo. Com uma sólida formação científica ele participava de um grupo de professores franceses que veio viabilizar a nova Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da referida Universidade.

3Em São Paulo ele não só ministrou os seus cursos para estudantes de geografia e de ciências sociais como procurou compreender os problemas do país, tanto em escala paulista coma national. Também não limitou as suas atividades à Universidade, pois cercou-se de amigos brasileiros e atuou na organização dos geográfos do país, dirigindo por mais de dez anos a Associação de Geógrafos Brasileiros (A.G.B.) e, com ο apoio de Francis Ruellan que lecionava na Universidade do Brasil (Rio de Janeiro) extendeu a associação em escala nacional. A AGB que nos seus primeiros dez anos foi essencialmente paulista, passou a partir de 1945 a ser uma entidade nacional.

4Vivendo no Brasil e necessitando preparar suas teses para ο doutorado na França, ο professor Pierre Monbeig elegeu ο estado de São Paulo como objeto de estudo para as mesmas, analisando ο processo de expansão da fronteira agrícola comandado pelo café na primeira metade do século xx e ο crescimento urbano da cidade de São Paulo, que graças ao rush cafeeiro e a industrialização, passou em menos de um século de uma modesta capital de província à grande métrópole nacional.

5Sua ação na Universidade de São Paulo foi das mais importantes porque ele estruturou e consolidou a cátedra de Geografia, depois transformada em Geografia Humana, e contribuiu para a criação das cátedras de geografia Física, que teve em João Dias da Silveira ο seu primeiro titular e de Geografia do Brasil, que foi ocupada por Aroldo de Azevedo. Também as primeiras teses de doutoramento em Geografia defendidas em São Paulo na década dos quarenta foram estimuladas e orientadas por Pierre Monbeig. Compreendendo os grandes problemas da produção do espaço e da expansão do povoamento no Brasil que vivia uma fase de modernização, ele formou discípulos que estudaram em teses, ensaios e artigos problemas ligados a modernização agrícola, a expansão das frentes pioneiras, ο crescimento urbano e a sucessão das paisagens humanizadas.

6Compreendendo a importância dos congressos e reuniões científicas ele participou ativamente com os seus discípulos do IX° Congresso Brasileiro de Geografia, reunido em Florianópolis em 1940 e estruturou a AGB com reuniões anuais, nas quais além da apresentação de teses e comunicaçãoes os congressistas realizavam trabalhos de pesquisas de campo, na área, e apresentavam relatórios. Este sistema de reuniões funcionava como uma verdadeira pós-graduação para os jovens licendiados que vinham das mais diversas universidades do país. Era uma forma brasileira de compensar a falta de tradição universitária do país. Convém lembrar que a pós-graduação propriamente dita s séria implantada a partir de 1970.

7Ο trabalho de Monbeig não foi apenas ο de organizador da Geografia Brasileira, ele também estimulou a pesquisa em todo ο país e produziu geografia do Brasil. Em sua tese sobre Fazendeiros e Plantadores em São Paulo ele demonstrou compreensão da geografia a mais ampla, fazendo que ela interpenetrasse e se fizesse interpenetrar dos conhecimentos das histórias e das ciências sociais afins. Assim ο seu livro é uma contribuição importante não só a geografia como também a história social e a sociologia da civilização do café. Há uma certa aproximação entre as suas formulações e as de Braudel, ο grande historiador que conviveu com Monbeig em São Paulo. Vê-se no seu texto que Monbeig não se deixara diminar por uma preocupação com a « geograficidade » que serviu de freio a numerosos geógrafos que se continham como bons positivistas em expandir ο seu pensamento por áreas consideradas de outros especialistas, para evitar também a incursão dos mesmos nas áeras que consideravam como próprias. Daí a grandeza da produção científica de Monbeig e a sua influência por uma grande ala de géografos brasileiros de posições científicas e politicas mais avançadas.

8Ao mesmo tempo escrevendo uma tese sobre paisagens rurais e outra sobre crescimento urbano Monbeig demonstrava que não costumava criar barreiras entre ο rural e ο urbano, demonstrando que dentro do processo de desenvolvimento capitalista, ο capital comanda a apropriação dos recursos e a organização da circulação de capital e de mercadorias de forma integral na cidade e no campo. Em lugar da oposição campo-cidade sente-se ο comando da economia e da vida rural pelos agentes urbanos.

9Monbeig conhecia bem as estruturas de capital que dominavam a produção do espaço, tendo escrito uma série de artigos, publicados na França e no Brasil, em que estuda como geógrafo problemas de ordem econômica como os transportes entre São Paulo —a grande metrópole— e Santos —ο principal porto brasileira; ο problema da indústria metalúrgica em Minas Gerais; a agricultura pioneira no Norte do Paraná; os problemas ligados a cultura do cacau na Bahia; núcleos coloniais como ο de Barão de Antonina; problemas de população; ο problema da ocupação dos campos cerrados no Brasil; ο problema da fome no Brasil, estudado em profundidade por Josué de Castro, mas assunto do quai os geógrafos brasileiros evitavam analisar, alegando não ser ο mesmo um problema específico de goegrafia. Também demonstrou preocupações de ordem teórica a respeito da natureza e da utilidade da geografia em numerosos artigos.

10No Brasil, alguns dos seus artigos foram publicados em livras intitulados Ensaios de geografia Humana Brasileira, publicado em 1940 e em Novos Estudos de geografia Humana Brasileira, publicado em 1957. A editora Atica publicará brevemente uma nova coletânea de artigos de Pierre Monbeig, na qual se terá uma idéia da actualdade de suas formulações e proposições tanto quanto a geografia como ciência, como quanto a contribuição que a Geografia pode dar a solução dos problemas do Brasil.

11Assim, ao se refletir sobre a contribuição de Monbeig à geografia brasileira, ou, mais precisamente, a Geografia no Brasil, se deve levar em conta a preocupação central de sua obra que foi a de analizar problemas, refletindo sobre as causas que os provacaram, as paisagens e problemas que os geraram e as soluções que podem ser sugeridas para a solução dos mesmos. Também se deve levar em conta que ele não se preocupou com os limites téoricos da Geografia, nem com ο estado em que ele viveu e atuou, ele analisou os problemas de São Paulo sempre levando em conta que ele seria parte de um todo, ο Brasil, e que os seus problemas deveriam ser solucionados em função tanto dos interesses locais como nacionais. Daí a grande importância de sua obra para todos os que estudam e pensam ο Brasil.

© Éditions de l’IHEAL, 1991

Conditions d’utilisation : http://www.openedition.org/6540

Acheter